Licenciamento ambiental para atividade agropecuária é inviável e burocratiza setor

Publicado em 01/11/2016 13:32 9157 exibições
Confira a entrevista de Rodrigo Justus de Brito - Coordenador da Comissão de Meio Ambiente da CNA
Projeto do MMA prevê que atividades como pecuária extensiva e plantio tenham licenciamento ambiental


O setor agropecuário se vê em uma situação "extremamente preocupante", uma vez que o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, coloca novamente em discussão a necessidade de realizar um licenciamento ambiental da atividade agrícola, o que poderá complicar a vida dos produtores e burocratizar a atividade.

De acordo com Rodrigo Justus de Brito, coordenador da Comissão de Meio Ambiente da Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária (CNA), a medida proposta é inviável. No passado, alguns estados tentaram fazer o licenciamento de atividade agrícola, mas "pela falta de parâmetro de saber quando se deve fazer essa licença ou não, os estados acabaram abandonando essa ideia", explica. Hoje restam apenas os estados de Mato Grosso e Rondônia, mas ele lembra que esses processos, na verdade, se tratam de algo semelhante ao Cadastro Ambiental Rural (CAR), que já deve ser obedecido pelos produtores. "Então, na verdade, isso tecnicamente não chega a ser uma licença", diz.

A licença que o Ministro do Meio Ambiente quer trazer à tona pode colocar os produtores rurais em uma situação complicada. Uma vez que a licença demora de 3 a 5 anos para ser expedida e que os próprios órgãos estaduais já declararam que não possuem condições de realizar essas licenças em tempo hábil, demorando de 80 a 100 anos para expedir todas, a atividade rural deve ficar em risco.

Algumas atividades, como os confinamentos e a agroindústria, que geram dejetos que podem ser nocivos ao meio ambiente, já são licenciadas. Mas no setor da agricultura em geral, a questão fica um pouco mais complicada. "Tudo o que você vai fazer num período de 5 a 6 anos, que seria a validade da licença, teria que estar declarado. Se você resolve fazer outra coisa estaria cometendo um crime ambiental, o que é inadmissível, já que o produtor não tem como prever o que ele estará fazendo na próxima semana", destaca o coordenador.

Isabela Teixeira, que era ministra do Meio Ambiente durante o governo de Dilma Rousseff, já havia tomado uma posição anterior de que, de nenhuma forma, o Ministério iria exigir esse tipo de licença, embora entendesse que o produtor tem um conjunto de regras no Brasil. "O ministro Sarney Filho está ressurgindo uma discussão já vencida".

O ministro da Casa Civil da gestão atual, Eliseu Padilha, já disse ao setor agropecuário que não irá encaminhar a proposta do Ministério do Meio Ambiente para o Congresso enquanto não houver entendimento e aceitação do setor privado.

O setor agropecuário, por sua vez, apresentou um texto substitutivo ao projeto que dispensa do licenciamento a atividade de agricultura, pecuária extensiva e silvicultura, exceto a agroindústria. O projeto está no Plenário da Câmara em regime de urgência. Se a Casa Civil encaminhar o texto do Ministério do Meio Ambiente, "haverá uma disputa entre os dois textos" como destaca Rodrigo, mas há uma confiança de que, como 290 parlamentares fazem parte da Frente Parlamentar Agropecuária (FPA), o texto do setor tem forças para ser aprovado.

Segundo ele, mais de 40 entidades ligadas ao agronegócio, além da CNI, da Fiesp, do setor de biotecnologia e do setor de transporte e logística apoiam o texto. "O produtor deve ficar atento e acompanhando, porque toda a mobilização do setor técnico e político já foi feita. Caso o projeto não seja votado, vai ser necessário uma grande mobilização", conclui.

Por:
Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte:
Notícias Agrícolas

20 comentários

  • Emanuel Geraldo C. de Oliveira Imperatriz - MA

    Por que o agro não impõe a Temer a substituição desse ser chamado Sarney Filho, que nada produz, por outro que ENTENDA de agronegócio, ou que vive o agronegócio? Por que tanta submissão? Esse homem não gosta de produtor. Em Amarante - Ma, onde é bem votado, o município ja tem 54% de sua área ocupada por três reservas indígenas demarcadas e homologadas -- somando 540.000 hectares para abrigar 450 índios; pois bem: a FUNAI e a ONG denominada CTI, da família Azanha, em negociata com o Consorcio Norte Energia (CESTE), para licenciamento ambiental e o "componente indígena", recebem muito dinheiro e exgem a REAMPLIAÇÃO da Reserva Indígena Governador dos atuais 42 para 205.000 hectares, desalojando 20.000 brasileiros, tomandos SEM NENHUMA INDENIZAÇÃO cerca de 1500 propriedades rurais, alem de 13 assentamentos da Reforma Agraria, todos ja com estrada, energia, casas, escolas, PRONAF, etc....e Sarney Filho, procurado pela Comissão que defende os produtores NADA FAZ... na verdade, defende ois índios contra os produtores!

    0
  • Thiago Afonso Uberaba - MG

    O agronegócio (o campo), não é como uma industria. Apesar de parecer simples, é muito mais complexo do que a maioria das pessoas pensam. É preciso vivenciar, saber como se produz. A proposta de Sarney Filho, caberia apenas para atividades agroindustriais (e que já realizam o processo de Licenciamento Ambiental). Estamos a mercê de clima, condições políticas e de mercado a nível global e online. O CAR já veio para isso, delimitar as áreas produtivas em relação às áreas de preservação. No caso da agricultura e pecuária extensiva, este licenciamento torna a produção inviável, dificulta o acesso às linhas de créditos e faz com que o produtor trabalhe a beira da linha da "marginalidade". É como eu já disse antes, saiam do ar condicionando e debaixo do paletó. Primeiro tem-se que conhecer a atividade e entender. Então, elaborar um projeto (que pode ser realizado utilizando ferramentas de gestão, como o PDCA por exemplo e não pelo "achismo". AbraçoS

    2
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Thiago, e você pensa que as autoridades não sabem o que estão fazendo, é lógico que sabem, querem PODER mandar em todos os agentes economicos do país, uma país comandado unica e exclusivamente pelos politicos. Vão dizer onde plantar, o que plantar, como plantar, e daqui a pouco por quanto vender. As autoridades e lideranças de classe apoiam isso por estarem em posições de comando politico, serão portanto os primeiros beneficiados com as "politicas" de Estado, vão exigir dos outros aquilo que não precisarão cumprir.

      0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Esse filhinho de papai Sarney, ministrinho de sei lá o quê, tenta aparecer na mídia. Porque ele não lê um pouco e, aproveita e dá uma lida na Lei 12.305 de 2010, Política Nacional de Resíduos Sólidos, que todos os lixões do país deveriam ser fechados até 2014. Hoje mais de 75% dos municípios brasileiros jogam seus lixos a céu aberto. Todas essas áreas sofrem contaminações de todo tipo, inclusive contaminações no lençol freático, ou seja, o "lixão" que está há quilômetros de distância do seu poço artesiano, pode estar lhe presenteando com índices mortais de Mercúrio (Hg), aquele pozinho branco das lâmpadas fluorescentes. A "PMDBEZAÇÃO", poder hegemônico do PMDB na área política brasileira, criou avatares de partidos, mas seus agentes de destruição foram plantados nessas novas legendas, mantendo o poder central. No caso, o filhinho do Sarneyzão, integra a sigla do PV, mas reza na mesma cartilha do seu bando ou facção.

      0
    • Rodrigo Antonio Noro Ipiranga do norte - MT

      onde tem um sarney tem podridão

      0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      A realidade que teimamos em não enxergar !!

      As privatizações ocorridas no governo neoliberal do PSDB na década de 90 é o maior engodo da história republicana.

      Essa teimosa oposição entre peessedebistas e petistas é outra grande mentira, onde a população ouvindo os discursos políticos, dos representantes dessas duas facções, são enganados com palavras fantasiosas tipo: nós e eles, a elite...

      Vamos rever só um caso das inúmeras privatizações levadas a cabo pelo PSDB. Inclusive a empresa está sendo blindada num dos maiores desastres ambientais no mundo, pois o volume de rejeitos de minério de ferro que foram jogados no ambiente, com o rompimento da barragem do Fundão é o maior do mundo. Todas as noticias, fala-se o nome da empresa Samarco, mas ela é uma subsidiária da Vale. Ah! Chegamos nela... A Vale foi privatizada em 1997, mas seus maiores acionistas são o BNDES e os fundos de pensões das estatais, mantendo a porta aberta a ingerências políticas. O sistema de construção dos taludes das barragens de rejeitos no Brasil é o mais barato, mas também, o mais sujeito a deslizes de materiais e, na maioria dos países esse sistema é proibido, porque aqui é permitido? A Vale é a maior exportadora de minério de ferro do mundo, será que seus engenheiros não têm essa informação, será que o lucro é superior a responsabilidade? Quem são os responsáveis em manter esse tipo de construção de diques sujeitos a rompimentos?

      Segundo a manchete da noticia veiculada dá para se notar a periculosidade de tal prática: MPF recomenda que DNPM não aprove barragens com alteamento a montante.

      O artigo pode ser lido na íntegra: http://lexuniversal.com/pt/news/18848

      0
  • Lindalvo José Teixeira Marialva - PR

    Precisamos de organização, A CNA precisa unir o agricultor, precisamos de firmeza, pois a cada dia que passa o comprometimento nosso é maior e o do governo é menor, daqui a pouco vamos sustentar tudo e todos sozinhos.

    1
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Para usar a CNA como elemento agregador da classe e utiliza-la como instrumento de análise das politicas públicas é preciso fazer uma limpa. Trocar do faxineiro ao presidente.

      0
    • Lindalvo José Teixeira Marialva - PR

      Upgrade é a palavra certa. Muito compadre e pouca competência.

      0
    • Rodrigo Antonio Noro Ipiranga do norte - MT

      como no brasil os dirigentes de associações não podem ver dinheiro e se vendem por uns trocados tem que realmente fazer um limpa

      1
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Sr RODRIGO eu tentei contato com o sr Rodrigo Justus de Brito coordenador do meio ambiente na CNA de Brasilia----Ate' agora nao consegui nada---Gostaria de dar um voto de confiança para essa turma---O Sr tem ideia de acesso?

      1
  • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

    Qual é o limite da insensatez ???

    Acredito que essa resposta nunca será dada, pois os insensatos não têm limites. Diante dessa realidade, vivenciamos "otoridades", principalmente na área do "meio ambiente", cujo desequilíbrio está no seu DNA. Veja, não tem conserto, onde esse indivíduo estiver ele vai provocar estrago.

    Exemplo de conhecimento geral é quando aquele louco do Rio de Janeiro, que andava vestido com uns coletes estampados, seu nome, se não me engano é Carlos Minc, então Ministro do Meio Ambiente, que protagonizava ações cinematográficas, onde ele aparecia sentado nos para lamas de tratores chegando ao local do crime.

    Quando era entrevistado pelo repórter, usava o bordão: "Estamos dando uma resposta à sociedade" !!!

    Muitos já escutaram essa frase, não?

    Às vezes de comandante de policia militar, delegado de policia civil, prefeito, deputado, senador e por aí vai... Essa é a cantiga que nos tem embalado para a condição de servidão "ad eternum" ao sistema político e governamental desde o descobrimento.

    O SENHOR ESTADO E SEUS SERVOS ...

    No principio da Moralidade há um velho ditado em latim que diz: "non omne quod licet honestum est" (nem tudo o que é legal é honesto)... Ou seja, O Império da Lei, nem sempre é O Império da Moral !!!

    0
  • WILMAR GRIMM São Gabriel do Oeste - MS

    E as licenças para morar nos morros, beira de rios e córregos nas cidades sem afastamento legal???!!!

    1
  • Giovanni Belo Colinas do Tocantins - TO

    Só há uma saída: MOBILIZAÇÃO. Irmos a Brasília e dizer que não aceitaremos mais nenhum tipo de constrangimento. Os Bancos não estão respeitando o artigo que trata do respeito a abertura de áreas conforme a legislação da época. Isso já era um absurdo, pois contraria dispositivo Constitucional que trata do Direito Adquirido, do Ato Jurídico Perfeito e da Coisa Julgada.

    Michel Temer foi vice duas vezes porque sempre compactuou com os desmandos do PT, e sua turma sempre participou do vilipendio dos cofres públicos.

    Devemos nos mobilizar de forma positiva e exigirmos sermos tratados com o respeito que merecemos.

    0
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Estou tentando entender o seu problema-----Me parece que o sr tem areas CONSOLIDADAS, todavia uma area consolidada e' praticamente uma exceçao que precisa ser comprovada com provas no IBAMA, e dele conseguir a certificaçao ambiental ----O seu caso nao e' tao facil assim----

      0
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Sr GIOVANNI 79% do estado do Tocantis e' Cerrado Amazonico, onde o codigo florestal atual exige reserva legal de 35% incluindo APP-----Sera' que o senhor tem menos do que isso?

      0
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Sr. Giovanni, mobilização não resolve nada se não houver organização. Mais precisamente grupos de produtores organizados, é melhor um grupo pagar um bom advogado do que ficar a mercê de entidades de classe. Formem um grupo de 10 produtores, deliberem, decidam e verá o resultado. Só ganha quem é organizado social e politicamente. Com dez produtores em cada municipio, de forma organizada, esse país muda.

      0
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Que bom o sr Rodrigo tambem tentou ajudar----Força vamos em frente---

      0
  • Giovanni Belo Colinas do Tocantins - TO

    Falta de SOBERANIA! Chega de palhaçada nesse país! Políticos roubam dinheiro, arrebentam com a dignidade do povo brasileiro, e quem quer produzir é constrangido de todas as formas. É muita falta de respeito e consideração. Basta!

    0
  • Lindalvo José Teixeira Marialva - PR

    A propriedade rural já é obrigada a ter o CAR - Cadastro Ambiental Rural, que, na pratica, é um licenciamento ambiental, delimitando áreas de conservação e áreas consolidadas de plantio, benfeitorias, matas e outros. Empreendimentos como avicultura, suinocultura, confinamento, pecuária leiteira, silvicultura, todas possuem uma licença ambiental para ser implantada..., no caso do Eucalipto, se tira licença para corte e venda da madeira. Enfim, todos os insumos e defensivos possuem receituário Agronômico ou recomendação técnica com aprovação de vários órgãos em várias instancias da burocracia brasileira..., Instalações rurais são fiscalizadas pelo CONFEA/CREA. A agua possui outorga de uso, e, em casos de Irrigação, é extremamente burocrático seu uso e sua legislação especifica. A CNA precisa também se renovar, pois sabemos que esta segue na toada do BRASIL de Dilma e do PT e da ex-presidente Katia Abreu-- que utilizou nossa institutição somente para alavancar suas posições politicas. Este assunto do Sarney Filho não DEVIA E NEM DEVE SER COMENTADO..,tamanho o absurdo. Alias, não sei o que esta figura esta fazendo no governo (com todo respeito ao cidadão).

    1
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Sr Lindalvo é a perpetuação do "STATUS QUO" !!!

      0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Para aqueles que gostam de ler um pouco. O artigo do antropólogo ROBERTO DA MATTA é um ponto final nas possíveis causas da nossa triste realidade: ... http://avaranda.blogspot.com.br/2016/11/a-igualdade-e-dificil-roberto-damatta.html

      0
  • Vilson Ambrozi Chapadinha - MA

    Aqui na terra do homo (Maranhão), o licenciamento sempre foi exigido.... pra quem não irriga, a planta nunca sai. Sempre tem pendencias. Pra quem molha a planta sai com pouco tempo. Por causa dessa irrigação, a Policia Federal já entrou na SEMA várias vezes... porém, nunca conseguiu fechar os canos...

    0
  • Carlos Massayuki Sekine Ubiratã - PR

    Não bastasse o desserviço que o clã Sarney já prestou a esse país e ao seu estado natal, o Maranhão, vem o seu mais jovem rebento com essa excrescência. Em um momento que o país precisa desesperadamente de redução de impostos e desburocratização para voltar a ter um mínimo de crescimento econômico, eis que surge essa pérola, essa brilhante ideia de jerico. Se cairmos nessa armadilha, nos tornaremos reféns dos ambientalistas. Daqui a pouco a licença ambiental não vai incluir só a questão do código florestal ou do uso da água. Vão proibir os transgênicos, vão querer que nossas máquinas tenham catalisadores e queimem diesel S10, vão querer que usemos defensivos biológicos que jamais poderão ser produzidos em escala suficiente, vão querer interferir no uso de fertilizantes, nos obrigando a usar esterco e ainda teremos que comprovar se o cocô tem origem certificada... Ops, melhor parar antes que eu acabe dando alguma ideia pra eles. O problema é que nós agricultores cometemos o pecado de trabalhar, produzir e eventualmente até ter lucro (esse sim o supremo pecado, já que não vai pro bolso deles). A ideia, como sempre, é criar um emaranhado de normas e regulamentos com o intuito de criar um ambiente burocrático que seja terreno fértil para a corrupção e para o parasitismo. A intenção é a de sempre...criar dificuldades para então vender facilidades.

    Mais liberdade e menos Estado. É o que o Brasil precisa urgentemente!

    0
    • DALMO HENRIQUE FRANCO SILVA Dourados - MS

      Concordo plenamente,mas mais uma vez pergunto, pra que servem nossas entidades representativas, ou deputados e senadores ruralistas

      0
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Carlos parabens pela sua mensagem----REALMENTE NAO DA" PARA ENTENDER COMO UM JERICO TAO EVIDENTE PODE PERMANECER TANTO TEMPO EM POSTOS DE COMANDO--

      0
    • EDMILSON JOSE ZABOTT PALOTINA - PR

      O culpado de um incompetente estar ocupando este Ministério é o Governo Federal que tem que alocar estes loucos pelo poder. Este Sarney já era da Máfia da Dilma e sempre atrapalhou o Agro. E o que me assusta tamanha demagogia do Presidente Termer em seu Discurso afirmando que o Agro é a Economia que salva o Brasil. Quem está faltando com a verdade ?.A CNA precisa agir urgentemente.

      0
    • DOMÊNICO ANTONIO PERTILE Horizontina - RS

      Todas essas burrocracias irão acabar com a falta de alimento...na gíria agrícola. vão come até os papel.

      0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      He! He! (risos). Vocês acham que o Jegue maior, ou melhor dizendo "o cramulhão" partindo para sua casa eterna, vai nos deixar sossegados. Ele deixou um bando de coisa ruim, se não é de sua prole, são agregados, veja o caso de desvio de verbas do SUS no Maranhão de 2010 a 2013, cujo valor ultrapassa R$ 1,2 bilhão, onde o "suposto" responsável, segundo a PF, é Jorge Murad, ex-cunhado da governadora Roseane Sarney. O pior que o "sistema" político, engendrado pelos próprios políticos, privilegia e perpetua o "Status Quo"...

      0
    • Rodrigo Antonio Noro Ipiranga do norte - MT

      essa familia sarney é uma desgraça para o brasil onde eles fixa o olhar entra a corrupção e não termina nunca mais

      0
    • Euclides de Oliveira Pinto Neto Duque de Caxias - RJ

      Rensi, o Jorge Murad é o marido da Roseane Sarney e, portanto, genro do Jose Sarney...

      0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Desculpem-me ... o correto é Ricardo Murad... OBRIGADO Sr. Euclides, mas a minha afirmação continua sendo verdadeira, pois esse "suposto" responsável deve ser irmão desse marido da Roseana, ou seja, ... É UM AGREGADO !!!

      0
    • Euclides de Oliveira Pinto Neto Duque de Caxias - RJ

      É o irmão do Jorge Murad, portanto cunhado da ex- governadora... tudo em família...

      0
  • ademir jose sari Primavera do Leste - MT

    Quando a pessoa não tem conhecimento técnico o suficiente para cargo que ocupa deveria ser substituido correndo; Melhor deveria pegar o chapéu e dizer tchau..... fui..... Não vou mais atrapalhar quem gera divisas. Além de alimentar uma nação inteira PRESERVANDO O MEIO AMBIENTE!

    0
    • Rodrigo Antonio Noro Ipiranga do norte - MT

      que nem disse um companheiro nosso quero ver esse mundo comer papel

      0
  • EURIVAL GABARRÃO RUIZ José Bonifácio - SP

    Se persistirem esses impasses, é momento de mostrarmos nossa força. Vamos parar tudo. Quem sabe, alguém dá algum valor ao sofrido homem do campo.

    1
  • Aloísio Brito Unaí - MG

    Eu tenho certeza que estão criando mais uma lei absurda e complexa para criar novas repartições e novos empregos públicos para esses verdinhos analfabetos da realidade do campo os quais iremos financiar com nossos impostos. Podem ter certeza disso.

    0
  • Marco Antonio Canello Bragança Paulista - SP

    O Gigante, Ineficiente, Caro e Improdutivo Estado (socialista), mais uma vez quer explorar e avançar sobre quem trabalha e sobre quem produz através de ações burocráticas para arrecadar mais e mais. Isso em nada contribui com o meio ambiente. Se o interesse fosse preservar o meio ambiente seriam realizadas ações governamentais com base nas legislação já existente. A pergunta é: que resultados este ministério apresenta pró meio ambiente?

    0
    • Aloísio Brito Unaí - MG

      O resultado de novos empregos públicos com salários exorbitantes que iremos financiar com nossos impostos e novas taxas. Se não protestarmos pra valer, a atividade pública vai quebrar de uma vez pra sempre esse país!

      0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      He! He! (risos). Agora surgiu mais um imóvel "informal", que segundo a voz do povo, pertence ao ex-presidente. Seria uma mansão cujo valor está na casa de US$ 2 milhões, o imóvel localiza-se na Calle Timbó na paradisíaca Punta Del Este no Uruguai. Ah! Como de costume vai ser a mesma cantinela, pois o imóvel está registrado em nome de uma Offshore ligada ao empresário da Grendene. ... O lulismo é composto de progressistas, de fato, realizaram muito progressos, principalmente naquela famosa frase:... ROUBA MAS FAZ !! ... "Progrediram" a frase para: ... ROUBA MAS FAZ MUITA MERDA ... É só sentir o cheiro do país, andar nas ruas e ver quantas portas fechadas com placas de "ALUGA-SE ou VENDE-SE"... Lojas, onde seus vendedores têm como único"trabalho", teclarem as telas dos seus smartphones, fábricas que têm como empregados, pessoas que fazem a limpeza e segurança de seus prédios, ruas que as calçadas estão cheias de pessoas caminhando na esperança de encontrar uma tábua salvadora, pois sua condição de afogado num mar de lama que o lulismo transformou o país é sufocante... Muitos que ainda se encontram em condições produtivas, empregados, sentem náuseas, pois o fedor que o país exala é do "feitio" que o lulismo "FÊZ" !!! ... O "AR PSICOLÓGICO" DO PAÍS É FÉTIDO !!!

      0
    • Rodrigo Antonio Noro Ipiranga do norte - MT

      os sem terra,indios e anarquistas deviam invadir,tomar e destruir as posses desse desgraçado

      1
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Onde lê-se: fábricas que têm como empregados ... Leia-se: fábricas que têm como únicos empregados ...

      0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Sr. Marco, o termo "meio ambiente" é uma ideia doida dos tapados ambientalistas... Me responda quando você está na sala, você consegue separar "meio ambiente" da sala, para desfrutar dessa "metade"? Na minha santa ignorância NÃO EXISTE MEIO AMBIENTE... EXISTE AMBIENTE !!! Todos os elementos que compõem o ambiente têm inter relações, logo é ... ÚNICO !!!

      0
    • Marco Antonio Canello Bragança Paulista - SP

      Pois não Paulo, pode ser chamado de ambiente, como queira, continuam válidos os comentários aqui expostos.

      0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Sr. Marco, desculpe-me a minha falta de habilidade em comunicar-me, mas quando falei sobre o uso do termo, não me referi ao Sr. e, sim ao conceito dos ambientalistas, que de realidade em suas visões, só existem as telas de seus smartphones... Ali eles fazem chover, produzem alimentos saudáveis, salvam animais em extinção, impedem desmatamentos ilegais e "muitos eteceteras", pois clicam e enviam suas assinaturas através das ONGs. Falta eles exigirem do Estado o direito de uma nova conformação física da raça humana... Qual seria?... Humanos com QUATRO braços !! ... Para quê ??... Dois braços são para mexer no celular e os outros dois para trabalhar !!!

      0
    • Marco Antonio Canello Bragança Paulista - SP

      Não há o que se desculpar Paulo, eu entendi suas colocações, e fico feliz de ver como os que aqui se manifestaram tem um entendimento comum dos problemas que os maus políticos nos causam. Concordo também com todos aqui que falaram que deveríamos nos organizar para defender contra os absurdos.

      0
  • carlo meloni sao paulo - SP

    O CERTO SERIA NOS' JUNTARMOS PARA FAZER UM ABAIXO ASSINADO PEDINDO A SUBSTITUIÇAO DO MINISTRO...

    3
  • Jurandir Alexandre Lamb Cascavel - PR

    esse dai ta mais que gagá, tá na hora de por pra rua...

    0
  • José Roberto de Menezes Londrina - PR

    Para o bem do Brasil e dos brasileiros é mais prudente trocar o ministro.

    0
  • Euclides de Oliveira Pinto Neto Duque de Caxias - RJ

    Ele está querendo aparecer... não têm nada para fazer... já basta a quantidade de problemas que os produtores rurais precisam resolver, e ainda precisam aturar um bestalhão que não entende nada de nada...vai capinar uma roça e fazer alguma coisa que preste...

    0
  • Bertholdo Fernando Ullmann Patos de Minas - MG

    Quanto mais "ESTADO", pior fica a situação de quem quer trabalhar...

    0
    • marcio aldir graf Manoel Ribas - PR

      amigo, se colocar o estado pra administrar o deserto do saara, em 2 anos, vai faltar areia....

      0
  • Carlos William Nascimento Campo Mourão - PR

    Não esqueçam de incluir a pequena agroindustria nesta lei. Aquela que é do produtor rural, que fica na sua propriedade.

    5
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Porque nao incluir as titicas de galinhas soltas, o coco dos passarinhos sobre as latarias dos carros estacionados, o cocô dos cachorros nas redondezas das residencias, o esgoto da pia da cozinha e do banheiro, entao a fumaça do churrasco nem falar, os venenos para as formigas que se você nao fizer cavam buracos enormes debaixo dos alicerces, os morcegos que espalham doenças.......

      2
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Sou simplesmente uma voz, penso, minha sombra já é invisível, logo minhas inserções nesse espaço, são simples palavras ou signos de um velho matuto, sinto, é o pouco que me resta.

      Você é lapidado de acordo com as arestas morais ou éticas da sua sociedade temporal. Lógico que uma sociedade não é um leite homogeneizado, existem muitas e grandes diferenças e, durante décadas os "leites diferentes" protagonizaram os mandatários governamentais. Nossa parte leiteira, tornou-se uma massa onde nós somente entravamos para participar da produção de ricota, ou seja, éramos considerados uma matéria prima de segunda ordem, pois a ricota é obtida do soro, um subproduto da produção do queijo.

      Faço essa pequena introdução para que o entendimento dos leitores e escritores das mensagens no espaço ganhem uma devida conotação... Não adianta reclamarmos, somos vistos como soros, matérias primas de segunda ordem.

      Façam uma comparação... Na atividade rural seu patrimônio fixo e variável monta R$ 20 milhões e você tem um lucro liquido de 5% a.a. ... "Quando corre tudo dentro dos conforme" ... Este mesmo patrimônio na área industrial ou comercial, qual é a média de lucro que os setores apresentam? ... Será que não é o dobro ou o triplo ???

      Isso sem falar no setor financeiro, mas infelizmente esse setor é o que apresenta os maiores entraves para fazer parte do butim.

      Não adianta brigarmos por mais leis ou mudança de regras... DEVEMOS EXIGIR MENOS ESTADO !!!

      0
    • Euclides de Oliveira Pinto Neto Duque de Caxias - RJ

      Caro RENSI, concordo com suas projeções sobre rentabilidade nos empreendimentos a que nos dedicamos - agricultura e agronegócio. Desde tempos imemoriais, a atividade rural sempre foi considerada como a "ricota", na feliz simbologia que você utilizou, para indicar o nível de importância dado à agricultura, comparado às outras atividades comerciais, industriais e de intermediação financeira ("juristas")... somente se esquecem que a nossa atividade é a mais importante, porque sem ela não existe mais nada... ninguem come CDB, RDB, letras do Tesouro, notas de dólar ou reais...

      A intromissão do Estado em qualquer atividade é sempre danosa, quando extrapola certos limites de oportunidade e conveniência, ainda mais numa atividade como a nossa, que requer muita dedicação, longo tempo de espera, diversos riscos imprevisíveis e outros fatores que a colocam como a atividade mais propensa a apresentar prejuizos, diferente das demais atividades, que, como você elencou, apresentam resultados fabulosos... até porque os melhores resultados são obtidos pelos grandes grupos multinacionais, que controlam toda a cadeia produtiva e comercial do agronegócio, inclusive ditando os preços para aquisição de matérias primas e comercialização da produção, atividade típica dos oligopólios existentes. E a atuação do Estado deveria ser no sentido de proteger os produtores rurais - sem criar óbices para o desempenho de suas atividades, atuando nas áreas para as quais, constitucionalmente, foram criados. Já seria mais que suficiente...

      0