Problema sanitário da Fazenda Marabá pode perdurar por mais de dois anos, diz IMA

Publicado em 10/04/2019 17:31 e atualizado em 12/04/2019 11:27
1819 exibições
Álvaro Salles, diretor do IMA, mostra-se preocupado com as consequencias para o algodão causadas pelo abandono de áreas da Fazenda Marabá, em Campo Verde, município exemplar nesse cultura. O Notícias Agrícolas tem o posicionamento do Indea e do Ministério Público da comarca de Campo Verde (MT).. (Acompanhe abaixo a entrevista com Alvaro Salles - Diretor Executivo do IMAmt)
Alvaro Salles - Diretor Executivo do IMAmt

Podcast

Entrevista com Alvaro Lorenço O. Salles - Diretor Executivo do IMAmt sobre a Fazenda Marabá

Download

Em entrevista ao Notícias Agrícolas, o diretor do Instituto Matogrossense de Algodão (MT), Álvaro Salles, deixou claro que a questão sanitária causado pela fazenda Marabá no município de Campo Verde "é um problema de todo o Estado". Para Álvaro, a situação "não pode continuar da maneira como está", e que esse caso deve servir de exemplo e alerta para novas ações que poderão ser concedidas à empresas em processo de recuperação judicial.

No caso das "RJ" para empresas agrícolas há necessidade de haver uma exigência limitante na questao sanitária. "A empresa não pode abandonar a área, permitir um descalabro fitossanitário para ser resolvida pelos órgãos do Estado, e, pior, deixar as consequencias para os vizinhos resolverem", diz o diretor do IMA.

Já o INDEA (Instituto de Defesa Agropecuária do MT) informa ter enviado técnicos nas área da Marabá e que ações envidadas "estão sob controle", diz o seu presidente Tadeu Mocelin. De acordo com ele, na safra passada a Marabá recebeu 4 notificações e 3 multas (de valor irrisório, R$ 3 mil), que foram deconsideradas pela administração da fazenda.

Com o agravamento da situação, em novembro passado o Indea chegou a interditar as operações da fazenda, mas a interdição acabou sendo desautorizada após as providencias adotadas pela Marabá. Segundo o presidente do Indea, a fiscalização foi diminuida após circular a informação de que a fazenda teria assinado um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) com o Ministério Público.

Consultado pelo Notícias Agrícolas, o promotor ambiental da comarca de Campo Verde, Marcelo dos Santos Alves Correa, disse desconhecer a assinatura desse TAC, e que no momento a promotoria baseia-se nos relatos trazidos até ele pelos fiscais do Indea.

--"Não é nossa tarefa fazer a fiscalização, mas sim a tomada de ações judiciais. Nós agimos conforme a Lei e conforme os relatos que nos passam os fiscais do órgão. No caso das ações da safra passada, agimos quando a fazenda não respeitava o periodo do vazio sanitário. Após uma 3a. fiscalização, fomos informados que ações de extinção das soqueiras e rebrotes estavam sendo adotadas, por isso suspendemos a interdição. Agora, no caso atual, estamos aguardando novas informações do órgão fiscalizador (o Indea). 

O Notícias Agrícolas vai continuar acompanhando o caso devido às consequencias às atividades agrícolas na região e também as suas implicações no tocante à regulamentação das concessões de recuperação judicial entre as empresas em estágios pré-falimentares.

Leia mais: Praga "RJ" extermina com a fazenda Marabá de Campo Verde (MT)

Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

    Esse velho matuto vem há muito tempo "enchendo os piquá" do sr. João Batista, aqui do Notícias Agrícolas. No caso da matéria sobre os "problemas sanitários da Fazenda Marabá podem perdurar por mais de dois anos, diz IMA", onde ele mostrou aos "órgãos competentes" da administração pública como eles estão errados nas suas atitudes, pergunto: Cadê os "representantes" da FPA? Estão pagando promessa em alguma romaria? Por que ninguém se manifestou até agora? Ah! Eles não leem o site NOTICIAS AGRÍCOLAS!
    Essa "exposição" que o N.A. está fazendo sobre o assunto é ou não é correta?...
    Sr. João, muitos vão dizer que sou um "puxa saco" mas, a classe fica devendo mais essa para o SENHOR!
    Ah! Voltando ao assunto do inicio do comentário. Quando é que vamos ver o SENHOR CANDIDATO AO SENADO FEDERAL?
    A ex-repórter do Canal Rural, Ana Amélia Lemos, fez um belo trabalho no Senado Federal. Agora está na hora, ou já passando da hora, que outro ex-repórter do Canal Rural, mostre o seu valor.
    Veja que sou insistente, cutuquei em 2014, 2018 e em 2022 não sei se vou estar vivo para cutucá-lo mais uma vez. Mas, a esperança vai continuar viva pois, lá o SENHOR vai ser muito útil para a classe e para o Brasil.
    .... "E VAMOS EM FRENTE " ! ! ! ....

    4
    • JOSE MARIO DA ROCHA FROTAJAÚ - SP

      Este é o prezado e dileto colega Biafra!!!!!

      1
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      Achôôô !!! ... Falou José Mario... Saudades dos tempos antigos ...

      1