Cotações do boi se mantém estáveis em SP, mas aumentam expectativas de alta com necessidade de reposição dos estoques de carne

Publicado em 31/08/2016 12:42 e atualizado em 31/08/2016 13:28
357 exibições
Margens de frigoríficos melhoram, porém continuam abaixo da média histórica

O mercado do boi gordo continua travado, ainda sem oferta para abastecer as indústrias e sem grandes números de consumo para que esta tendência mude a curto prazo, como aponta o analista Alex Santos Lopes, da Scot Consultoria.

Os negócios em São Paulo hoje giram em torno de R$150/@ a R$151/@, com algumas indústrias pressionando o mercado e pagando cerca de R$149/@, mas ainda não de forma expressiva.

As indústrias continuam pulando dias de abate. Se houvesse maior demanda, os volumes de abate estariam melhores, acredita o analista.

Na segunda quinzena do mês, a falta de oferta e a pouca entrega de boiada enxugou o estoque de carne, dando fôlego e melhorando as margens. “É esperado que isso dê fôlego para o consumo e há possibilidade de a carne bovina subir. Se isso acontecer, pode ser que as margens melhorem e abra espaço para frigoríficos pagarem mais pela arroba”, diz.

A demanda, por sua vez, não deu nenhum sinal de melhora. As indústrias frigoríficas conseguiram ajustar o preço da carne com osso, mas na primeira semana do mês deve ter mais ajustes na demanda.
O mercado futuro de outubro e novembro entre R$155/@ e R$156/@. Perdeu consistência de melhora, mas ainda é um mercado que está barato, como aponta o analista.

Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário