Sem força de frigoríficos grandes próximos, boi em Presidente Prudente não chega perto do valor de antes da vaca louca

Publicado em 14/06/2019 13:06 e atualizado em 14/06/2019 15:50
975 exibições
Média dos negócios relatados pelo presidente do Sindicato Rural é de R$ 153. Indústrias pequenas, sem vendas para China e com mercado interno devagar, estariam cautelosas. Pode melhorar quando JBS (Lins e Andradina) e Marfrig (Promissão) precisarem comprar animais mais longe.
Carlos Roberto Biancardi - Presidente do Sindicato Rural de Presidente Prudente/SP

Podcast

Entrevista com Carlos Roberto Biancardi - Presidente do Sindicato Rural de Presidente Prudente/SP sobre o Mercado do Boi Gordo

Download

LOGO nalogo

Na região de Presidente Prudente/SP, as referências para o boi gordo não estão nos mesmos patamares que estavam antes do caso atípico de vaca louca. Por outro lado, os grandes frigoríficos estão em busca de grandes lotes para compor as escalas de abate já que ficaram fora das compras por 10 dias.

Segundo o Presidente do Sindicato Rural da localidade, Carlos Roberto Biancardi, o mercado está se ajustando aos poucos e os frigoríficos já voltaram às compras. “As escalas não estão muito longas e tivemos alguns negócios nesses dias com a arroba ao redor de R$ 153,00. A tendência é que a cotação aumente já que as indústrias precisam compor as programações de abate”, comenta.

Com relação aos estoques, a liderança salienta que os produtos estocados podem ser destinados para a China. “Não houve uma interrupção e as empresas não disseram que tinha que ser apenas animais novos. Então, as indústrias frigoríficas vão acabar com seus estoques nesses dias”, relata.

Por: Giovanni Lorenzon e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário