Com falhas nas escalas de abate, frigoríficos podem ofertar preços maiores para a arroba nesta semana

Publicado em 04/11/2019 12:44 e atualizado em 04/11/2019 15:21
696 exibições
Na última sexta-feira, as programações no estão de São Paulo ficaram próximas de 3,3 dias úteis e esse cenário de falhas nas programações devem se estender até as próximas semanas. No mercado futuro, o vencimento outubro/20 atingiu o patamar dos R$ 194,00/@.
Douglas Coelho - Sócio da Radar Investimentos

Podcast

Entrevista com Douglas Coelho - Sócio da Radar Investimentos sobre o Mercado do Boi Gordo

Download

LOGO nalogo

No estado de São Paulo, as indústrias frigoríficas estão com buracos nas programações de abate devido à falta de animais. Diante desse cenário, as empresas podem ofertar preços maiores para o boi gordo ainda nesta semana para preencher os buracos nas escalas de abate.

De acordo com o Sócio da Radar Investimentos, Douglas Coelho, as escalas de abate registram o menor nível nos últimos trinta dias. “Atualmente, as programações estão em torno de 3.3 dias úteis. As operações das indústrias nesta semana e na próxima semana estão com falhas e tem necessidade de compras mais urgentes”, relata.

O mês de outubro bateu recorde de exportações de carne bovina in natura, na qual foi embarcado 160,1 mil toneladas. “Na primeira semana do mês, o volume exportado apresentou um ritmo forte se comparado com a primeira semana e o mercado estava esperando por exportações recordes, mas é claro que a confirmação só carimba esse sentimento nos participantes”, comenta.

Historicamente o mês de outubro sempre registra um volume maior exportado. Para o mês de novembro e dezembro, as perspectivas de mercado apontam que a demanda externa vai continuar aquecida. “O número de plantas habilitadas em setembro foi relevante e esse desempenho de outubro é reflexo disso. Estamos muito confiantes para os próximos meses”, destaca.

Com relação aos preços, Coelho ressalta que as referências para o boi comum em São Paulo estão próximas de R$ 170,00/@, à vista e livre de impostos. No caso do animal com padrão exportação, os preços giram ao redor de R$ 173,00/@, à vista e livre de impostos. 

No mercado futuro está refletindo o otimismo com as mudanças da nova metodologia do indicador Esalq. “A Bolsa Brasileira e os órgãos envolvidos fizeram o papel de atualizar e a partir de janeiro/20 o indicador será ponderado por volume e vão ser incluindo frigoríficos de inspeção SIF”, conclui.

Por: Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário