Boi de boiada X touro melhorador, entenda as diferenças e as vantagens de um bom investimento

Publicado em 04/05/2021 18:27 e atualizado em 04/05/2021 18:58 1364 exibições
Ricardo Viacava - Diretor da CV Nelore Mocho
Brasil tem potencial de consumo de 300 mil touros/ano, mas atualmente mas mercado trabalha apenas com 20% desse volume

Podcast

Entrevista com Ricardo Viacava - Diretor da CV Nelore Mocho sobre o Mercado do Boi Gordo

Download

LOGO nalogo

Em entrevista ao Notícias Agrícolas, o diretor da CV Nelore Mocho, Ricardo Viacava, destacou que o período de seca está comprometendo a qualidade dos pastos e os pecuaristas não conseguem mais reter os animais. "Nós estamos a mais de 60 dias sem receber chuvas na nossa região e quem tem boi terminado precisa entregar e acredito que os preços devem continuar pressionados”, afirma. 

Os atuais preços da arroba ainda remuneram os pecuaristas, mas está complicado planejar os custos de produção para os animais que vão ser confinados no segundo semestre deste ano. “O terminador está com as margens apertadas com o ágio do kg do bezerro frente a arroba do boi que está em 50%. Outro ponto que pode afetar o confinamento são os aumentos na alimentação e que os custos vão passar de R$ 400,00/@”, comenta. 

Com os preços da arroba valorizados, os pecuaristas precisam aderir às novas tecnologias e genéticas na produção do gado. “O Brasil tem potencial para produzir 300 mil touros por ano, mas tem muitos pecuaristas que acham que é um investimento caro, só que se colocar na ponta do lápis vai ver que não é, já que o retorno financeiro é muito rápido”, destaca.

O touro de cabeceira de boiada está em torno de 30 arrobas e o touro melhorador está próximo de 60 arrobas. “Investindo em um animal melhorado geneticamente vai ter um retorno de 40% até a segunda safra somente com o ganho de peso”, informou. 

Viacava ressalta que o pecuarista deve ficar atento às características que o animal tem e que pode beneficiar na propriedade. “Os investidores querem realizar uma compra com muita precisão e específica de acordo com é necessário para a produção melhorar”, ressaltou. 

Confira a entrevista completa no vídeo acima

Marca CV abre temporada de vendas com oferta de quase 1.000 animais

A seleção CV Nelore Mocho abre a temporada de leilões 2021 entre os dias 18 de julho e 2 de agosto serão ofertados quase 1.000 animais, entre vacas, novilhas e touros PO, todos com avaliação da ANCP e garantia de fertilidade.

Maior vendedor de touros Nelore mocho do Brasil em 2019, Carlos Viacava, titular da marca CV, comercializou 2.123 animais no ano passado, com destaque para a venda de 1000 touros e matrizes para reprodução.

Neste primeiro leilão, todos os animais serão ofertados a preços fixos. Os vídeos dos lotes e as informações completas de cada um estarão disponíveis para consulta no hotsite da marca CV. Os animais não vendidos até o dia 30 de julho serão colocados à venda em dois leilões, sendo os touros oferecidos no dia 1º de agosto, e no dia 2, as fêmeas.

Por:
Aleksander Horta e Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário