Publicidade

Sumário da Pecuária Brasileira reavalia tamanho do rebanho brasileiro e mede participação do setor na economia

Publicado em 28/07/2021 12:36 e atualizado em 28/07/2021 15:12 1614 exibições
Maurício Palma Nogueira - Diretor da Athenagro e Coordenador do Rally da Pecuária
Você sabia que para cada 1 real investido numa fazenda de gado de corte outros 5 reais circularam na economia? E que o Brasil já não tem mais um boi para cada habitante? Conheça a pecuária brasileira

Podcast

Entrevista com Maurício Palma Nogueira - Diretor da Athenagro e Coordenador do Rally da Pecuária sobre o Mercado do Boi Gordo

Logotipo Notícias Agrícolas 

A Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (ABIEC) em parceria com a Athenagro realizaram um levantamento sobre a pecuária brasileira sobre o tamanho do rebanho bovino e a representatividade na economia brasileira. O estudo apontou que ao invés das 214 milhões de cabeças, foram consideradas 187,55 milhões de cabeças.

De acordo com o Diretor da Athenagro e Coordenador do Rally da Pecuária, Maurício Palma Nogueira, a medida que a pecuária foi evoluindo foi encontrando diversas divergências sobre o tamanho do rebanho. "Quanto mais produtiva for uma fazenda e quanto mais cedo foi abatido os animais é maior a chance da fazenda ser considerada improdutiva, pois não tem estoques de animais antigos e pesados”, afirmou em entrevista ao Notícias Agrícolas. 

Publicidade

No entanto, o estudo vai passar por uma reavaliação nos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais que contam com muitos números de cabeças de gado. “Nós vamos dar uma revisada no critério, mas o número de cabeças no Brasil vai ficar muito parecido com o que temos atualmente. Não é que o número está errado, mas fomos um pouco rigorosos nos critérios para calcular o fluxo de rebanho entre um estado e outro”, relatou. 

A pecuária brasileira modificou a estrutura do rebanho com o passar do tempo, sendo que hoje o animal é terminado mais pesado e mais cedo. “Quando analisamos o rebanho percebemos que temos um menor percentual de animais improdutivos. Uma lotação em uma fazenda proporciona uma produtividade muito maior do que na década de 90”, comentou. 

Apesar da queda de 4,1% no produto interno bruto (PIB) do Brasil, a participação da pecuária no PIB brasileiro aumentou e passou de 8,4% em 2019 para 10% em 2020. “A economia de pecuária de corte girou ao redor de 747 bilhões de reais no País no ano de 2020 e teve um crescimento de 20,8% frente ao ano de 2019”, destacou. 

Confira o relatório completo AQUI

Por:
Aleksander Horta e Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário