Produtor do ES já tem quebra de 30% na produção do Conilon; falta de mão de obra pode comprometer ainda mais a produção

Publicado em 04/05/2020 16:22 e atualizado em 05/05/2020 10:32 3164 exibições
Jaeder Fiorentini - Cafeicultor em São Gabriel da Palha/ES
Entrevista com Jaeder Fiorentini - Cafeicultor em São Gabriel da Palha/ES sobre a Colheita do Café Conilon

Podcast

Entrevista com Jaeder Fiorentini - Cafeicultor em São Gabriel da Palha/ES sobre a Colheita do Café Conilon

Download

 

LOGO nalogo

A colheita do café conilon começou há uma semana em São Gabriel da Palha/ES e os produtores já dectaram uma quebra de 30% na produtividade de café. "Os pés estão bonitos, as rosetas estão apresentáveis, mas quando se joga na peneira não está tendo um rendimento que a gente esperava", destaca o cafeicultor Jaeder Fiorentini. Ainda de acordo com o produtor, em dezembro de 2019 aconteceu episódios de sensação térmica acima de 40ºC, além de grandes problemas com pragas e que teriam resultado nas baixas. 

Outro problema que está levando preocupações ao produtor, é a falta de mão de obra para trabalhar na colheita do café. Ainda de acordo com Jaeder, trabalhadores de outros estados que normalmente viriam de áreas do Nordeste e Minas Gerais, não estão conseguindo chegar para trabalhar porque são impedidos de cruzar os estados por conta da pandemia do Coronavírus. A preocupação do produtor é que a mão de obra não chegue a tempo de colher o café e aumentar ainda mais a quebra de produtividade do estado. 

Jaeder destaca que no ano passado a região trabalhou com uma média de 115 sacas por hectare e que todos os produtores de São Gabriel da Palha estão preocupados com o baixo rendimento, que deve impactar diretamente no bolso de produtor. A expectativa é que a colheita na cidade seja finalizada no início de agosto. 

Além dos problemas com a produção, a alta nos preços do insumo também acabam influenciando no caixa do produtor. "A alta expressiva do dólar, puxando toda a matéria prima, aumentou-se demais os custos e acredito que esse ano possa ser ainda mais apertado que no ano passado", afirma. O ano passado, segundo o produtor, foi um ano de custear a produção e que em 2020 a tendência é que o cenário se repita. 

Veja a entrevista completa no vídeo acima

 

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário