Café sendo colhido nas Matas de Minas já está 30% travado no mercado futuro; colheita na região está em 10% e clima ajuda

Publicado em 27/05/2020 15:41 e atualizado em 27/05/2020 17:02 1573 exibições
Sérgio Cotrim - Membro da Dir. do Cons. das Entidades de Café das Matas de Minas
Entrevista com Sérgio Cotrim - sobre a Safra do Café na Matas de Minas

Podcast

Entrevista com Sérgio Cotrim - sobre a Safra do Café na Matas de Minas

Download

LOGO nalogo

A colheita do café arábica também começa a ganhar força nas Matas de Minas e após um clima positivo, que ajudou no desenvolvimento da safra e a expectativa é de uma safra de ciclo alta para toda a região. Segundo Sério Cotrim - Membro da Dir. do Cons. das Entidades de Café das Matas de Minas, cerca de 10% da produção já foi colhida. 

A região é composta por pequenos e médios produtores e de acordo com Sérgio, os pequenos produtores não enfrentam problemas com a mão de obra por conta da pandemia, mas os médios produtores podem enfrentar maiores problemas, tendo em vista que os trabalhadores mais idosos, do grupo de risco, não podem trabalhar neste ano. "Está todo mundo relatando que tem menos mão de obra, mas por enquanto estamos avaliando a situação, imaginamos que ao longo da safra isso vai equalizar", comenta. 

Se falando em mercado, Sérgio destaca que o produtor local aproveitou as altas do dólar para travar os preços no mercado futuro e pelo menos 30% da safra sendo colhida. "Essa região é conservadora e a gente visualizava poucas travas futuras, mas esse ano cerca de 30, 35% já foi travada e isso é muito bom pro produtor na Bolsa e nas altas do dólar", destaca. 

Os preços no mercado físico também melhoraram em comparação com o ano passado, a expectativa é que os produtores consigam nessa safra recuperar parte das perdas do ano de 2019, Sérgio cita que os preços muito abaixo do esperado, dando prejuízos ao produtor na safra passada. 

Veja a entrevista completa no vídeo acima

 

 

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário