Estiagem continuará sobre o Centro Sul do País até a próxima semana, alerta o INMET

Publicado em 11/10/2019 12:25 e atualizado em 11/10/2019 16:06
4428 exibições
Apesar de melhora das chuvas na semana seguinte, elas ainda não se apresentam de forma generalizada e cenário ainda compromete o bom andamento do plantio da soja no Brasil. Mudanças mais intensas podem acontecer na passagem de outubro para novembro.
Francisco de Assis Diniz - Chefe do Centro de Análise e Previsão do Tempo do Inmet

Podcast

Previsão do Tempo - Entrevista com Francisco de Assis Diniz - Chefe do Centro de Análise e Previsão do Tempo do Inmet

Download

LOGO nalogo

Nesta sexta-feira (11), Francisco de Assis Diniz, chefe do Centro de Análise e Previsão do Tempo do Inmet, disse ao Notícias Agrícolas sobre o que o produtor rural pode esperar da meteorologia, tendo em vista que muitos agricultores ainda aguardam as chuvas chegarem para iniciar o plantio da safra 19/20.

Segundo mapas do Inmet, o Centro Sul do Brasil ainda sofrerá com estiagem na próxima semana. Apesar das chuvas melhorarem, elas não serão generalizadas e esse cenário pode comprometer o bom andamento do plantio da soja no Brasil. No Mato Grosso do Sul, não há registros de chuvas com bons volumes para plantio. O mesmo ocorre na região norte do Paraná, aonde o plantio ainda não começou, mesmo com o fim do vazio sanitário há um mês. 

Para os próximos dias, as previsões indicam que chuvas podem acontecer em pontos isolados no Mato Grosso do Sul. Uma frente fria deve chegar ao extremo sul do Rio Grande do Sul, mas não deve avançar para demais regiões. As chuvas dos próximos dias também devem se concentrar em Rondônia, Acre e parte do Mato Grosso. A chegada da frente fria também trará um período de estiagem na região Sudeste, Goiás, Distrito Federal, Tocatins e Minas Gerais. 

Segundo Francisco, algumas regiões do Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Santa Catarina já apresentam regularidade de chuva desde o início da safra. As chuvas foram registradas entre 50 e 70 milímetros. 

Por: Carlas Mendes e Virgínia Alves
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário