La Niña só em 2022, diz Molion. Para climatologista faltam condições favoráveis para esfriamento do Pacífico

Publicado em 21/02/2020 14:42
25205 exibições
Safrinha de milho pode ser beneficiada por prolongamento das chuvas; plantio da safra de verão deve ser adiado com novo atraso das chuvas
Luiz Carlos Molion - Climatologista

Podcast

Entrevista com Luiz Carlos Molion - Climatologista sobre o La Niña somente em 2022

Download

LOGO nalogo

Para o climatologista  Luiz Carlos Molion o fenômeno La Niña só deve voltar acontecer em 2022. Segundo o professor, apesar de muito se falar sobre o fenômeno não há indícios da formação do La Ninã para esse ano. "Um dos mecanismos importantes para gerar o La Ninã são os ventos de leste e esses ventos estão muito fracos, o La Niña em geral se forma quando esses ventos estão fortes", explica em entrevista ao Notícias Agrícolas. Molion destaca ainda que ação da força gravitacional da lua também não favorece a formação do sistema. 

Molion explica que as chuvas excessivas na região Sudeste do país coincidiram com o fato de haver frente fria estacionárias na região, aliado ao fato de o Atlântico estar mais aquecido do que o normal, o que aumentou a evaporação; a umidade que veio do oceano acabou favorecendo as condições de chuvas. "Olhando todos os indicadores, eu diria que a chance de ter o La Ninã nesse ano de 2020 e no próximo ano é pequena; ao contrário, a condição deve permanecer neutra", destaca afirmando ainda que as mesmas previsões valem para atuação do El Niño. 

De acordo com o professor, é importante também que o produtor acompanhe as condições de chuvas em outros locais fora do país. "Em particular deve-se acompanhar o inverno nos Estados e Canadá, quando o inverno lá está rigoroso significa que as frentes frias ou a massa de ar polar varrem o continente Norte-Americano, passam pelo Caribe e vem influenciar as chuvas aqui na Costa Norte brasileira, inclusive no Nordeste", destaca.

Molion explicou que é muito provável que o Brasil tenha novo atraso na estação chuvosa em 2020. "Pode ser que haja um atraso de duas a três semanas, indicando que o mês de outubro seja mais seco que o normal", diz. Afirma ainda que as chuvas devam voltar ao normal já no mês de novembro e não deve gerar grandes problemas para o plantio da próxima safra. 

Veja a entrevista completa no vídeo acima

Leia mais: >> Previsão indica chuvas expressivas para o Centro-Oeste e Sudeste no final de semana

 

 

Por:
Aleksander Horta e Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

3 comentários

  • Odilo Antonio Ferst Santiago - RS

    O Rio Grande do Sul está passando por seca, eu não me lembro outra igual... toda a produçâo está comprometida... a Soja deve chegar em uma quebra de safra acima de 55%, a produção agrícola do RS vai deixar de injetar mais de 10 bilhões na Economia do Estado.

    1
    • Elton Szweryda Santos Hortolândia - SP

      Muito triste, terrivel para esses lutadores incansaveis do querido Rio Grande.

      4
    • Geovani Salvetti Ubiratã - PR

      O Paraná não está muito diferente...

      0
    • Elton Szweryda Santos Hortolândia - SP

      Pois é Geovani, onde está o criterio do Deral, analistas, Emater... será que esse povo é comprado?

      0
    • Alex Renner

      Em Candiota/RS choveu do dia 21/01 até o dia de hj uma chuva, calores escaldantes. Perda na produção de 60% a 70%, chegando em algumas localizadas a 100%, cenário este praticamente em todo RS.

      0
  • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

    Dr. Molion, a revista Science Advances publicou no dia 05/02 um artigo sobre o aumento da velocidade das correntes oceânicas e, segundo o artigo, isso é devido ao aquecimento global.

    Sabe-se que o clima é o resultado do aquecimento/resfriamento das águas dos oceanos e, se está havendo uma mudança nesse mecanismo, qual será a consequência?

    2
  • Roni Guimaraes

    Vamos ver se o professor Molion vai acertar de novo..., na safra 19/20 ele foi o primeiro que cantou a pedra que as chuvas demorariam mais que o normal para começar, e não deu outra... Na minha região (Bela Vista de Goias ) o solo foi ficar com condições ideais de plantio só no dia 17 de novembro.

    1
    • EDMILSON JOSE ZABOTT PALOTINA - PR

      No Oeste do Paraná o período ideal começou no final de outubro/início de novembro..., estamos iniciando a colheita e as áreas cultivadas neste período estão demonstrando excelentes produtividades... O complicador foi a janela para o plantio da safrinha, que, para nossa região, é de fundamental importância, pois a produção de frango, suíno, peixe e leite tem neste grão a base da alimentação.... Mas para nossa decepção não fomos atendidos pelo Ministério da Agricultura na solicitação de 15 dias a mais no zoneamento agrícola para a cultura, mesmo esta região sendo a base na produção de proteína animal... Mas como o agricultor é valente , desbravador , empreendedor e responsável , nós irá plantar . Que Deus no proteja ....

      4