DA REDAÇÃO: Milho – Quebra na produção de Uberlândia (MG) é de 20% devido à ausência de chuvas e altas temperaturas

Publicado em 30/04/2014 10:28 e atualizado em 30/04/2014 15:22 570 exibições
Milho: Em Uberlândia (MG), quebra na produção gira em torno de 20% devido à ausência de chuvas e as altas temperaturas. Na região a saca do produto é negociada a R$ 27,00, valor que cobre os custos de produção. Na safrinha, produtores aumentaram a área cultivada, mas estão preocupados com o ataque da Helicoverpa nas lavouras.

A colheita do milho e da soja está chegando ao final na região de Uberlândia (MG). Até o momento, cerca de 90% da área cultivada com o cereal já foi colhida e no caso da oleaginosa o percentual é de 98%. E assim como em outras importantes regiões produtoras do país, a produção de grãos da localidade também foi prejudicada devido à ausência de chuvas e as altas temperaturas. A quebra no milho pode superar 20% e na soja de ciclo médio, os prejuízos são de 40%.

O engenheiro agrônomo e produtor rural da cidade, Júlio César Pereira Junior, destaca que os agricultores enfrentaram problemas com o ataque de pragas, especialmente a falsa medideira. No caso do milho, a quebra da resistência da tecnologia também deixou as plantas mais suscetíveis ao ataque de pragas, situação que encareceu os custos de produção. 

Já os preços da saca do grão giram em torno de R$ 27,00 na região, valor que, na visão do engenheiro, cobre os custos de produção. “O problema é em relação à quebra na safra de verão, com a uma produção menor, a margem de lucros fica um pouco apertada ao produtor rural”, destaca Junior.

Safrinha 

Na localidade, os produtores arriscaram e plantaram o milho no pó. E com o retorno das chuvas, por enquanto, as lavouras apresentam boas condições, mas já existe a preocupação com o clima durante mês de maio, no qual, a cultura estará na fase de enchimento de grãos. Além disso, os agricultores estão atentos ao ataque da Helicoverpa, que é maior nesta safra. Ano a ano, a região tem se consolidado na produção de milho safrinha. 

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário