DA REDAÇÃO: Café – Região da Cooparaíso encerra colheita com quebra de 25% na produção esperada

Publicado em 02/10/2014 13:36 e atualizado em 06/10/2014 13:50 473 exibições
Café: Sudoeste mineiro encerra colheita com quebra de 25% na produção. Cooparaíso contabiliza recebimento de 2,5 mi/sc na última safra e estima que 50% dos cafezais da região não têm condições plenas de produção para 2015.

A colheita de café da safra atual já foi encerrada na região da Cooparaíso, a cooperativa abrange cerca de 126 mil hectares de café na região da cidade de São Sebastião do Paraíso-MG. No entanto, com a estiagem prolongada que perdura na região desde o início do ano a produção sofreu queda de 25%

“Com a estiagem na região nós colhemos 2,545 milhões de sacas de café, uma quebra de 25% em relação ao esperado. A qualidade de bebida foi boa, mas no aspecto o café deixou a desejar. Precisamos colher um volume muito grande para separar os melhores grãos”, disse o gerente de gestão de agronegócio da Cooparaíso, Marcelo Almeida.

De acordo com o representante da cooperativa, as lavouras que já estão depauperadas não recebem os tratos fitossanitários com a falta de água, o que pode aumentar as perdas para a próxima safra. “As lavouras sentiram demais após a colheita. Então, consideramos que mais de 50% dos cafés não tem potencial produtivo. A situação a cada dia que passa está ficando mais séria e o produtor preocupado sem saber o que fazer, a água é o que mais precisamos nesse momento”, afirma.

As chuvas de cerca de 15 mm a 40 mm que caíram nos últimos dias na região induziram duas floradas. No entanto, existem dúvidas quanto ao ‘pegamento’ visto que as lavouras estão desfolhadas. “Se não tiver folha, não tem pegamento. Então nós estamos aguardando a chuva que vem na segunda quinzena do mês de outubro para saber a situação dos cafés”, diz.

Segundo Almeida, mesmo com as chuvas voltando na região o problema de déficit hídrico nos cafezais não será resolvido, elas podem apenas amenizar.

Com relação à comercialização, os preços de venda estão reagindo, mas a maioria dos produtores já venderam seus cafés. “Ainda resta pouca produção, mas esse preço hoje não vai salvar o que já perdemos. São poucas pessoas que tem café armazenado”, ressalta. Na região, a saca do café de bebida dura está na casa R$ 480,00.

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

1 comentário

  • alexandre maroti nova resende - MG

    Pois muitos produtores ja tinham comprometido seus cafés ,e agora e tão numa situação complicada ,as lavouras estragadas ou estressadas ,sem perpesctiva de produção vão ter de gastar para recuperar as lavouras sem nenhuma garantia futura

    0