DA REDAÇÃO: Café: Produção café em Três Pontas/MG é 40% menor em relação a safra passada

Publicado em 03/10/2014 13:28 e atualizado em 03/10/2014 18:30 881 exibições
Café: colheita na região de Três Pontas- MG está praticamente encerrada e quebra na produção chega a 40% em relação a safra passada. Cocatrel deve receber menos de um milhão de sacas e previsão é que safra 2015 seja ainda menor.

A seca segue afetando o cinturão produtivo brasileiro, praticamente todas as cidades produtoras de café registram índices de déficit hídrico próximo às médias históricas. Com isso, a produção da próxima safra fatalmente será afetada devido às condições climáticas, é o que afirma o presidente da Cocatrel, Francisco Miranda Filho.

Dados registrados da colheita atual apontam isso, as cooperativas já começam a quantificar as perdas com a safra praticamente encerrada. De acordo com Filho, a quebra na cidade de Três Pontas-MG chega a 40% em relação à safra passada quando a cooperativa recebeu um milhão e meio de sacas. “Estimamos receber no máximo um milhão de sacas nesta safra, isso com crescimento no número de associados da Cocatrel”, afirma.

Segundo o presidente, a cooperativa já esperava que a safra atual tivesse quebra. No entanto, o mercado relutava em acreditar.

De acordo com Filho, em outras cidades a realidade é parecida. Ele estima que na região Sul de Minas a quebra seja em torno de 30% a 40%. Duas floradas já abriram na região, mas sem chuvas regulares e volumosas fica a dúvida quanto ao ‘pegamento’.

Os cafés além de produzir menos também apresentam qualidade, tamanho e formação de grão aquém do esperado.

O presidente da Cocatrel, acredita que os preços em alta é o que ainda mantém os produtores no mercado. “A realidade só não é pior porque o preço subiu. No entanto, eles ainda não compensam as perdas”, afirma. O preço no Brasil é puxado pelas altas registradas nos últimos dias na Bolsa de Nova York. No entanto, segundo analistas, o produtor deve ter cautela ao vender a produção aproveitando os picos de alta e segurando um pouco de café em estoque para não correr riscos no futuro,

 

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário