Grande volume de feijão carioca vendido em São Paulo entre R$180 até R$210 nos últimos dois dias para abastecer atacado

Publicado em 25/11/2016 13:15
1327 exibições
Teste de fogo está na resposta do varejo. Se a demanda se confirmar, preços podem se sustentar acima dos R$200,00
Confira a entrevista de Marcelo Lüders - Correpar

Nesta semana, houve um grande volume vendido de feijão no estado de São Paulo - de 5 a 7 mil toneladas, de acordo com o analista de mercado Marcelo Lüders, da Correpar. O movimento veio logo após um estabelecimento de piso a R$180 por parte dos produtores, que deu estabilidade para os compradores entrarem no mercado.

Para a próxima semana, portanto, a tendência deve ser de um mercado mais aberto aos empacotadores que serão procurados pelos supermercados para realizar a reposição. Segundo Lüders, aqueles que compraram agora devem vender na próxima semana o produto em torno de R$200 a R$220 a saca.

A expectativa para o consumo também aumenta, à medida em que muitas empresas deverão realizar o pagamento da primeira metade do décimo terceiro salário. Este momento traz uma melhor perspectiva para o mercado de feijão, portanto, somado ao fator de que os produtores do estado terão uma pausa na necessidade de vender nos próximos dias.

"A venda dessa semana foi crucial para voltar a manter um patamar de R$200 e voltar a garantir esse patamar para os próximos dias", diz o analista.

Já para o estado do Paraná, onde se especulava uma entrada antecipada do feijão no mercado, a região sudoeste teve uma perda consolidada de 20% a 30% na lavoura, o que leva muitos produtores a aguardarem as chuvas deste final de semana para salvar o restante da produção. Estes produtores colhem em janeiro para plantar a segunda safra, logo, no Paraná não há volume para abastecer o mercado no mês de dezembro.

Em janeiro, portanto, o cenário de preços se torna uma incógnita e irá depender do nível de suporte do produtor e da quantidade do feijão plantado que escurece.

Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário