Supermercados avisam: o feijão está em falta. No campo, preço bate nos R$ 400

Publicado em 19/02/2019 15:23 e atualizado em 20/02/2019 09:59
4963 exibições
Entrevista com Marcelo Eduardo Lüders - Presidente do IBRAFE sobre o Mercado do Feijão
Marcelo Eduardo Lüders - Presidente do IBRAFE

Podcast

Entrevista com Marcelo Eduardo Lüders - Presidente do IBRAFE sobre o Mercado do Feijão

Download

LOGO nalogo

Os supermercados começam a sentir a falta do feijão carioca e trazem avisos ao consumidor a respeito da falta desse produto, apontando as fortes chuvas que afetaram a segunda safra e ressaltando que os preços devem ficar altos até a próxima safra.

Marcelo Eduardo Lüders, presidente do IBRAFE, ressalta que os produtores perderam e que o desestímulo foi grande. A área plantada de primeira safra também deve diminuir. Assim, a informação mais correta a ser passada aos consumidores, segundo ele, é a necessidade de substituir o feijão carioca por outros produtos.

Lüders visualiza que o consumidor não vai deixar de comprar feijão. Mas, para diminuir o impacto, este pode comprar outros que não o carioca, como o feijão preto, o feijão caupi e até mesmo o feijão branco, importado da Argentina. Para ele, a placa colocada pelos supermercados acaba despertando o interesse de comprar nas pessoas - e isso pode ser visto até como uma estratégia de marketing.

Existem produtores que foram carregando o estoque há algum tempo. Mas, com os preços ultrapassando os R$400, as vendas foram realizadas por grande parte.

Tirando os produtores mais capitalizados, que podem adquirir cultivares que escurecem lentamente, o feijão é um produto que não permite uma armazenagem muito longa.

Aviso feijão destacão2

E leia mais:

>> Feijão: Varejo repassando a alta

>> Aproveite o embalo e surfe na onda do Feijão-carioca

>> Comercialização do Feijão: Estratégia ou coincidência? questiona o Ibrafe

Por: Carla Mendes e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário