Isenção da TEC para importação de insumos de fora do Mercosul pode ser mais atrativa para o milho no momento, diz especialista

Publicado em 20/04/2021 14:46 e atualizado em 20/04/2021 18:13 1144 exibições
Luis Rua - Diretor de Mercados da ABPA
Nova rodada de suspensão do imposto deve valer até dia 31 de dezembro deste ano e abrange não só o milho, mas soja em grão, farelo e óleo

Podcast

Entrevista com Luis Rua - Diretor de Mercados da ABPA sobre a Isenção da TEC

Download

LOGO nalogo


Passa a valer, até dia 31 de dezembro deste ano, uma nova rodada de isenção da Terifa Externa Comum (TEC) para importação de milho, soja, farelo e óleo de soja de países de fora do Mercosul. O pedido para a medida de apoio ao setor de produtivo de carnes havia sido feito no final de março pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) ao Governo Federal.

Leia Mais:

+ ABPA pede ao Min. da Agricultura nova rodada de isenção da TEC para importação de milho e soja de fora do Mercosul

+ Suspensão do imposto de importação do milho: Abramilho defende livre mercado

De acordo com o diretor de mercado da ABPA, Luís Rua, com o atual cenário cambial, será preiciso que os potenciais importadores façam as contas para avaliar a viabilidade. "Neste momento, com o avanço nos preços do milho, é possível que o produtor se sinta mais atraído a importar o cereal do que o farelo de soja, que mostra sinais de afrouxamento no preço no mercado interno", disse.

A decisão da aprovação da retirada temporária da tarifa ocorreu nesta segunda-feira (19) durante reunião extraordinária do Comitê Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior (Gecex).

Em outubro do ano passado o Governo Federal já havia concedido a medida em caráter temporário, valendo até 15 de janeiro de 2021 para produtos do complexo soja e até 31 de março para o milho. 

Entretanto, o setor não utilizou da medida durante este período, suprindo suas demandas com os insumos produzidos no mercado interno ou importando do Paraguai ou Argentina. 

De acordo com Ricardo Santin, presidente da ABPA, quanbdo a solicitação para isenção da TEC foi realizada pela primeira vez no ano passado, a condição de pressão nas margens de lucro do setor de proteína animal era grande, mas desta vez, ele ressalta, está pior. 

 

Brasil pode comprar milho de EUA e Ucrânia após isenção de tarifa, diz ABPA

LOGO REUTERS

Os Estados Unidos e a Ucrânia poderão fornecer milho ao Brasil após o anúncio pelo governo de uma isenção de tarifas sobre as importações do cereal, disse a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) nesta terça-feira.

A entidade afirmou também ter solicitado ao governo autorização para compras de variedades de milho transgênico dos Estados Unidos não aprovados no Brasil, em caso de necessidade emergencial. Tal autorização seria apenas para importação de milho a ser usado na fabricação de ração.

Segundo a ABPA, devido aos altos preços do milho, principal matéria-prima da alimentação animal, a indústria de carnes procura alternativas, incluindo o trigo para compor a dieta de frangos e suínos.

Na segunda-feira, ao divulgar a suspensão da alíquota aplicada aos embarques provenientes de países de fora do Mercosul, o Ministério da Agricultura indicou que busca conter os preços internos dos grãos, pressionados pela valorização das commodities nos mercados externos.

Segundo o ministério, a medida que zera a Tarifa Externa Comum (TEC) do Mercosul deverá entrar em vigor sete dias após a publicação da resolução, o que ainda não ocorreu.

A isenção vale ainda para soja, óleo e farelo, segundo a pasta.

 

Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • jose renato da silva Uberlândia - MG

    Isenta importação de milho e acaba com o acordo CONFAZ na redução na base de cálculo. Ninguém entende esses governos.... Cadê os estados publicarem a redução da base cálculo???? Cobre isso, Notícias Agricolas

    0