Suspensão de frigoríficos pela A. Saudita pode prejudicar preços do frango no Brasil e abalar reputação no mercado externo

Publicado em 07/05/2021 16:11 e atualizado em 07/05/2021 16:55 1890 exibições
Fernando Henrique Iglesias - Analista da Safras & Mercado
Segundo especialista, a situação que mais preocupa no curto prazo será o excedente de produção em solo brasileiro no atual momento de população descapitalizada e altos custos de produção

Podcast

Entrevista com Fernando Henrique Iglesias - Analista da Safras & Mercado sobre a Arábia Saudita suspende 11 Frigoríficos

Download

LOGO nalogo

A suspensão de 11 frigoríficos de aves no Brasil por parte da Arábia Saudita pode trazer consequências imediatas ao Brasil, como excesso de oferta, abalo nos preços e dificuldade de repasse nos altos custos de produção, segundo o analista da SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias. 

+ Arábia Saudita reduziu pela metade o número de frigoríficos de aves brasileiros habilitados

+ Câmara Árabe-Brasileira aponta possível pressão da avicultura saudita para suspensão de frigoríficos do BR

Ele explica que, de maneira mais imediata, a preocupação é com o excedente de produção, uma vez que as plantas suspensas representam 60% do que é exportado de carne de frango para o país árabe.

"Hoje, o Brasil embarca para a Arábia Saudita, em média, 40 mil toneladas por mês de carne de frango. Com essas suspensões, vai sobrar no mercado interno mais de 20 mil toneladas da proteína", aponta.

Este fator é o mais preocupante no momento, uma vez que o mercado brasileiro para proteínas animais sofre com o alto custo de produção, e um excedente desta proporção poderia dificultar o repasse destes custos à ponta consumidora. 

"Além disso, quando um país suspende tantas plantas assim e de forma abrupta, pode causar insegurança nos demais parceiros comerciais e 'manchar' a reputação do Brasil no mercado externo", disse. 

Apesar das possíveis consequências da medida tomada pelo governo saudita elencadas por Iglesias, ele pondera que é preciso aguardar a manifestação oficial do governo do país informando a motivação para a tomada da medida e a duração desta sanção.

 

 

Por:
Letícia Guimarães dos Santos
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário