Mercado do frango teve poucas movimentações de preço durante junho com "queda de braço" entre varejo com menor oferta e população descapitalizada

Publicado em 27/06/2022 14:51
Luiz Gustavo Tutui - Analista de Mercado do Cepea
Tendência é de continuidade de preços sustentados, com oferta curta de pintinhos para alojamento e continuidade das exportações aquecidas

Logotipo Notícias Agrícolas

O mês de junho vai se encaminhando para o final mantendo o movimento lateralizado para os preços do frango, conforme explica o analista de mercado do Cepea, Luiz Gustavo Tutui. De acordo com ele, esta "manutenção" dos preços faz parte de um conjunto de menor oferta, devido às exportações aquecidas, e de uma "queda de braço" entre varejo e consumidor final. 

Segundo Tutui, se comparados os preços do frango inteiro congelado (referência São Paulo) entre o primeiro dia de junho e a última sexta-feira (24), há um ligeiro aumento de 0,3%, cotado em R$ 7,70/kg. "Praticamente estável", disse.

O especialista aponta ainda que a tendência para o início de julho é que a movimentação deva seguir da mesma forma, uma vez que as exportações não dão sinais de que irão diminuir e há a escassez de pintinhos de corte para alojamento. Isso, inclusive, complica a equação quando se fala em aumentar a produção para melhorar os preços internos ao consumidor. 

Outro ponto destacado por Tutui é a sazonalidade, já que em períodos mais frios a preferência de consumo se volta para a carne bovina e suína. "Mas tudo vai depender da competitividade entre as proteínas nesse caso em que o consumidor brasileiro se encontra descapitalizado", afirma.

 

Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário