Com tempo seco, trigo já tem perda de 30% em Ivaiporã (PR) e produtores acionam seguro

Publicado em 13/08/2018 11:35 1979 exibições
Lourival Roberto da Silva Góes - Presidente do Sindicato Rural de Ivaiporã/PR
Período seco atrasou o início do plantio do trigo na região e depois lavouras ficaram mais 45 dias sem chuvas entre os meses de junho e julho. Normalmente, produtividade média fica próxima de 130 a 140 sacas do grão por alqueire na região. Preços estão próximos de R$ 48,00 a R$ 50,00 a saca na localidade, mas produtores fizeram contratos antecipados a R$ 40,00/sc.

Podcast

Entrevista com Lourival Roberto da Silva Góes sobre o Acompanhamento de Safra do Trigo

Download

LOGO nalogo

Na região de Ivaiporã/PR, as lavouras cultivadas com o trigo já têm perdas estimadas em 30% em função das condições climáticas adversas. Com isso, os produtores rurais acionaram o seguro agrícola dessas áreas para evitar prejuízos ainda maiores.  

De acordo com o presidente do Sindicato Rural do município, Lourival Roberto da Silva Góes, o clima seco não contribuiu para o desenvolvimento das lavouras de trigo desde o inicio do plantio. “Na nossa região, a tradição é cultivar o trigo após o dia 15 de abril, sendo a melhor janela de plantio. Em função da estiagem, nos fizemos à semeadura no dia 5 de maio e as chuvas chegaram somente dez dias depois”, comenta.

As últimas áreas cultivadas com a cultura na localidade são as mais penalizadas por conta da estiagem, já que essas lavouras receberam poucas chuvas. “Isso comprometeu o desenvolvimento do trigo, por isso os produtores estão acionando o seguro já que as perdas consolidadas na produção estão próximas de 30% a 40%”, afirma a liderança.

Em anos em que o clima contribui, a produtividade média na localidade chega em torno de 130 a 140 sacas do grão por alqueire, mas nesta temporada ficará por volta de 80 a 100 sacas por alqueire.

O município recebeu nesta última semana uma chuva de aproximadamente 12 mm que ameniza os problemas com a seca na região, mas não recupera parte do potencial produtivo. “Junto com a precipitação também veio o frio e geadas que não afetou as lavouras de trigo, pelo contrario até beneficiou”, destaca.  

Comercialização

Atualmente, as referências para o trigo no município estão ao redor de R$ 48,00 a R$ 50,00 saca, sendo que no inicio da temporada os agricultores fizeram contratos futuros com as cooperativas com valores a R$ 40,00 a saca. “Nestes patamares dos contratos futuros, os produtores conseguem ter lucratividade se a produção for boa, que não é o caso da atual safra”, ressalta a liderança.

Por:
Fernanda Custódio e Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário