FecoAgro/RS aponta avanço no custo de produção da soja e milho para safra 2019/20

Publicado em 17/10/2019 09:57 e atualizado em 17/10/2019 10:49
261 exibições
Custa da soja fica em R$ 57,88 por saca e do milho em R$ 29,23 por saca. Estudo analisou uma série de itens fixos e variáveis, mas também apontou avanço na rentabilidade das duas culturas.
Tarcisio Minetto - Diretor Executivo da FecoAgro/RS

Podcast

FecoAgro/RS aponta avanço no custo de produção da soja e milho para safra 2019/20

Download

LOGO nalogo

Um Levantamento divulgado pela FecoAgro/RS traz estimativa atualizada para as safras de verão no Rio Grande do Sul e aponta que houveum avanço no custo de produção tanto para a soja e como para o milho na região. O Notícias Agrícolas conversou nesta quinta-feira (17) com arcisio Minetto - Diretor Executivo da FecoAgro/RS para entender os númeos e os impactos que o aumento pode trazer ao produtor. 

No caso do milho, o aumento foi de 2,02% no custo total e 1,58% no desembolso. O estudo chegou a um valor estimado de milho de R$ 4.676,61 por hectare (9,5 mil quilos por hectare de produtividade), com o custo médio por saca de R$ 29,23. Já na soja é de R$ 3.473,00 por hectare (3,6 mil quilos de produtividade considerada), sendo que o custo médio por saco de 60 quilos ficou em R$ 57,88.

Segundo Tarcisio a pesquisa é realizada há alguns anos e é uma ferramenta de análise que permite que o produtor estude a situação já no pré-´plantio da safra. "É uma referência, cada produtor tem seu patamar de custo, mas é importante que esses indicadores sejam apurados", afirma.

No levantamento são considerados principalmente os custos variáveis - o que é gasto com máquinas (incluindo combustível, manutenção e reparos), insumos, mão de obra e transporte. Ele alerta ainda que o aumento pode ter variações de acordo com a data que o produtor faz os investimentos. "O produtor que tem a oportunidade de fazer um planejamento melhor na aquisição dos insumos tem um diferencial de custo", afirma. 

O estudo mostra ainda que o produtor que deixa para comprar pouco tempo antes do plantio acaba tendo o custo mais elevado. A analise feita em junho mostra que a variação pode ser de até 2% a mais para quem compra nessas condições. Neste ano os principais itens que puxaram o aumento foram os insumos, fertilizantes, máquintas e implementos do ponto de vista da tecnologia. "A gente sabe que a inovação e a tecnologia vem sempre com custo maior e isso vai sempre impactando naquilo que o produtor faz como investimento",comenta. 

Comparando os custos de produção com os preços ofertados no mercado, no caso do milho, o valor está levemente acima do praticado na primeira semana de outubro de 2018, ou seja, 0,19% superior. Em relação a soja, o preço está inferior em 1,33%, com o preço ao produtor está praticamente no mesmo patamar de 2018 se comparado com os preços de outubro de 2019. Apesar do aumento de custo da ordem de 7%, que vai impactar no resultado para os produtores, ainda assim o resultado esperado é de uma margem positiva de R$ 1.019,80 por hectare no caso da soja e de R$ 427,39 por hectare para o milho.

Confira a entrevista completa no vídeo acima

Por: Guilherme Dorigatti e Virgínia Alves
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário