Greve garante viés de alta no leite, mas poucos vão conseguir recuperar prejuízo; curva de lactação das vacas foi afetada

Publicado em 04/06/2018 10:50 e atualizado em 04/06/2018 12:57
1780 exibições
Análise mostra 4º mês de melhora nos preços ao produtor e pegou uma parte do mercado sem os feitos da paralisação e outra dentro do período do movimento das estradas. Abril captação caiu 2,2% e na parcial de maio, 2,8% menor.
Rafael Ribeiro de Lima - Zootecnista - Scot Consultoria

Podcast

Entrevista com Rafael Ribeiro de Lima - Zootecnista - Scot Consultoria sobre o mercado do leite

Download

LOGO nalogo

Com a greve dos caminhoneiros, muitos produtores de leite interromperam a captação de leite e como não conseguiram escoar parte da produção tiveram que descartar na rodovia a mercadoria. Diante desse cenário, o viés de alta ficou garantido ao produtor, que poucos vão conseguir recuperar parte dos prejuízos.

O zootecnista da Scot Consultoria, Rafael Ribeiro de Lima, destaca que é o quarto mês de alta ao produtor, no pagamento de maio referente à entrega de abril, sendo que os reajustes variaram entre 1,0% a 6,0% dependendo da região e se comparado ao pagamento do mês anterior. “A greve deu sustentação aos preços do mercado Spot e ao UHT que estava patinando no atacado e no varejo”, afirma.

Ainda segundo o levantamento da consultoria, houve uma queda na captação de leite referente ao mês de abril em torno de 2,8%, já no parcial de maio a queda ficou próxima de 2,2% com a paralisação. “A nossa pesquisa tem inicio a partir do dia 15 de cada mês, então pegamos parte do período sem greve e no dia 21 de maio observamos algumas indústrias com a produção parada”, ressalta.

Com a paralisação dos caminhoneiros, a curva de lactação das vacas também ficou afetada em função da redução da ração que não chegava até a propriedade para alimentar esses animais. Entretanto, outros fatores interferiram na produção de leite como as questões climáticas adversas e o aumento nos custos de produção.

Ainda de acordo com o zootecnista, a entressafra vai continuar prejudicando a produção nas regiões centrais e sudeste do país. Enquanto do sul do Brasil, as pastagens de inverno vão ser retomadas com a chegada das chuvas que vai contribuir para a captação de leite. “De maneira geral, o mercado deve seguir firme para o pagamento de junho e 88% dos laticínios falam de alta de 11% em manutenção e 1,0% estima a queda nos preços do leite ao produtor”, finaliza.

Leia também:

>> Mais um mês de alta para o produtor de leite, reajustes variaram até 6,0% frente ao pagamento anterior

Por: Giovanni Lorenzon e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário