Boa plantabilidade significa ter máquinas bem ajustadas, ensina o doutor em mecanização Paulo Arbex

Publicado em 13/04/2020 15:46 e atualizado em 13/04/2020 17:17 1082 exibições
Paulo Arbex - Professor em Mecanização Agrícola na Unesp
Manter a caixa da adubação bem limpinha, por exemplo, também ajuda na produtividade, diz o doutor em mecanização Paulo Arbex, da Unesp de Botucatu

 

 

Podcast

Marcas e Máquinas

Download

 

 

Só o simples fato de o produtor manter suas máquinas (plantadeiras e colhedeiras) devidamente ajustadas, lubrificadas, calibradas --  e, até mesmo, limpinhas -- pode significar um ganho de até 8 sacas por hectare, em média, durante toda a safra, ensina o professor Paulo Arbex, doutor em Mecanização Agrícola da Unesp de Botucatu.

Em entrevista ao repórter Frederico Olivi, do Marcas e Máquinas, o prof. Paulo Arbex mostrou os dados de pesquisas realizadas por sua equipe da Universidade. Elas apontam as vantagens de o produtor ter uma boa plantabilidade em sua lavoura, levando-se em consideração a velocidade da plantadeira no momento da operação, manutenção e regulagens adequadas, além da escolha correta da semente diante da fertilidade do solo. 

-- "Muito agricultores não acreditam no trabalho acadêmico, mas nosso grupo GPD aqui da Unesp fez um trabalho muito forte de extensão nas propriedades que acompanhamos, e podemos garantir produtividades acima de 5 sacas/h de soja por exemplo de uma safra pra outra com simples mudanças de manejo", diz o professor Arbex.

É nesse momento que entram os detalhes. Às vezes tem certos ajustes que podem parecer não ter muita importância, mas, no conjunto, mostram as diferenças. Por exemplo, os quesitos capricho e limpeza. "Uma caixa de adubo com resto de outras aplicações estragam o conjunto e impedem a perfeição. E, como sabemos, o diabo mora nos detalhes...", exemplifica ele.

Outro exemplo utilizado pelo professor Paulo Arbex é o aumento da colheita de grãos da safra brasileira 2019 2020 que este ano vai ultrapassar os 250 milhões de toneladas. Em sua opinião, cerca de 70 por cento desse resultado vem de um plantio bem feito, com máquinas cada vez mais adequadas às condições de solo para as diversas regiões de produção do País.

-- "Plantar bem é meio caminho andado... eu sempre falo que é como numa corrida de moto, no início sai todo mundo junto, mas só os mais preparados conseguem chegar ao final com qualidade"., ensina o doutor Arbex.

(Veja a íntegra na entrevista acima).

 

Fonte:
Marcas e Máquinas

1 comentário

  • Arci Mendes Pompéia - SP

    Quando o produtor entender que 80% da produtividade vem do plantio, vai constatar que a "plantabilidade" é como uma cirurgia, onde equipamentos, instrumentos e equipe, tudo deve estar bem ajustados, "esterilizados" e "in place"! Não é uma questão de manejo, mas de entendimento da importância de colocar a semente no lugar e no momento certo!

    9
    • Cesar Schmitt Maringá - PR

      Há controvérsias. De que adianta uma plantabilidade adequada em um solo mal corrigido, com baixo PH e deficiências..., nem digo de macronutrientes, esses são fundamentais, enxofre, particularmente para o norte do Paraná ou terras roxas, boro no manejo, mostra-se fundamental.... Melhor investir pesadamente no que em agronomia se chama barril de leipzig, estruturar o soja... aí você joga a semente de qualquer jeito e depois compara com um plantio com uma maquina de 300 mil em solos desajustados.

      5