Sistema iLPF apresenta resultados promissores tanto na produtividade agrícola, quanto na engorda de bois

Publicado em 28/04/2020 15:42 e atualizado em 28/04/2020 17:23 1113 exibições
William Marchió - Consultor na Fazenda Santa Brigida
por Frederico Olivi, do Marcas e Máquinas

Podcast

Entrevista com William Marchió - Consultor na Fazenda Santa Brigida

Download

Com aproximadamente 16 milhões de hectares em cultivo no Brasil, o sistema ILPF, de integração da lavoura de grãos com a pecuária e a floresta, tem oferecido para os agropecuaristas resultados bastantes promissores, tanto em produtividade agrícola quanto em mais arrobas/animal por hectare-ano.

O processo de ILPF foi resultado de um trabalho forte do pecuarista que viu no sistema, a possibilidade de criar animais em alta conformidade de acabamento e ainda ter a lavoura como um condicionante de renda. Já a floresta de pinus ou eucalipto entra no sistema, primeiro para dar mais conforto aos animais e depois como incremento no investimento da integração.

Informações que Willian Marchió, veterinário e consultor para o agronegócio trouxe nesta terça feira em entrevista ao jornalista Frederico Olivi do Programa Marcas e Máquinas, indicando também que nesse novo processo há um ganho para o produtor rural em sustentabilidade da propriedade rural e também um maior apelo sócio ambiental.

"No Brasil já existiam outros sistemas em uso desde as décadas de 50, 60, como o Barreirão e o Santa Fé, mas a partir dos anos 2000, com o apoio da Embrapa e da Rede Fomento ILPF seguimos para uma gestão mais organizada das pesquisas de campo e atualmente podemos aplicar essa alternativa  para todos os agricultores do Brasil, atendendo  cada região, respeitando suas diversidades de clima, solo e natureza.

--"Graças a isso saímos de 1 milhão de hectares na década de 1990 para o que temos hoje, cerca de  16 milhões de hectares cultivados com ILPF em todo o Brasil", destaca Marchió.

Para Willian Marchió, que durante 5 anos atuou como Diretor Executivo da Rede Fomento ILPF, hoje o sistema bem administrado pode proporcionar ao agropecuarista uma alta taxa de retorno.

"Para cada real investido no sistema, o agropecuarista tem obtido um retorno de aproximadamente 3 reais para reinvestimento na lavoura ou na pecuária. Meus clientes hoje que atuam com ILPF não voltam mais para o cultivo tradicional. Tem um exemplo, no PADEFE, no DF, que o resultado na colheita de milho consorciado com braquiara atingiu 240 kilos por hectare. Isso a gente não vê em áreas normais". 

No final, Marchió recomenda para aqueles que se interessam pelo assunto que procurem se informar pelo site da Rede Fomento ILPF e tb pelo site da Embrapa e  que visite produtores rurais que hoje já utilizam essa estratégia nas suas áreas de produção.

"Buscar muita informação, participar dos dias de campo e seguir em frente com a iniciativa. Mas tenha certeza que será um caminho sem volta para mais lucro e produtividade, tanto na lavoura quanto na pecuária", orienta Marchió.

Fonte:
Marcas e Máquinas

0 comentário