Em São João (PR), lavouras de feijão e milho apresentam boas condições

Publicado em 10/04/2015 11:34 166 exibições
Em São João (PR), lavouras de milho e feijão apresentam boas condições até o momento. Já para o trigo, os produtores deverão reduzir a área cultivada, cerca de 30%, devido aos altos custos de produção e preços mais baixos. Custos estão ao redor de 45 a 50 sacas do grão por hectare e a média de produtividade é de 50 a 55 sacas por hectare.

A colheita de soja na região de São João (PR) já finalizou e o município alcançou produtividade de 952 mil sacas. 

Arceny Bocalon, presidente do sindicato rural, conta que as lavouras cultivadas durante o mês de outubro tiveram maior produtividade, em torno das 65 a 70 sacas por hectares, já que as condições climáticas foram favoráveis.

No entanto, os produtores que plantaram durante o mês de novembro, a alta umidade favoreceu o aparecimento da ferrugem asiática causando quebra na produção. Em média essas lavouras produziram de 40 a 45 sacos por hectare.

O milho de verão também teve boas condições climáticas durante a colheita, no entanto, Bocalon explica que na safra 2014/15 os produtores da região optaram pela cultura da soja. Por isso, a produção ficou em torno das 320 mil sacas.

Além disso, boa parte dos produtores já comercializou sua produção de soja "na base dos R$ 60,00/sc", afirma Bocalon. Na região as vendas acontecem de R$55,00 a R$ 56,00/sc livre de funrural, então os produtores conseguiram fixar posições antes da queda dos preços no inicio desta semana.

Outro fato é que a associação do município realizou contratos em troca de insumos - com a saca de soja valendo R$ 63,50 - porém poucos produtores realizaram esse tipo de comercialização.

"A sorte nossa foi essa disparada do dólar, porque se nos tivéssemos vendendo como dólar a R$ 2,20 o produtor estaria pegando pela soja R$ 48,00 a R$ 50,00 no máximo, e teríamos um prejuízo muito grande", declara Bocalon.

 

Safrinha

Na safrinha em São João (PR), são cultivados milho, trigo e feijão. No milho 80% da produção é destinada a silagem, haja vista que a região é uma grande produtora leiteira.

No caso do feijão muitas lavouras já estão colhendo, e até mesmo fechando negócios na base de R$ 110,00 a saca. A expectativa, segundo o sindicato, é de 2 mil hectares de feijão, contra 7 mil hectares plantados no ano passado.

"Como o preço em 2013 para o feijão foi elevadíssimo", muitos produtores investiram na cultura, mas a quebra foi significativa em 2014 e parte deles optou por não produzir mais.

Já no trigo, Bocalon conta que os produtores estão desanimados a respeito safra de inverno, e só realizarão o plantio para não deixar a área descoberta. Apenas 70% da área da safra passada foram renovadas neste ano.

"O custo por hectare está em torno das 45 a 50 sacas e a média de produção é de 50 a 55 sacas por hectare. Então precisamos produzir muito bem para poder devolver o financiamento", afirma o presidente.

Tags:
Por:
Fernanda Custódio e Larissa Albuquerque
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário