Produtores finalizam colheita da safrinha de milho em Diamantino (MT) e seguram as vendas

Publicado em 20/08/2018 11:49 e atualizado em 20/08/2018 13:19
881 exibições
Produtividade ficou próxima de 90 sacas por hectare nesta safra, uma queda entre 8% a 10%. Em torno de 40% da safrinha ainda precisa ser comercializada na região e preços giram em torno de R$ 22,00/sc. Para a safra nova, produtores estão preocupados com o tabelamento do frete e a proibição do glifosato. Negócios futuros seguem travados.
Altemar Kroling - Delegado Aprosoja

Podcast

Entrevista com Altemar Kroling - Delegado Aprosoja sobre o Acompanhamento de Safra do Milho

Download

LOGO nalogo

Os produtores rurais finalizam a colheita do milho safrinha no município de Diamantino/MT, sendo que nesta temporada a produtividade teve uma queda em torno de 10%. Contudo, as comercializações futuras da soja seguem travadas devido ao tabelamento dos fretes e da proibição do glifosato.

Segundo o delegado da Associação dos Produtores de Soja e Milho do estado do Mato Grosso (Aprosoja/MT), o rendimento médio das lavouras de milho ficou próximo de 90 sacas do grão por hectare. “Na safra passada, os preços estão muito achatados e não fechava a conta. Então, os produtores diminuíram no uso de tecnologias e refletiu na safra”, comenta.

Para esta temporada, os produtores rurais tiveram que investir em silo bolsas para fazer a armazenagem do milho. “Praticamente, todos os agricultores adquiram a máquina embolsadeira e guardou na própria fazenda”, diz.

Comercialização

Em relação à comercialização, boa parte dos agricultores realizaram vendas antecipas e estão segurando o que resta negociar que gira em torno de 40%, pois tem uma expectativa que as referências possam melhorar nos próximos meses. “Na região, os preços para o milho estão por volta de R$ 22,00 a saca”, afirma.

Safra verão

Em função das incertezas sobre o tabelamento dos fretes, acabou comprometendo a entrega de fertilizantes na localidade que está atrasada em torno de 20%. “Tem produtores que demoraram a comprar, e agora, não consegue fechar negócios, pois as empresas não conseguem fazer os cálculos em cima dos fretes”, afirma.

A proibição do glifosato também já começa a impactar na próxima temporada, sendo que a semeadura da soja está prevista para começar a partir do dia 15 de setembro. “Se vir a chuva, nós já vamos entrar plantando”, finaliza.

Por: Fernanda Custódio e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário