Semeadura do milho safrinha avança para 70/80% em Coromandel/MG e bons preços animam produtores

Publicado em 13/03/2019 10:59 e atualizado em 13/03/2019 15:08
435 exibições
Clima vem ajudando e expectativa de produção é alta, assim como as perspectivas de mercado, uma vez que Minas Gerais tem boa demanda do cereal. Colheita da soja está em 50/60% e produtividade cai de 10 a 15% no município.
Geraldo Emanuel Prizon - Produtor Rural de Coromandel - MG

Podcast

Entrevista com Geraldo Emanuel Prizon - Produtor Rural de Coromandel - MG sobre o Acompanhamento de Safra do Milho

Download

LOGO nalogo

Os trabalhos de plantio do milho safrinha seguem a todo vapor em Coromandel/MG. Após terem que interromper as atividades de semeadura por 10 dias devido as fortes chuvas, os produtores da região já atingiram a marca de 70/80% do total da área plantada.

“As expectativas são boas com relação à produtividade, em que pese esse atraso do plantio pelas chuvas, mas estávamos adiantados com relação ao ano passado. Se continuar dessa forma as expectativas de colheita são boas, mas ainda é cedo para falar com a safrinha que deve começar a ser colhida no final de julho e começo de agosto”, diz Geraldo Emanoel Prizon, produtor rural de Coromandel.

Com o mercado atual apresentando valores na casa dos R$ 30,00, a expectativa de venda também é boa, uma vez que o estado de Minas Gerais possui demanda interna alta, o que facilita a venda da safrinha.

Ao mesmo tempo avançam também os trabalhos de colheita da soja, chegando em 50/60% do total cultivado. Após veranicos em dezembro e janeiro, os níveis de produtividade encontrados até o momento estão entre 10 e 15% menores do que os atingidos na safra passada, que fechou com média de 60 sacas por hectare.

Na questão comercial, poucas vendas foram efetuadas de maneira antecipada e os produtores aguardam que os preços consigam subir além dos atuais R$ 66,00 para fazerem mais negociações e conseguirem uma margem melhor para fechar as contas deste ano agrícola.

Confira a entrevista completa no vídeo.

Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário