Para Céleres Consultoria, cenário do milho no Brasil segue sendo de grande produção na safrinha e queda nos preços

Publicado em 07/05/2020 15:08 e atualizado em 08/05/2020 08:23 3823 exibições
Anderson Galvão - Analista - Céleres Consultoria
Demanda interna segue aquecida e exportações devem retomar crescimento no segundo semestre, mas grande produção tende a pressionar as cotações para níveis mais baixos do que os do início do ano

Podcast

Para Céleres Consultoira, cenário do milho no Brasil segue sendo de grande produção na safrinha e queda nos preços

Download

LOGO nalogo

A segunda safra de milho brasileira segue nos campos se desenvolvendo e, a despeito de problemas com estiagem enfrentados na região centro-sul do país, a expectativa ainda é de grande produção para o cereal nas colheitas que devem começar já no próximo mês.

Segundo o analista de mercado da Céleres Consultoria, Anderson Galvão, as lavouras estão se desenvolvendo muito bem em áreas como Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais e Tocantins e diversas regiões que não costumavam ter cultivo de milho apostaram na cultura em 2020, o que deve ajudar a compensar a queda de produtividade pontuais do sul.

O analista destaca que o cenário então segue sendo de queda nos preços, mas que apesar das cotações estarem menores do que as do início do ano, elas seguem sustentadas pela demanda interna aquecida e por um câmbio bastante favorável com o dólar valorizado ante ao real.

Sobre as exportações, que seguem bem abaixo das registradas em 2019, Galvão aponta o ano passado como ponto fora da curva e acredita em uma retomada deste volume no segundo semestre, finalizando o ano próximo das 32 milhões de toneladas embarcadas.

O analista ainda aponta que, hoje devemos ter algo entre 65% e 70% desta segunda safra já negociadas e recomenda que os produtores que ainda precisam fechar negociações tenham certeza do quanto será produzido e participem do mercado com a finalidade de obter preços médios ao fim das negociações.

A preocupação da Galvão fica por conta da comercialização das próximas safras em 2021. Um possível alívio na crise do Coronavírus e uma retomada da economia mundial poderiam atuar para reduzir a diferença de cotaçãoes do dolár ante ao real. Sendo assim, os produtores estariam comprando seus insumos hoje com um dólar em patamar muito superior ao que irão negociar as vendas da produção no próximo ano.

Confira a íntegra da entrevista com o analista da Céleres Consultoria no vídeo.

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

5 comentários

  • Marco tulio ferreira Cristais - MG

    Será? venha em minas e vai ver a falta que a chuva provocou.

    2
  • José Eduardo Brocco Tapurah - MT

    Somente pra Céleres Consultoria, resto do Brasil sabe que não vai ser assim! Infelizmente essa bosta de corona virus, se não milho ia explodir de preço.

    1
  • Geovani Salvetti Ubiratã - PR

    Milho safrinha do Paraná não dá 50% da produção em relação ao ano passado, plantado tarde, quase todo em março, mais de 50 dias de estiagem e geada essa semana ... acabou com qualquer perspectiva...

    0
    • Clayr Luís Marca Foz do Igua?u - PR

      Dólar a quase 6 x 1... exportações a pleno vapor, não consigo entender... Vc tem certeza que fez algum tipo de análise ????

      5
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Sr. CLAIR, o mercado mundial tem o dólar como padrão. A cotação de CHICAGO é o NORTE do preço. ... ... Sempre vemos US$/bushel, para transformar em saca de 60 Kgs multiplique por 2,20 aí vai dar o valor em dólar pela saca de 60 Kgs , que é o nosso padrão pois, trabalhamos com R$/sc. ... Aí é só multiplicar pela relação dólar/real que você vai ver que o valor é muito maior do que recebemos dos compradores. ... Essa diferença são os impostos a serem pagos, fretes, comissões dos compradores/vendedores, carga/descarga até chegar em CHICAGO... ... Exemplo a cotação MAY 2020 US$ 8,42 X 2,20 = US$ 18,52/sc de 60 Kgs .... US$ 18,52 X 5,84= R$ 108,18/sc (isto posto CHICAGO). Os compradores estão pagando CASCAVEL-PR ...R$ 91,00/sc ... ... ...

      0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      O bushel é uma medida de volume e, embora a gente fale um saco de soja (que também é um volume) mas, esse saco tem um peso padrão "60 Kgs". ... ... O bushel de soja e trigo pesa 27,216 Kgs ... & ... o bushel de milho pesa 25,401 Kgs ... Veja que são pesos diferentes.

      0
  • Pedro de Morais Jata? - GO

    Não chove há tres semanas no sudoese goiano. por aqui não teremos grande produção. longe disso inclusive.

    0
  • DIOGO SABIAO Araçatuba - SP

    Pelo visto, o Estado de São Paulo e os Estados do Sul não representam nada na produção de milho no Brasil, seca severa reportada nesse mesmo site nos quatro estados, grande quebra na safrinha e vem dizendo que teremos boa produção na safrinha... Pura manipulação de preços!

    2
    • LEDENIR PRESA são miguel do iguaçu - PR

      Esse pessoal tem que tirar a "bunda" da cadeira o correr o trecho.

      1
    • nilo otavio baqueta Mamborê - PR

      Aqui, alem da estiagem que ja comprometeu boa parte da produção, tivemos geadas localizadas..., complicado.

      0
    • Jones Ambiel GuaÍra - PR

      Pessoal da análise está precisando rodar as grandes regiões produtoras, além de que não há estoques de milho nos armazéns. Milho vai ter que subir.

      0
    • Fernando Nunes Castoldo Londrina - PR

      Pelo visto pessoal da longe da realidade. Como produtores relataram acima pouca chuva plantio tarde

      0