Estudo no Paraná auxilia produtores de milho a combater a cigarrinha, que tira até 70% da produtividade do milho

Publicado em 28/08/2020 15:23 2758 exibições
Claudinei Antonio Minchio - Prof. da Uninga e Extensionista Municipal do IDR-PR IAPAR-EMATER
Monitoramento das lavouras, planejamento das aplicações desde a safra de soja e manutenção dos inimigos naturais são os segredos para evitar alta pressão da cigarrinha na safra de milho

Podcast

Estudo no Paraná auxilia produtores de milho a combater a cigarrinha, que tira até 70% da produtividade do milho

Download

LOGO nalogo

A cigarrinha é uma das pragas mais importantes na cultura do milho e a pressão dela vem aumentando nas lavouras brasileiras. As perdas causadas pela ação deste inseto podem ser de 70% e ação dele tem sido estudada na região de Maringá no Paraná.

Segundo o professor da Uningá e extensionista municipal do IDR-PR, Claudinei Antônio Minchino, a atuação da cigarrinha chegou a inviabilizar a realização do dia de campo da cooperativa Cocamar em 2019, quando as lavouras experimentais foram dizimadas, e a partir daí, desencadeou uma série de estudos na região.

Para o controle da praga, o pesquisador destaca três pontos principais. O monitoramento das lavouras, o planejamento das aplicações não apenas na safra, mas já desde as culturas anteriores como a soja, e a manutenção da população de predadores naturais, que muitas vezes são exterminadas em aplicações de defensivos para a soja.

Confira a entrevista completa com o professor da Uningá e extensionista municipal do IDR-PR no vídeo.

Cigarrinha no Milho - Claudinei Antônio Minchino - IDR/PR

Cigarrinha no Milho - Claudinei Antônio Minchino - IDR/PR Cigarrinha no Milho - Claudinei Antônio Minchino - IDR/PR

Cigarrinha no Milho - Claudinei Antônio Minchino - IDR/PR

Cigarrinha no Milho - Claudinei Antônio Minchino - IDR/PRCigarrinha no Milho - Claudinei Antônio Minchino - IDR/PRCigarrinha no Milho - Claudinei Antônio Minchino - IDR/PRCigarrinha no Milho - Claudinei Antônio Minchino - IDR/PR

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário