Milho subiu 30% em outubro e manterá tendência altista pelo menos até final do ano, diz Cepea

Publicado em 30/10/2020 17:08 e atualizado em 31/10/2020 19:59 2037 exibições
Lucilio Alves - Pesquisador do Cepea
Projeção para 2021 é de preços menores dos que os atuais, mas ainda em patamares bastante elevados em relação aos anos anteriores. Demanda aquecida interna e externamente, exportações acelerando, problemas com a safra e taxa cambial são os principais fatores de sustentação no momento

Podcast

Milho subiu 30% em outubro e manterá tendência altista, pelo menos, até final do ano

Download

LOGO nalogo

Durante o mês de outubro o preço do milho subiu cerca de 30% no Indicador Cepea, se valorizando por volta de 7% apenas nos últimos sete dias. Na última quarta-feira (28), por exemplo, o patamar atingiu o recorde histórico de R$ 82,67 a saca.

Segundo o pesquisador do Cepea, Lucilio Alves, o contexto atual é bastante favorável para os vendedores e preocupante para os compradores, uma vez que diversos fatores devem sustentar os preços do cereal, pelo menos, até o final de 2020.

Entre eles, o pesquisador cita a firme demanda doméstica e internacional pelo produto, os volumes de exportação que se aproximam das 35 milhões de toneladas estimadas inicialmente, as preocupações com a safra verão e o atraso para o plantio da safrinha em 2021 e, principalmente, as flutuações cambiais com as altas do dólar ante ao real.

Diante deste cenário, Alves destaca que os preços do milho vão seguir firmes no Brasil. Mesmo que as negociações em dólar para o primeiro semestre de 2021 estejam um pouco menores, os patamares seguem muito elevados em comparação com o mesmo período dos anos anteriores.

Confira a íntegra da entrevista com o pesquisador do Cepea no vídeo.

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário