Campanha do medo é compreendida pela população, que sabe diferenciar quem luta contra o pavor

Publicado em 03/04/2020 15:58 e atualizado em 05/04/2020 17:45 2421 exibições
Guilherme Fiuza - Jornalista e Escritor
Entrevista com Guilherme Fiuza - jornalista e escritor, direto do RJ

 

Podcast

Entrevista com Guilherme Fiuza - Jornalista e Escritor sobre a Imagem de Bolsonaro está arranhada?

Download

 

LOGO nalogo

O jornalista Guilherme Fiuza, em conversa com o Notícias Agrícolas, destaca que as atitudes do Bolsonaro estão sendo compreendidas pela maioria da população, que sabe diferenciar suas mensagens contra a paralisia da economia, das campanhas de ódio desferidas por parte da imprensa que deseja desestabilizar o governo.

--“Devemos lembrar que desde o ano de 2019 a politica brasileira foi repleta momentos complicados onde grande parte da mídia atacou Bolsonaro, por exemplo, nas questões climáticas e ambientais, por não aceitar a sua vitória nas eleições presidenciais”, diz o jornalista e escritor carioca, direto do Leblon (RJ), em conversa com João Batista Olivi, do NA.

Fiúza considera que, apesar de todas as críticas ao atual governo, Bolsonaro está cada vez mais forte. “Justamente pelo o fato das pessoas que não são militantes reconhecerem nas noticias nada mais do que tentativas de conspiração. Caso o cenário piore e as pessoas percam a confiança nos dirigentes, o presidente pode ter, sim, um certo desgaste, mas sempre vai ficar na memória de todos que o  Presidente tentou, nas suas falas, acalmar a população.

O jornalista ainda reforça o fato de que,se dependesse das pesquisas,  Bolsonaro não seria presidente.  “Muitas informações buscam indispor o Presidente com os Ministros, fazendo intrigas e fofocas. O fato é que o Brasil nunca foi tão democrático como agora”, completa o jornalista.

(veja a entrevista no vídeo acima).

Pesquisa Datafolha mostra apoio de 59% da população a Jair Bolsonaro

Pergunta "enviezada" - se deveria renunciar ou não - é rejeitada pelos pesquisados. Maioria confia em sua liderança

(Igor Gielow, editor da FOLHA DE SÃO PAULO): 

A renúncia do presidente Jair Bolsonaro em meio à sua atuação no combate à Covid-19 é rejeitada por 59% dos brasileiros.

Já 37% desejam que ele renuncie, conforme vem sendo pedido por políticos de oposição, e 4% não sabem dizer. Foi o que apurou pesquisa do Datafolha com 1.511 entrevistados, feita por telefone de 1º a 3 de abril. A margem de erro é de três pontos.

(trecho do editorial da Folha deste domingo: "Mais da metade dos brasileiros avalia que ele ainda tem condições de liderar o país (52%, na margem de erro) e rejeita a ideia de um pedido de renúncia (59%). A despeito do que podem dar a entender os panelaços diários nas grandes cidades, o pior de seu desgaste se concentra em estratos minoritários de maior renda e escolaridade.")

Apesar de o levantamento apontar que apenas 33% dos ouvidos consideram a gestão da crise sanitária pelo presidente da República como boa ou ótima, 52% creem que ele tem condições de seguir liderando o país. Para 44%, Bolsonaro perdeu tais condições, e 4% não souberam responder.

 

Por:
João Batista
Fonte:
Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Fernando Luis Floriano São José do Rio Preto - SP

    Parabens.... (vários) ao sr. João Batista/Guilherme Fiúza.. . Gostei muito .

    O Trunp aconselha medidas. Aqui os bonitos governadores e prefeitos querem impor autoridade, usando como politica de governo... vergonha.. Sou Bolsonaro..... e sua equipe está de parabens...

    4
    • ricardo pazzanese Londrina - PR

      Muito boa análise do Guilherme Fiúza... faltou falar sobre a recuperação da economia que, em minha opinião, é chegado o momento de vender todas as estatais (menos as de cunho cientifico como EMBRAPA), etc.

      3