Veranico ocasiona perdas na safra de verão no noroeste de Minas Gerais

Publicado em 04/01/2017 09:25
3582 exibições
Sem chuvas há mais de 20 dias e com temperatura média ao redor de 35ºC, lavouras de milho e feijão já registram quebra consolidada em Paracatu. Na soja, retorno das precipitações ainda pode recuperar parte do potencial produtivo das plantas. Previsões indicam algumas chuvas a partir da próxima semana na região.
Confira a entrevista de João Alves da Fonseca - Produtor Rural de Paracatu - MG

Podcast

Sem chuvas há mais de 20 dias, produções de feijão e milho já registram perdas em Paracatu (MG)

Download

 

Na região de Paracatu (MG), há uma preocupação por parte dos produtores por conta da falta de chuvas, que pode impactar diretamente na safra de verão. A situação, que não estava sendo prevista pelos climatologistas, de acordo com o produtor rural João Alves da Fonseca, já traz 20 dias sem chuvas irregulares para grande parte da região e chuvas esparsas em pequenas áreas.

O produtor conta que o "impacto é impressionante", com plantas bastante sentidas e até mesmo mortas em alguns casos, demonstrando os sinais que o clima vem deixando nas lavouras.

Aliadas à falta de chuva, as temperaturas também fazem parte da situação que assola a região. A temperatura média é de 35°C, passando até mesmo a 40°C em alguns casos.

Segundo João, já existem perdas consolidadas, embora ainda não seja possível realizar uma estimativa. A cultura de feijão, conforme ele aponta, tem "uma perda muito considerável". Nas lavouras de milho, há folhas mortas ou queimadas. Já para a cultura da soja, a perda também é considerável, mas ainda difícil de avaliar, já que a cultura possui uma capacidade de recuperação maior.

Ele explica que, se as chuvas retornarem, dependendo da variedade de soja, ainda dá tempo de recuperar os prejuízos - principalmente nas lavouras com ciclo tardio, que ainda não entraram em processo produtivo.

A maioria das previsões climáticas apontam para chuvas firmes depois do dia 13 de janeiro - alguns meteorologistas também apontam o dia 8 de janeiro. No ano passado, o problema foi inverso: a região sofreu com mais de 600mm de chuva, impedindo as safrinhas de milho e sorgo.

As áreas irrigadas ainda passam por uma situação na qual ainda não falta água, devido às chuvas de novembro. No entanto, grande maioria da área é de sequeiro, conforme conta João.

Veja fotos da região:

Lavouras sofrem com a falta de chuvas na região de Paracatu (MG). Envio do produtor rural João Alves da Fonseca

Lavouras sofrem com a falta de chuvas na região de Paracatu (MG). Envio do produtor rural João Alves da Fonseca

Lavouras sofrem com a falta de chuvas na região de Paracatu (MG). Envio do produtor rural João Alves da Fonseca

Lavouras sofrem com a falta de chuvas na região de Paracatu (MG). Envio do produtor rural João Alves da Fonseca

Lavouras sofrem com a falta de chuvas na região de Paracatu (MG). Envio do produtor rural João Alves da Fonseca

Lavouras sofrem com a falta de chuvas na região de Paracatu (MG). Envio do produtor rural João Alves da Fonseca

Lavouras sofrem com a falta de chuvas na região de Paracatu (MG). Envio do produtor rural João Alves da Fonseca

Lavouras sofrem com a falta de chuvas na região de Paracatu (MG). Envio do produtor rural João Alves da Fonseca

Lavouras sofrem com a falta de chuvas na região de Paracatu (MG). Envio do produtor rural João Alves da Fonseca

Lavouras sofrem com a falta de chuvas na região de Paracatu (MG). Envio do produtor rural João Alves da Fonseca

Lavouras sofrem com a falta de chuvas na região de Paracatu (MG). Envio do produtor rural João Alves da Fonseca

Lavouras sofrem com a falta de chuvas na região de Paracatu (MG). Envio do produtor rural João Alves da Fonseca

Por:
Fernanda Custódio e Izadora Pimenta
Fonte:
Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Henrique dos Santos Pereira Diniz Abadia dos Dourados - MG

    Que deus abençoe e mande chuvas volumosas a vcs ai! aqui em Coromandel também tem areas com 15 dias de veranico com perdas consolidadas!

    0