Redução da área de soja nos EUA pode enfrentar obstáculos, diz diretor da ARC Mercosul

Publicado em 13/03/2019 08:34 e atualizado em 13/03/2019 21:43
2359 exibições
Segundo ARC Mercosul, inverno alongado - com muita neve e temperaturas ainda baixas - e questões operacionais podem mexer com decisão do produtor americano. Novas perspectivas para a safra 2019/20 dos EUA irão dividir espaço com a guerra comercial e produtor brasileiro tem de estar atento à comercialização.
Matheus Gomes Pereira - Diretor da AgResource Mercosul

LOGO nalogo

O diretor da ARC Mercosul, Matheus Gomes Pereira, esteve presente nos estúdios do Notícias Agrícolas para destacar algumas informações a respeito dos próximos desdobramentos do mercado de grãos.

Neste cenário, já é possível visualizar que as perspectivas a respeito da safra 2019/20 dos Estados Unidos devem dividir espaço com a guerra comercial entre o mesmo país e a China, questão que ainda se encontra sem definição.

O Brasil, embora esteja bem precificado, ainda pode sofrer novas variações. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou uma estimativa de 113,5 milhões de toneladas para a soja, mas a Bolsa de Chicago (CBOT) ainda não tende a precificar esse valor - isso ocorreria apenas se a variação global fosse mais expressiva a nível de mercado.

Para a safrinha de milho, as chuvas continuam ao longo de março e continuarão até meados de abril, finalizando a janela ideal para a realização da safra no país. 67 milhões de toneladas, assim, seria um número alcançável, segundo o diretor, somando de 93 a 94 milhões de toneladas no total para o cereal.

Com alguns desses fatores em jogo, Pereira recomenda que os produtores estejam atentos à comercialização.

Confira a entrevista completa no vídeo acima

Por: Carla Mendes e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário