Sem referência de Chicago, Brasil tem dia lento de negócios, mesmo com disparada do dólar. Moeda americana tem alta de 1%

Publicado em 02/09/2019 16:41 e atualizado em 02/09/2019 18:29
1156 exibições
Analista alerta para clima americano. Onda de calor prevista para a segunda quinzena de setembro pode prejudicar produtividade das lavouras de milho e soja nos EUA
Eduardo Vanin - Analista de Mercado da Agrinvest

Podcast

Entrevista com Eduardo Vanin - Analista de Mercado da Agrinvest sobre o Mercado da soja

Download

LOGO nalogo

Devido ao feriado do dia do trabalho nos Estados Unidos, os mercados de commodities encerraram esta segunda-feira (02) sem a referência de Chicago. Apesar disso, alguns fatores levantados por Eduardo Vanin, analista de mercado da Agrinvest, merecem a atenção dos produtores rurais brasileiros. Um deles é o clima nos EUA, pois apesar das chuvas dos últimos dias, há a possibilidade de uma onda de calor prevista para a segunda quinzena de setembro, o que pode prejudicar a produtividade das lavouras americanas de milho e soja. 

Outro ponto levantado por Vanin é a tensão comercial entre EUA  e China, que se intensificou com as novas tarifas que foram anunciadas durante o último final de semana. Esse fator tem desvalorizado moedas diante do dólar, como é o caso do Yuan chinês e do Real brasileiro. No caso da moeda brasileira, a cotação do dia fechou a R$ 4,18, a maior durante o período de 1 ano.

Acompanhe a cotação do dólar: >> Dólar fecha em alta de 1% em meio a cautela no exterior

A alta nos fretes marítimos é outro fator que pode compremeter no custo do produtor e nos prêmios. Para Vanin, o produtor brasileiro precisa se atentar a este momento e se planejar, já que no ano passado os prêmios começaram a cair  em meados de outubro e novembro.

Veja: >> Índice de frete marítimo do Báltico registra nova máxima de quase 9 anos

Leia também:

>> Soja: Semana começa com preços fortes no BR frente ao mais alto patamar do dólar em 1 ano

>> Vendas de milho disparam para exportação no Brasil em agosto; minério de ferro sofre redução

>> Balança comercial brasileira tem maior superávit para agosto em dois anos, com queda de importações

>> EUA aumenta impostos sobre a China a partir deste 1º de setembro; Pequim responde

Por: Aleksander Horta e Ericson Cunha
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário