Soja: Brasil amplia competitividade sobre os EUA e preços têm melhor momento de 2019

Publicado em 23/10/2019 17:32 e atualizado em 23/10/2019 18:16
4586 exibições
Lineup nacional aumentou e chega a 68 mi de t; demanda é intensa, inclusive pela soja da safra nova do Brasil. Margens operacionais são bastante positivas e favoráveis ao sojicultor brasileiro neste momento.
Marcos Araújo - Analista da Agrinvest

Podcast

Entrevista com Marcos Araújo - Analista da Agrinvest sobre o Fechamento de Mercado da Soja

Download

LOGO nalogo

O dólar caiu mais de 1% frente ao real e os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago registraram uma nova sessão de estabilidade e terminaram o dia com pequenas baixas. Por outro lado, os prêmios voltaram a subir no Brasil e os valores têm sido importante fator de suporte para as cotações da oleaginosa no mercado brasileiro. 

Os produtores brasileiros estão mais retraídos neste momento, porém, quando o assunto são novos negócios, focados em seus trabalhos de campo e na implantação da safra 2019/20 com a maior eficiência que puderem. Assim, a comercialização, como explicou o analista de mercado Marcos Araújo, da Agrinvest Commodities, acaba ficando em segundo plano. 

Ainda assim, o momento segue muito favorável para a formação dos preços no Brasil, com margens operacionais ainda muito lucrativas, ficando perto de 76% no Paraná e 43% no Médio Norte de Mato Grosso. Referências melhores sendo praticadas na CBOT e mais uma recente valorização dos prêmios ajudam na formação de bons preços, inclusive para a safra nova.

Na íntegra da entrevista, no vídeo acima, confira o cruzamento dos dados de custos de produção contra os atuais níveis de preços para os diferentes estados produtores do Brasil. 

Ainda segundo Araújo, a soja brasileira voltou a mostrar-se mais competitiva frente à norte-americana, o que fez com que o line-up do país aumentasse e já marque quase 68 milhões de toneladas. "Temos um espaço para exportações de até 72 milhões de toneladas, sem risco de desabastecimento. Acima disso, o risco aumenta", diz. 

Como explicou o analista, este é o melhor momento de preços para a safra velha ao longo de 2019, com as referências base porto batendo na casa dos R$ 90,00 por saca e acima. Do mesmo modo, para março e maio do ano que vem, os indicativos são de R$ 87,30 para março, R$ 87,70 para maio por saca da safra nova, também trazendo boas oportunidades. 

BOLSA DE CHICAGO

As cotações da soja na Bolsa de Chicago terminaram o dia com pequenas baixas no pregão desta quarta-feira. Faltam informações que possam motivar movimentos mais intensos das cotações neste momento e a cautela ajuda os traders a se manterem na defensiva. 

Nem mesmo o anúncio da venda de 128 mil toneladas de soja dos EUA para destinos não revelados foi suficiente para impulsionar as cotações nesta quarta. 

A falta de uma confirmação oficial pelos chineses da cota de 10 milhões de toneladas de soja podendo ser importada nos EUA sem tarifação deixa o mercado menos eufórico e ainda na defensiva à espera de mais notícias. 

Do mesmo modo, o mercado também observa, apesar do atraso, a boa evolução da colheita americana e espera agora por mais informações de produtividade. 

Por: Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Lucas Antoniolli Jaciara - MT

    Essas contas não fazem sentido. Essas contas de renda mensal e remuneração do produtor parecem conta de padaria

    Essa perspectiva de crescimento nas exportações para o próximo ano para a soja não consideram um possível fim ou trégua da guerra comercial, são informações que só bagunçam o mercado

    E ainda usar argumentos que enfraquecem a ameaçada Lei Kandir, sendo que a China tem preferência por importar soja grão

    Houve grande imaturidade por parte da entrevistadora

    1