HOME VÍDEOS NOTÍCIAS DADOS DA SAFRA METEOROLOGIA FOTOS

Após início conturbado, safra de soja no MS deve ter alta produtividade, mas janela do milho será comprometida

Publicado em 29/01/2020 10:34
1441 exibições
Expectativa é colher mais de 10 milhões de toneladas com produtividade média de 52 sacas por hectare no estado. Este atraso na safra vai prejudicar a segunda safra de milho com o encurtamento da janela de cultivo e a Aprosoja MS recomenda opção por plantas de cobertura
André Figueiredo Dobashi - Presidente da Aprosoja MS

Podcast

Após início conturbado, safra de soja no MS deve ter alta produtividade, mas janela do milho será comprometida

Download

LOGO nalogo

O início da safra de soja 2019/20 foi bastante conturbado no Mato Grosso do Sul. Os produtores do estado enfrentaram a estiagem e tiveram dificuldades para semear as lavouras, o que atrasou o ciclo da cultura. Com isso, a colheita da safra ainda é bastante tímida e deve se estender até 15 de março.

Segundo o presidente da Aprosoja MS, André Figueiredo Dobashi, depois dos meses de setembro, outubro e novembro registraram poucas precipitações, o clima se normalizou em dezembro e janeiro, o que garantiu um bom desenvolvimento para as lavouras.

A expectativa do estado é registrar média de produtividade de 52 sacas por hectare e superar a barreira das 10 milhões de toneladas, impulsionado por mais de 6% de áreas novas de cultivo neste ano.

As negociações também animam os produtores, já que 50% da safra estão negociados com bons patamares de preços, de acordo com Dobashi.

Porém, o cenário é outro quando o assunto é a segunda safra de milho 2020. A janela de cultivo vai apenas até o dia 10 de março e a recomendação da Aprosoja MS é que o produtor não arrisque o cultivo do cereal fora da janela apostando no bom momento de mercado para o milho.

Dobashi aponta que a opção pode ser por um mix de plantas de cobertura para recuperar áreas de solo desgastado e contribuir para um incremento na produtividade das próximas safras.

Confira a entrevista completa com o presidente da Aprosoja MS no vídeo.

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário