Soja em Chicago já estaria próxima de um piso, diz consultor. Mas recuperação dos preços, só com China voltando às compras

Publicado em 16/03/2020 17:17 e atualizado em 16/03/2020 19:55 6316 exibições
Flávio França Jr. - Chefe do Setor de Grãos da Datagro Consultoria
Soja brasileira é entre 18 e 20 dólares por tonelada mais barata que a americana e demanda chinesa segue firme

Podcast

Entrevista com Flávio França Jr. - Chefe do Setor de Grãos da Datagro Consultoria sobre o Fechamento de Mercado da Soja

Download

LOGO nalogo

Se os preços foram intensificando fortemente suas baixas na Bolsa de Chicago no pregão desta segunda-feira (16) para encerrar o dia com perdas de quase 30 pontos nos principais contratos, o dólar no Brasil renova sua máxima e fecha, pela primeira vez, acima dos R$ 5,00 e com uma alta de mais de 4% somente nesta sessão. 

O movimento se mantém como o mais importante e forte suporte para os preços da soja brasileira, que segue como o produto mais atrativo para os compradores. Nesta terça, os indicativos nos principais terminais nacionais variaram entre R$ 95,00 e R$ 96,00 por saca. E em um dia novo de turbulência, o ritmo de negócios foi muito tímido.  

"O mercado é Brasil agora", explica o chefe do setor de grãos da DATAGRO, Flávio França Junior. "É um bom momento para venda de soja, de milho, e vejo o pessoal aproveitando. E acho que tem mesmo que aproveitar, o importante é só cuidar sobre a destinação dos recursos", diz. 

França lembra ainda que o Brasil já está bem vendido na safra 2019/20 e que isso contribui, inclusive, com uma manutenção também dos prêmios para a soja brasileira. A expectativa da DATAGRO é de que as exportações do Brasil em 2020 alcancem as 76 milhões de toneladas e para o analista, cerca de 70% deste volume já estaria comprometido.  

BOLSA DE CHICAGO

A despencada de quase 3% dos futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago continuam reflexo das notícias ligadas à pandemia do coronavírus. As commodities todas recuaram nesta segunda-feira, e somente no petróleo em Nova York passaram de 9%. 

A aversão ao risco é intensa diante do crescimento do movimento especulativo no mercado, que tenta antecipar quais serão os reais impactos do vírus na economia global. Instituições de todos os tipos, mundo a fora, já reduzem drasticamente suas projeções para o crescimento econômico global e promovem um pânico generalizado. 

E para Flávio França, os preços em Chicago podem testar níveis ainda mais baixos diante da falta de uma notícia positiva que pudesse promover uma recuperação consistente das cotações. "O mercado poderia testar os US$ 8,00, mas sem muito espaço para vir muito abaixo disso". 

Uma vacina ou um tratamento ainda não foram encontrados e, nesta segunda, a OMS (Organização Mundial de Saúde) afirmou que continuam sendo realizados testes em cima de testes, porém, ao mesmo tempo, disseram ainda que já há relatos de mortes de crianças pelo coronavírus. 

Em todo mundo já são mais de 7 mil mortes causadas pelo Covid-19, mais do que o total registrado na China, de 3217, local onde começou o surto. No Brasil, são 234 casos confirmados e mais de 2 mil suspeitos. 

Por:
Aleksander Horta e Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário