HOME VÍDEOS NOTÍCIAS METEOROLOGIA FOTOS

Soja do Centro-Oeste apresenta vigor de vegetação acima da média, mas lavouras do Sul preocupam

Publicado em 08/12/2021 11:48 e atualizado em 08/12/2021 15:33 1086 exibições
Felippe Reis - Analista de Culturas da Geosys Brasil
Especialista da Geosys Brasil destaca boas condições de umidade para a soja de Mato Grosso, Goiás e Mato Grosso do Sul e baixa umidade disponível para as plantas no Paraná, Santa Catarina e, principalmente, Rio Grade do Sul

Podcast

Soja do Centro-Oeste apresenta vigor de vegetação acima da média, mas lavouras do Sul preocupam

Logotipo Notícias Agrícolas

Centro-Oeste tem vigor de vegetação da soja acima da média, aponta Geosys

No Mato Grosso o plantio da soja terminou nos últimos dias de novembro e o desenvolvimento das lavouras segue com NDVI (vigor de vegetação) acima da média, de acordo com os dados do sensoriamento remoto realizado pela Geosys Brasil.  A previsão do modelo europeu (ECMWF) mostra que a umidade do solo deve continuar acima da média, mantendo o cenário favorável para o bom crescimento das plantas na primeira quinzena de dezembro.

Nas áreas de soja em Goiás, o NDVI também está acima da média. Em dezembro, o volume de chuva esperado deverá ser acima de 118mm, menor do que a média para o período, mas a quantidade será suficiente para manter a umidade do solo e refletir no desenvolvimento das plantas. 

No Mato Grosso do Sul, as lavouras de soja apresentam no momento NDVI acima da média, mas houve pouca chuva nos últimos dias, o que provocou queda da umidade do solo. O desenvolvimento da soja poderá ficar comprometido porque a previsão aponta seca, principalmente na região Sul do estado para esta primeira quinzena do mês de dezembro.


Diferentemente do Centro-Oeste, em novembro as áreas de soja da região Sul do país tiveram pouca chuva.  O estado do Paraná teve o novembro mais seco dos últimos 20 anos, a chuva acumulada foi de 66,5mm, contra média de 157,8mm para o mês. O NDVI está abaixo da média, mas apresenta dinâmica melhor em comparação ao mesmo período de 2020, ano de forte quebra nas lavouras de soja devido à seca.

No Rio Grande do Sul o NDVI também está abaixo da média, o segundo pior patamar dos últimos 10 anos. Não há previsão de bons volumes de chuva para as áreas de soja no estado na primeira quinzena de dezembro.

E em Santa Catarina registra situação semelhante. Em novembro o volume de chuva acumulado foi de 69,75 mm, sendo a média de 163,67 mm para o período. Apesar da baixa umidade do solo, o índice de vegetação tem apresentado boa dinâmica nos últimos dias. No entanto, a previsão é de que a seca continue, o que pode limitar o potencial produtivo das lavouras.

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário