Café: Contratos da bolsa de NY fecham em baixa a semana inteira

Publicado em 15/03/2013 18:42
835 exibições
Os contratos de café na ICE Futures US, a bolsa de Nova Iorque, principal termômetro do mercado, fecharam em baixa todos os dias esta semana. Sem um claro posicionamento do governo brasileiro, as cotações vão escorregando semana após semana. No último dia 28 de fevereiro, em reunião do CDPC Conselho Deliberativo de Política Cafeeira, o secretário executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) disse que o governo adotaria medidas para conter a queda do preço do café.

As análises que chegam do exterior continuam as mesmas: uma ampla oferta de café arábica no mercado internacional pressiona as cotações. O problema é que os números divulgados pela OIC Organização Internacional do Café não confirmam esta ampla oferta.

Ainda em fevereiro último, em uma conferência em Kampala, capital de Uganda, o diretor executivo da OIC disse que a África tem uma oportunidade única de aumentar a produção de café e se beneficiar do aumento da demanda, à medida que outros produtores enfrentam problemas na oferta. A África se beneficiaria porque muitos países na América Central e do Sul estão enfrentando dificuldades em manter os atuais níveis de produção. Estes países são tradicionais produtores de café arábica. Não é difícil entender a desorientação e desanimo dos cafeicultores brasileiros.

O comércio de café em grão verde e industrializado entre países exportadores de café aumentou quase 12 vezes de 2000 para 2012. Cresceu de 861,8 mil para 10,174 milhões de sacas. Vietnã e Indonésia, grandes produtores de robusta, embarcaram para outros países produtores de café 6,6 milhões de sacas em 2012. O Brasil ocupa a terceira posição nesse ranking, com menos de 1 milhão de sacas embarcadas em 2012 ( informações da OIC. Fonte:Valor Econômico).

A "Green Coffee Association" divulgou que os estoques americanos de café verde totalizaram 4.891.683 em 28 de fevereiro de 2013. Uma alta de 116.122 sacas em relação às 4.775.561 sacas existentes em 31 de janeiro de 2013.

Até o dia 14 os embarques de março estavam em 688.683 sacas de café arábica e 5.250 sacas de café conillon, somando 693.933 sacas de café verde, mais 50.783 sacas de café solúvel, contra 658.979 sacas no mesmo dia de fevereiro. Até o dia 14, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em março totalizavam 1.151.819 sacas, contra 1.096.830 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque ICE, do fechamento do dia 8, sexta-feira, até o fechamento de hoje, sexta-feira, dia 15, caiu nos contratos para entrega em maio próximo, 655 pontos ou US$ 8,66 (R$ 17,16) por saca. Em reais por saca, as cotações para entrega em maio próximo na ICE fecharam no dia 8 a R$ 371,76/saca e hoje, dia 15 a R$ 360,31/saca. 

Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em maio, a bolsa de Nova Iorque fechou com baixa de 215 pontos. No mercado paralisado de hoje, são as seguintes cotações nominais por saca, para os cafés verdes, do tipo 6 para melhor, safra 2012/2013, condição porta de armazém:

R$320/325,00 - CEREJA DESCASCADO (CD), BEM PREPARADO.
R$320/325,00 - FINOS A EXTRAFINOS MOGIANA E MINAS.
R$310/320,00 - BOA QUALIDADE DUROS, BEM PREPARADOS.
R$295/305,00 - DUROS COM XÍCARAS MAIS FRACAS.
R$290/300,00 - RIADOS.
R$280/290,00 - RIO.
R$280/290,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: DURA.
R$270/280,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: RIADAS.

         DÓLAR COMERCIAL DE SEXTA-FEIRA: R$ 1,9810 PARA COMPRA.

Fonte: Escritório Carvalhaes

Nenhum comentário