Café: Cafeeiros apresentam sinais de enfraquecimento e preocupam para a safra 2015

Publicado em 18/07/2014 18:15 1030 exibições

A colheita brasileira de café avança com rapidez e já passou com folga dos 50%. Muitos cafeicultores se preparam para terminar os trabalhos de colheita até o final do mês. A quebra da safra de arábica vai se confirmando e os números de produção devem ficar ao redor do estimado pela CONAB – Companhia Nacional de Abastecimento. Ainda existe divergência quanto ao total de conilon produzido na atual safra. Há uma diferença significativa entre os números da CONAB e o estimado por operadores nesse mercado. 

A cada semana aumenta a apreensão dos produtores brasileiros de arábica com o estado geral dos cafeeiros. As áreas produtoras do sudeste brasileiro entraram no período de seca com déficit hídrico. Sem a usual reserva de água no solo, necessária para enfrentar o período seco de inverno, os cafeeiros apresentam crescentes sinais de enfraquecimento. É mais um preocupação para a próxima safra 2015. 

Os contratos de café na ICE Futures US em Nova Iorque trabalharam em alta esta semana, recuperando as perdas da semana anterior. Muitos cafeicultores recusaram as bases oferecidas pelos compradores e volume de negócios fechados ficou abaixo do usual para esta época do ano. Hoje, tentando aumentar o volume de compras, alguns exportadores melhoraram suas ofertas em 10 a 15 reais por saca.

O Ministério da Agricultura definiu as regras para combater a praga broca-do-café (Hypothenemus hampei) em Minas Gerais, principal Estado produtor do grão, em caráter emergencial. O manejo da praga foi definido por meio da Portaria 711, do Ministério da Agricultura, publicada hoje no Diário Oficial da União. A portaria prevê o controle químico da broca-do-café com inseticida a base de Ciantraniliprole, somente em talhões, quando a infestação atingir 3% a 5%, ou mais, de frutos broqueados.

A "Green Coffee Association" divulgou que os estoques americanos de café verde totalizaram 5.655.804 em 30 de junho de 2014. Uma alta de 259.062 sacas em relação às 5.396.742 sacas existentes em 31 de maio de 2014. 

Até o dia 17, os embarques de julho estavam em 837.513 sacas de café arábica, mais 145.186 sacas de café conillon somando 982.699 sacas de café verde, mais 61.561 sacas de café solúvel, totalizando 1.044.260 sacas embarcadas, contra 1.201.636 sacas no mesmo dia de junho. Até o dia 17 os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em julho totalizavam 1.586.209 sacas, contra 1.725.731 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 11, sexta-feira, até o fechamento de sexta-feira, dia 18, subiu nos contratos para entrega em setembro próximo, 1.100 pontos ou US$ 14,55 (R$ 32,39) por saca. Em reais, as cotações para entrega em setembro próximo na ICE fecharam no dia 11 a R$ 474,18 por saca e sexta-feira, dia 18 a R$ 507,64 por saca. Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em setembro, a bolsa de Nova Iorque fechou com alta de 855 pontos. 

Fonte:
Escritório Carvalhaes

1 comentário

  • victor angelo p ferreira victorvapf nepomuceno - MG

    Café: Estou verificando o que está ficando da lavoura depois de apanhar...Realmente os estragos são visíveis e com uma parte da lavoura que será arrancada, não deverei colher nem 20% deste ano, mesmo com a quebra acontecida...Acho que teremos saudades daquele tempo que colhíamos muito...Fico pensando: No lugar do café que arrancarei vou plantar milho... Mas a estes praços?

    0