Café: Fundos e especuladores pressionam as cotações em NY; o mercado físico no Brasi está paralisado

Publicado em 06/03/2015 17:56

Não houve alterações no mercado de café esta semana. Fundos e especuladores continuaram pressionando as cotações em Nova Iorque, aproveitando as notícias de chuvas sobre os cafezais do sudeste brasileiro e a forte valorização do dólar frente ao real. A desintegração de nossa economia e a crise política – que se agrava a cada dia – com o avanço das investigações sobre a operação “Lava Jato” e a Petrobrás, denigrem e fragilizam a imagem do Brasil, maior produtor e exportador de café do mundo, facilitando a pressão baixista na ICE Futures US em Nova Iorque.

Depois de terem fechado com 215 pontos de baixa na segunda-feira, os contratos de café com vencimento em maio próximo na ICE, amargaram uma baixa de 860 pontos na terça-feira, fechando abaixo de US$ 1,30 por libra peso! Assustou até os mais pessimistas, o que levou as cotações a se recuperarem no restante da semana mesmo com a forte valorização do dólar, que fechou hoje valendo 3,05 reais.

No Brasil, o mercado físico de café está paralisado. Os compradores repassam para as ofertas a baixa na ICE e os produtores se retraem, aguardando preços mais realistas, condizentes com o estado dos cafezais depois da longa seca e das altas temperaturas em dois verões. Com a forte crise econômica e política, inflação se aproximando dos 8% ao ano, dólar ultrapassando a barreira dos três reais e, portanto, custos de produção em alta, consideram mais prudente ficar com o café do que aceitar vendê-lo por preços que acreditam artificialmente pressionados e fora da realidade.

Até o dia 5, os embarques de março estavam em 233.016 sacas de café arábica, 3.600 sacas de café conillon, mais 17.327 sacas de café solúvel, totalizando 253.943 sacas embarcadas, contra 330.418 sacas no mesmo dia de fevereiro. Até o dia 5, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em março totalizavam 553.280 sacas, contra 594.184 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 27, sexta-feira, até o fechamento de hoje, sexta-feira, dia 6, caiu nos contratos para entrega em maio próximo, 60 pontos ou US$ 7,93 (R$ 24,27) por saca. Em reais, as cotações para entrega em maio próximo na ICE fecharam no dia 27 a R$ 530,43 por saca e hoje, dia 6, a R$ 566,10 por saca.

Hoje, nos contratos para entrega em maio a bolsa de Nova Iorque fechou com alta de 485 pontos. 

Fonte:
Escritório Carvalhaes

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário