Café: Com NY em baixa e real oscilando frente ao dólar a semana foi calma no mercado físico brasileiro

Publicado em 17/11/2017 18:00 e atualizado em 19/11/2017 13:01
144 exibições

A ICE Futures US trabalhou até ontem, quinta-feira, com pequenas baixas nesta semana em que os operadores em Nova Iorque centraram suas atenções na rolagem para março dos contratos com vencimento em dezembro próximo. Hoje a queda foi mais acentuada e na semana, os contratos com vencimento em março próximo acumularam perdas de 365 pontos. 

Com um feriado nacional na quarta-feira quebrando o ritmo dos negócios, Nova Iorque trabalhando em baixa e nossa moeda oscilando bastante frente ao dólar, tivemos uma semana mais calma no mercado físico brasileiro, com poucos produtores dispostos a vender nas bases oferecidas pelos compradores. 

Em seu relatório de outubro de 2017 a OIC – Organização Internacional do Café informou que as exportações mundiais de café no ano-safra 2016/2017 (outubro de 2016 a setembro de 2017) atingiram o recorde de 122,45 milhões de sacas, 4,8% mais que as 116,89 milhões de sacas no ano cafeeiro de 2015/16. Dos 10 maiores exportadores, apenas o Brasil e o Vietnã registraram queda em relação aos embarques no ano cafeeiro de 2015/16. As exportações de café verde de Honduras cresceram 41,8% alcançando um volume recorde de 7,29 milhões de sacas no ano cafeeiro de 2016/17. As exportações de café da Indonésia subiram de 6,12 milhões de sacas no ano cafeeiro de 2015/16 para 11,1 milhões de sacas em 2016/17. 

Apesar desse recorde anual, em setembro de 2017 o volume total das exportações, alcançou 8,34 milhões de sacas, recuando ante as 9,8 milhões registradas em setembro de 2016. O mesmo relatório informa que a produção mundial de café no ano-safra de 2016/17 foi revisada para mais passando a 157,44 milhões de sacas. Um aumento de 3,4% em relação a 2015/16, devido principalmente ao aumento da produção de Honduras. 

O relatório da OIC diz ainda que enquanto as exportações do Brasil diminuíram 8,8% para 31,58 milhões de sacas no ano cafeeiro de 2016/17, a produção do país aumentou 9,2% passando a 55 milhões de sacas no ano-safra de 2016/17. O relatório não informa como chegou ao número de 55 milhões para a produção brasileira de café no ano-safra 2016/2017. É preciso que a OIC informe como estimou a safra brasileira de café (veja o relatório completo no site da OIC – www.ico.org ). 

A "Green Coffee Association" divulgou que os estoques americanos de café verde totalizaram 7.035.013 em 31 de outubro de 2017. Uma baixa de 154.706 sacas em relação às 7.189.719 sacas existentes em 30 de setembro de 2017. 

Até dia 16, os embarques de novembro estavam em 736.283 sacas de café arábica, 2.372 sacas de café conilon, mais 61.363 sacas de café solúvel, totalizando 800.018 sacas embarcadas, contra 1.051.433 sacas no mesmo dia de outubro. Até o mesmo dia 16, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em novembro totalizavam 1.552.409 sacas, contra 1.519.002 sacas no mesmo dia do mês anterior. 

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 10, sexta-feira, até o fechamento de hoje, sexta-feira, dia 17, caiu nos contratos para entrega em março próximo 365 pontos ou US$ 4,83 (R$ 15,75) por saca. Em reais, as cotações para entrega em março próximo na ICE fecharam no dia 10 a R$ 567,95 por saca, e hoje dia 17, a R$ 548,74 por saca. Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em março a bolsa de Nova Iorque fechou com baixa de 290 pontos. 

Fonte: Escritório Carvalhaes

0 comentário