Leite valoriza 2% com menor oferta

Publicado em 28/03/2012 13:58 1425 exibições
Em março, o preço médio pago pelo leite ao produtor (referente à produção entregue em fevereiro) aumentou mais 2% (ou 1,7 centavos por litro), indo para R$ 0,8581/litro na média ponderada dos estados de RS, SC, PR, SP, MG, GO e BA, conforme levantamentos do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP. Esse valor representa aumento real (descontando-se a inflação até fevereiro/12 medida pelo IPCA) de 7,7% se comparado ao mesmo período do ano passado. A elevação neste mês esteve atrelada à menor oferta do produto nas principais bacias leiteiras, o que aumenta a disputa pela matéria-prima entre os laticínios/cooperativas.

Em Minas Gerais, Goiás e São Paulo, que já estão entrando em fase de entressafra, o Índice de Captação de Leite do Cepea (ICAP-Leite) registrou quedas de 1,2%, 4,9% e 4,5%, respectivamente, entre janeiro e fevereiro. No Sul do País, o ICAP-Leite/Cepea baixou 1,2%. Na média ponderada pelos sete estados analisados, o índice caiu 2,2% em fevereiro. Se comparado ao mesmo período de 2011, houve leve redução de 0,7%.

Para o próximo pagamento (referente à produção de março), 56% dos laticínios/cooperativas entrevistados pelo Cepea (que representam 63% do volume de leite amostrado) acreditam em estabilidade de preços. Para 40% dos agentes de mercado (que respondem por 28% da amostra em volume de leite), deve haver nova alta e apenas 4% (que representam 9% do volume amostrado) acreditam em queda de preços para abril.

Apesar da expectativa relativamente otimista com o início da entressafra, o setor lácteo está atento ao consumo interno e às importações. Pesquisadores do Cepea destacam que, assim como vem sendo observado no setor de carnes, as vendas de lácteos também estão desaquecidas. No segmento de queijos, por exemplo, agentes do setor afirmam que os estoques do produto estão elevados devido às vendas retraídas, o que limita o aumento de preços mesmo num cenário de valorização da matéria-prima em função da queda de oferta. Além disso, o alto volume de lácteos importados (especialmente de queijos e leite em pó) também tem pressionado a indústria nacional que pode ter dificuldades para repassar ajustes concedidos à matéria-prima.

O preço médio do leite UHT, cotado diariamente pelo Cepea no atacado do estado de São Paulo, teve média de R$ 1,75/litro em março (até o dia 27), registrando leve aumento de 2% em relação a fevereiro (o valor inclui frete e impostos). No caso do queijo muçarela, houve avanço de 1%, com o quilo, a R$ 10,30/kg. Essa pesquisa é feita com o apoio financeiro da OCB/CBCL.

Os custos de produção de leite, também acompanhados pelo Cepea, continuam em patamares relativamente elevados devido aos preços dos grãos e da mão de obra, o que limita maiores investimentos na produção.

AO PRODUTOR – Pesquisas do Cepea mostram que, em Goiás, houve o maior reajuste do mês, com a média estadual também se tornando a maior entre os estados desta pesquisa. O valor médio foi de R$ 0,8880/litro, alta de 4,7% (ou 4 centavos por litro). Em Minas Gerais, houve acréscimo de 3% (ou 2,5 centavos), com média a R$ 0,8640/litro. No estado paulista, os preços seguiram praticamente estáveis, com leve aumento de 0,7% (menos de 1 centavo por litro), à média de R$ 0,8742/litro. Na Bahia, o preço médio aumentou 3,7% (ou 2,7 centavos por litro), chegando a R$ 0,7624/litro.

No Rio Grande do Sul, houve leve aumento de 1,7% (ou 1,4 centavo por litro), com média de R$ 0,8427/litro. Já no Paraná houve pequena redução de 0,6%, com o litro a R$ 0,8304; em Santa Catarina, o movimento também foi de baixa, de 1,6% (1,3 centavo por litro), a R$ 0,8206/litro.

Clique aqui para ampliar!
Clique aqui para ampliar!
Clique aqui para ampliar!

Tags:
Fonte:
Cepea

0 comentário