Trigo Brasil: Preço pago pelo trigo novo se mantém acima do preço mínimo no Paraná

Publicado em 14/09/2010 17:41
620 exibições
No Paraná, a colheita de trigo nas regiões Norte e Oeste já encontra-se bastante adiantada graças ao clima mais seco de agosto e das primeiras semanas de setembro. Muitos silos já armazenam volumes expressivos de grão que aguardam apenas a comercialização. As cooperativas do estado ainda constatam um ritmo lento de comercialização, mas estão preparadas para continuar regulando a oferta para manter os preços elevados. Dificilmente são fechados negócios abaixo do preço mínimo fixado pelo governo para este trigo da safra nova, enquanto o trigo do ano anterior também segue embalado e já ultrapassa o patamar de R$ 25,00/sc, o que não ocorria desde agosto de 2009. Aliás, desde esta data que os preços do trigo vinham em um forte ritmo decrescente que teve seu limite de baixa em julho, quando começaram a surgir as primeiras estimativas de quebra de safra no Leste Europeu, mas que só começaram a surtir efeito no mercado interno em agosto. O preço médio do estado, que chegou a ficar 28% abaixo do preço mínimo quando atingiu o menor valor do ano no dia 25 de junho de acordo com o levantamento do Deral/PR, agora diminui para 13,4% esta diferença, uma vez que a cotação registrada hoje é de R$ 25,23/sc. A intenção manifestada pelos produtores é de continuar dosando as vendas até que os preços consigam se estabilizar em R$ 500,00, valores estes que já foram registrados e até ultrapassados em agosto e que podem ser perfeitamente atingidos novamente se os produtores continuarem aguardando pacientemente uma convergência entre a capacidade de pagamento dos moinhos e os preços por eles oferecidos. Já o trigo da safra 09/10 não tem o forte apelo de qualidade da safra nova que registrou PH de até 84 em muitas lavouras colhidas até o momento, índice muito distante do obtido no ano passado, quando o excesso de chuvas no final do ciclo depreciou os parâmetros qualitativos do grão. Outro fator que reforça a expectativa de alta para o trigo da safra nova é o início das negociações com importadores interessados em comprar trigo soft do Paraná. Ainda não há negócios fechados, mas segundo a Ocepar, as cooperativas localizadas na porção leste do estado estão apenas aguardando o início da colheita, já que a implantação nestas áreas se dá mais tardiamente. O menor custo de transporte até o Porto de Paranaguá torna o trigo produzido em Ponta Grossa, por exemplo, mais competitivo para a exportação e possibilita a obtenção de preços ainda maiores que os oferecidos no mercado interno ao calcular a paridade de exportação com o trigo americano. Já quanto ao interesse dos países do Norte da África é uma realidade confirmada pelas negociações com outros países, inclusive Argentina, já durante os meses de julho e agosto e também da elevação das projeções de importação deste países feita pelo USDA em seu último relatório.   
Tags:
Fonte: AF News

Nenhum comentário