Sobre o CAR e uma carta à senhora presidenta, por Almir Rebelo

Publicado em 02/05/2016 11:05
Almir Rebelo é produtor Rural, engenheiro agrônomo e Presidente do Clube Amigos da Terra de Tupanciretã/RS

Tupanciretã RS, 01 de maio de 2016

Excelentíssima Senhora Dilma Rousseff, Presidenta da República do Brasil – Brasília DF

Senhora Presidenta,

Estamos vivendo no Melhor País do Mundo! Nosso País Continente que será responsável pela segurança alimentar da humanidade. Nossa área total é de 851 milhões de hectares. Desse total, 61% 519 milhões de hectares são de Florestas Preservadas! 11,3%  96 milhões de hectares são de Cidades e Infraestrutura; 27,7%  236 milhões de hectares são para a Produção de Alimentos! Enfatizamos 168 milhões de hectares é para a Atividade Pecuária e apenas 68 milhões de hectares(8% do total geral) é para produção de grãos! O destaque mundial na produção de Grãos nessa diminuta área, deve-se ás Tecnologias de Produção e Preservação, que são as mais modernas do mundo utilizadas pelo Produtor Brasileiro. Essa produtividade toda assustou o mundo, que resolveu engessar o Agronegócio Brasileiro através de Um Novo Código Florestal que está assustando o Produtor Rural, mas não causando nenhum problema para o Florestal Brasileiro, uma vez Presidenta Dilma, que na prática o CAR(Cadastro Ambiental Rural) veio com o objetivo de diminuir ainda mais os 8% da área brasileira que hoje produz grãos. Sabendo que esse era o objetivo mundial contra o Brasil, trouxemos em Tupanciretã RS, o Relator do Código Florestal Deputado Aldo Rebelo para que Ele entendesse a necessidade  da discussão e elaboração de um Novo Código que, no mínimo, NÃO diminuísse a área de produção de alimentos e provocasse um Caos social, econômico e ambiental ao País!

Democraticamente, longos anos de debate, possibilitou a aprovação da lei 12.651 em 25/05/2014 a favor do Brasil observando Regras Gerais e REGRAS TRANSITÓRIAS,  com o objetivo de conscientizar, orientar e ajudar o Produtor Rural fazer seu CAR. O Governo Federal levou 2 anos somente para regularizar e programar o CAR. Em 2014 iniciou-se o CAR nacional. Conforme artigo 59 da lei 12.651 os Estados poderiam  regulamentar situações adequadas as suas peculiaridades locais ou regionais. No Rio Grande do Sul o Governo publicou o Decreto 52.431 em 23/06/2015 regulamentando nosso Bioma Pampa que ocupa uma área de 63% do Estado atingindo 18 milhões de hectares. Foi necessário linkar o CAR RS com o CAR Nacional. Em outubro/2015 o Ministério Público conseguiu liminar questionando o Decreto 52.431 com certa semelhança as Adins já no STF questionando as Regras Transitórias da lei 12.651. Com todas essas dificuldades NÃO estamos tendo condições de fazer um CAR que o produtor possa entender o que está acontecendo numa tela de computador que dizem que é a imagem da situação ambiental de sua propriedade.

O Prazo para a realização do CAR vence dia 05/05/2016. Chega para o produtor de todos os tamanhos, a Ameaça, de que se não fizer o CAR, Serão Perdidas as REGRAS TRANSITÓRIAS, que foram feitas para salvar principalmente os Pequenos Produtores e as áreas já em produção de Alimentos para os brasileiros e para atender a demanda mundial, áreas essas que receberam o nome de ÁREAS CONSOLIDADAS! Desta Forma Presidenta Dilma, estamos Apelando a Deus e ao bom senso de Vossas Excelências Presidenta Dilma, Ministro da Defesa Aldo Rebelo e Ministra da Agricultura Kátia Abreu para que sensibilizem a Ministra do Meio Ambiente Isabela Teixeira para que de acordo com os artigos 59 e 78-A da Lei 12.651  SE PRORROGUE o prazo para fazermos O CAR   ATÉ 25/05/2017 sem prejuízo para os produtores e sem perdas das Regras Transitórias, o que seria Um Desastre Econômico, Ambiental e Social, um verdadeiro Caos Social para os produtores e para a população brasileira que precisa de alimentos. Presidenta Dilma!

A Não prorrogação do prazo do CAR e as perdas das Regras Transitórias além de colocar os Produtores na Ilegalidade por algo que eles não foram o responsáveis, vai diminuir em mais de 20% a já minguada área brasileira para a produção de alimentos.  Conhecendo os Espíritos Públicos e Patrióticos de Vossas Excelências, esperamos e contamos com essa atitude que será a favor de todos os Brasileiros. A prorrogação do prazo do CAR será tão ou  mais importante neste momento do que o lançamento do Plano Safra. Sabemos da imensa contribuição que a produção de alimentos está dando ao País, garantindo o equilíbrio econômico e social, temos certeza que seremos atendidos neste pedido a favor da Segurança Nacional e o Produtor Rural vai continuar fazendo sua parte como Filho desta Pátria não vai Fugir a Luta! Juntos Vamos Salvar O Brasil!!!!

Neste Dia do Trabalho, Esperamos que NÃO Diminuam nossa área, NÃO Nos Tirem Nosso Instrumento de Trabalho que é a Nossa Terra!!!!!

Tags:
Fonte:
Almir Rebelo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

3 comentários

  • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

    Sr. Almir, penso que o senhor está fazendo o pedido para as pessoas erradas. Num primeiro momento são cegos, surdos e tartamudos. Num segundo momento são passageiros de um poder que já não existe mais, pois estão "desembarcando" na estação. Voltam à condição de ex, que nesse caso especifico, provocam muitas "dores psíquicas" aos envolvidos, mas eles podem fazer seus tratamentos nos CAPS (Centro de Atendimento Psicossocial) distribuídos em todo o país. A PARTIR DO DIA 11/05/16 O BRASIL ESTARÁ CAMINHANDO OUTROS CAMINHOS !!!

    1
    • Valdomiro Rodante Junior Porangatu - GO

      Que o proximo governo , dê valor a quem trabalha, a quem produz e não haja como o PT, que tratava o produtor rural como um ser da pior espécie , como um bandido!

      0
  • Carlos Massayuki Sekine Ubiratã - PR

    Permita-me, sr. Almir Rebelo, discordar apenas em um ponto. Esses 68 milhões de hectares de grãos a que o sr. se refere, somam áreas de culturas de outono e inverno que, na verdade, ocupam a mesma área das culturas de verão em uma segunda ou até uma terceira safra, caso do milho segunda safra, trigo, aveia, cevada, feijão segunda safra, etc... A área destinada para a produção de grãos não ultrapassa os 45 milhões de hectares, ou pouco mais de 5% do território nacional. Realmente, nesse ponto concordo com o senhor, produzimos muito em uma área diminuta. Temos, aqui no município de Ubiratã-PR, solos que produzem até três safras por ano, rendendo em um único hectare, mais de 14.000 kg de grãos entre soja, milho e trigo. Pensar em plantar mato em um solo desses é, no mínimo, uma sandice. A lógica é simples: quanto mais se tira da terra, menos terra se tira da natureza. A eficiência e a produtividade são amigas do meio ambiente e não o contrário. Nós agricultores somos os principais interessados na preservação de nossos solos e de nosso ambiente, mas para isso precisamos de soluções inteligentes, que aliem a produção de alimentos à preservação ambiental. Precisamos de soluções nas quais sejamos incluídos como parceiros e não como inimigos do meio ambiente ou daqueles que se arvoram os donos da verdade nas questões ambientais. Questões como o plantio direto, o terraceamento em nível, as matas ciliares, a devolução das embalagens de agrotóxicos, por exemplo, são iniciativas que já nos colocam muito à frente do resto do mundo. Claro que temos que melhorar muito, mas não é plantando mato em terras altamente produtivas que vamos melhorar o meio ambiente ou a vida de todos nós.

    0
    • Samoil Ivanoff Querencia - MT

      Concordo com isso e todos os patriotas Brasileiros deveriam pensar assim.

      0
    • Egidio Raul Vuaden Lucas do Rio Verde - MT

      Existe uma classificação agronômica de uso e ocupação de solos.

      0
    • Egidio Raul Vuaden Lucas do Rio Verde - MT

      Aptidão de uso dos solos. É secular, técnica.

      Solenemente ignorada por esses legisladores ideol?gicos do código florestal

      0
    • Egidio Raul Vuaden Lucas do Rio Verde - MT

      A unidade de planejamento ambiental tem que ser a microdacia hidrográfica e não restrito a percentuais estúpidos a nível de cada propriedade.

      0
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Exatamente Sr. Egidio, fizeram do uso e exploração das terras uma guerra ideológica, acusando os que cresceram de exploração economica e social e ambiental, enquanto ao mesmo tempo enchiam as burras de "reis" disso e daquilo de dinheiro, e que ainda, com a proteção do Estado fazem o que querem.

      1
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Carlos, agradeço a sua explanaçao concisa e clara, que ajudara' a arrumar

      as ideias e os dados dentro da minha cabeça e tambem acredito dos demais

      leitores.

      0
  • BRUNO LIBERATI Wenceslau Braz - PR

    CAR: Não estamos conseguindo baixar o módulo de cadastro, já faz 5 horas que estamos tentando e nada !!!

    0
    • Samoil Ivanoff Querencia - MT

      O dia que o CAR for preciso para resolver questão ambiental vai ser rápido que por enquanto ele é feito para estorquir idoiota.

      0