O que é que há, meu país? Por Flávio França Junior

Publicado em 29/06/2015 07:54
Flávio Roberto de França Junior é Analista de Mercado, Consultor em Agribusiness e Diretor da França Junior Consultoria

Caros amigos. Passei a semana em viagem e ministrando um Curso de Introdução à Comercialização de Soja em Balsas, no Maranhão, e gostaria de agradecer a receptividade e o carinho com os quais fui recebido, e mandar um grande abraço a todos os amigos da região do MAPITO. Em outro texto quero falar um pouco sobre essa grande e próspera região, a principal de expansão da produção agrícola do país, suas características, anseios, qualidades, problemas e perspectivas. Mas o assunto de hoje tem uma conotação um pouco diferente, bem menos técnica. Vocês conhecem a música Meu País, de Zezé Di Camargo & Luciano? Aquela que diz em seu refrão “Que é que há, meu país? O que é que há?” Pois bem, em minha viagem de volta entre Balsas e Araguaína, no estado de Tocantins, onde me deslocava para pegar o vôo que me levaria de volta para casa, ouvi essa música no carro em uma rádio local. Ao refletir solitariamente sobre a bonita letra da música, não pude deixar de ficar tocado e nem deixar de pensar como a vida é irônica e como o mundo dá voltas. E nem sempre boas. Por isso decidi compartilhar esses pensamentos com os amigos. 

Primeiro um pouco de história. A música “Meu País” foi gravada e lançada por Zezé Di Camargo & Luciano em 2001 e foi contratada pela equipe que comandava a campanha do então candidato Luis Inácio Lula da Silva nas eleições presidenciais daquele ano. Além de “emprestar” a música à campanha, a dupla também foi contratada por uma soma de R$ 1,3 milhões, de acordo com jornais da época, para a realização de 11 grandes “showmícios” no primeiro turno e mais 6 no segundo turno. E em função da combinação de letra de protesto perfeitamente encaixada àquele momento, com uma bonita melodia, e com um ambiente disseminado de decepção e revolta com os rumos do segundo mandato do presidente Fernando Henrique Cardoso, a música se tornou um estrondoso sucesso, e acabou virando “hino” da campanha vitoriosa de Lula.

Mas afinal, porque o que diz a letra e qual o paralelo podemos fazer sobre a leitura feita em 2002 e em 2015?

A primeira parte da letra diz o seguinte: “Aqui não falta sol, aqui não falta chuva. A terra faz brotar qualquer semente. Se a mão de Deus protege e molha nosso chão, porque será que tá faltando pão.” A reflexão era extremamente oportuna naquela época, onde não fazia sentido em um país rico de recursos e de capital humano como o nosso, mais de um terço da população estar situada economicamente abaixo da linha de pobreza. É bem verdade que tivemos uma grande diminuição no número de miseráveis durante os 8 anos do governo Lula e esse será, sem dúvida, basicamente o único grande legado daquele período. Mas mesmo assim, se trouxermos esse pensamento para os dias de hoje, a pergunta se mantém atual. Porque afinal tanta gente ainda passa fome no Brasil?

A segunda estrofe mantém o tom de questionamento da primeira, já agora um pouco em tom de súplica: “Se a natureza nunca reclamou da gente, do corte do machado, a foice, o fogo ardente. Se nessa terra tudo o que se planta dá, que é que há, meu país? O que é que há?” Essa foi outra frase muito bem adaptada àqueles dias, onde se intensificou os questionamentos e o debate sobre o uso extensivo da terra. Reflexão essa que culminou com a aprovação do mais completo e avançado código florestal do planeta. Embora ainda tenhamos excessos e desvios, nesse aspecto o país, e em particular o agronegócio brasileiro passou a ser exemplo e modelo para todo o mundo.

Na terceira parte a letra tenta encontrar alguma explicação para os questionamentos das duas primeiras partes: “Tem alguém levando lucro, tem alguém colhendo o fruto, sem saber o que é plantar. Tá faltando consciência, tá sobrando paciência, tá faltando alguém gritar.” Fazia sentido uma frase como esta naquele momento? Sim, muito. Sem nominar setores específicos da sociedade ou da economia, o autor, transbordando sua alma sertaneja, não conseguia disfarçar a sua indignação de fazer parte de um setor tão dinâmico e pujante como o nosso agronegócio, e ainda ter que viver de esmolas do governo federal e conviver com a crônica falta de apoio, com a crônica falta de infraestrutura, e de condições mínimas para exercer a sua atividade profissional. E foi aqui, meu caros, que fiquei me perguntando: nesse aspecto, o que mudou nesses últimos 13 anos? Infelizmente, muito pouco. O setor avançou, se profissionalizou, se modernizou. Embora seja a grande âncora de nossa economia, segue brigando para trabalhar. Segue lutando contra tudo e contra todos.

Mas foi na quarta estrofe que a música se tornou genérica para toda a sociedade produtiva deste país, além de absoluta e ironicamente atual: “Feito um trem desgovernado, quem trabalha tá ferrado, nas mãos de quem só engana. Feito mal que não tem cura, estão levando à loucura, o país que a gente ama.” E arremata: “Feito mal que não tem cura, estão levando à loucura, o Brasil que a gente ama!” Como disse no início, essas frases faziam coro a um sentimento de indignação dominante na população, e que acabaram levando Lula à presidência do país por dois mandatos. E aqui é que está a grande ironia do processo. Se essa música fosse lançada em 2014 e fosse adotada pela candidatura de oposição, a mesma que em 2002 era governo e o alvo central dessa bela poesia de protesto, certamente também se tornaria “hino” de campanha.

É, o mundo dá mesmo voltas, não é? Analise algumas das manchetes desses últimos meses e verão que os papeis estão invertidos, mas só que desta vez com um grau de incompetência, desfaçatez e descaramento inimaginável, além de elevado à enésima potência. No lado econômico: contas públicas de janeiro a maio tem o pior resultado desde 1998!!!; inflação se aproxima de 9%, e subindo!!!; amplitude da recessão aumenta a cada semana!!!; desemprego dispara e já é a maior desde 2010!!!; população desocupada cresce em maio 39% sobre 2014!!!; taxa básica de juros se aproxima de 14%!!!; vendas do comércio em abril tem a pior queda desde 2003!!! E a maior, e talvez definitiva, de todas: as pedaladas fiscais de Dilma e os crimes de responsabilidade fiscal. Isso para não nos alongarmos no lado político, com o Mensalão, Lava-Jato e o Petrolão, a Operação Zelotes e a Receita Federal, Odebrecht, Andrade Gutierrez, e outras construtoras e as relações incestuosas com o Instituto Lula, etc...etc...etc...

Essa constatação me deixou triste. Muito triste. Não sei se merecíamos tudo isso. A população brasileira se levantou democraticamente e confiou, delegou e apostou em um projeto. Acreditou que poderíamos caminhar em uma nova direção e que tudo iria melhorar. Imaginou que até poderiam haver equívocos político-administrativos. Mas nem sequer sonhou, nem em seus piores pesadelos, que 12 ou 13 anos depois poderíamos estar sentido na carne o que estamos vivendo em 2015. A era da descrença absoluta. Por tudo isso eu me pergunto: o que está faltando acontecer para o nosso povo despertar e assumir uma nova posição de mudança? O que mais precisa acontecer para virarmos novamente o jogo? “Tá faltando consciência, tá sobrando paciência, tá faltando alguém gritar!”

Um “AgroAbraço” a todos!!!

www.francajunior.com.br e [email protected]

Tags:
Fonte:
França Junior Consultoria

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

5 comentários

  • Janet Fernandes Erechim - RS

    Agora o alvo da vez é Dilma, que, até agora, em seus três primeiros anos de mandato, entregou uma taxa de inflação anual média de 6% (até novembro). Se cada ponto percentual a mais pode significar um aumento da chance de a hiperinflação voltar, o período em que a hiperinflação esteve mais perto de voltar foi entre 1999 e 2002 e . MAS agora COM TODAS AS FORÇAS CONTRA O GOVERNO E COM A FORÇA QUE FAZEM OS GRANDES EMPRESÁRIO OS BANCOS, Q NESTA SEMANA REUNIRAM-SE COM O BANCO CENTRAL PRÁ EXIGIR que os juros aumentem, com certeza a inflação chegará ao patamar que se previu, mas o tiro sairá pela culatra, pois se Dilma sair, o povo pressionará contra grandes empresas e mercados e bancos, utilizando os pequenos, para pressionar os grandes, e acredito que haverá um aceleração de grandes proporções no aumento da inflação, portanto pode o tiro sair pela culatra do pmdb e o psdb, e eles serão os responsávees por um grande periodo de reprovaçã do povo brasileiro que alegará que com o governo pt estava em melhor situação . A HERANÇA DE FHC PARA O PT , FHC deixou uma inflação em dois dígitos (12,53%) em seu último ano.- QUER MAIS? http://www.ie.ufrj.br/hpp/intranet/pdfs/goncalves_2010_otim.pdf

    29
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Que povo é esse que pressionará pela Dilma? Nem vou entrar no mérito dos dados que você apresenta em todos seus comentários, pode até ser que estejam certos em um ponto ou outro, mas e daí? A divergência dos petistas com os tucanos acaba aí? Lula e o PT foram os que mais favoreceram os grandes grupos economicos, ilegalmente, criminosamente. Polarizar e dizer que a Policia Federal é tucana, é o suprasumo da cara de pau, da falsidade, do cinismo. Se os petistas tem provas dos crimes do FHC por que não apresentam? 9 trilhões em empréstimos pelo BNDES, tá certo agora Meloni?, nos últimos cinco anos, assim é fácil movimentar economia, endivida o País irremediavelmente para favorecer os empresários e depois manda a conta na forma de inflação para o povo pobre.

      2
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      O último parágrafo do artigo que se encontra no link abaixo, responde sumariamente a senhora ... http://avaranda.blogspot.com.br/2016/04/os-miseraveis-paulo-roberto-de-almeida.html

      0
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Eu acho que essa Janet nao e' mulher PORQUE MULHER VAI PRA FEIRA E

      NAO ACEITA QUE INFLAÇAO SEJA DE 6%.----Janet ja' falei vai catar coquinhos

      0
    • elcio sakai vianópolis - GO

      admiro esse partido, mesmo arrebentando o estado do Rio Grande do Sul, ainda se encontra militantes por lá. até em ERECHIM-RS tem!

      0
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Elcio o Nazismo tambem foi desse jeito tinham brigadas organizadas e uniformizadas e faziam passeatas a toda hora. Tomaram conta do poder mesmo sendo parcela menor da populaçao----

      0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Bom dia Sr. Carlo. Vejo que o Sr. está sob o efeito do brilho da tela do computador. Sr. Carlo, acredito que o Brasil não está nesse grau de perigo, onde fundamentalistas consigam levar seus militantes a atitudes extremas. Esses que defendem o atual governo, em sua maioria são massa de manobra e, muitos estão ali em troca de uma diária ou algum ganho rápido. Não têm maiores "necessidades"... Agora os cabeças que os estão levando, esses sim, estão com o maior medo de perderam a teta !!!

      1
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Sr. Rensi e Sr. Meloni, o RGS herdou do PDT a herança Brizolista, que foi construir escolas técnicas, com o PT espalharam por todo o RGS escolas técnicas federais, e universidades até nas cidades médias do RGS e "coalharam" de professores socialistas e comunistas essas escolas e universidades. 10% dos estudantes apenas escapam da doutrinação, de forma que muitos não são culpados, foram doutrinados e acreditam até hoje no que seus "professores" lhes ensinaram. Pura ideologia marxista, e por isso o RGS, acho que o Estado que tem o menor custo de produção de soja e milho do Brasil, diria até o melhor porto, e sendo um Estado essencialmente agricola, possui regiões inteiras onde 90% da população é pobre e dependente do assistencialismo.

      3
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Ah! Vou contar para vocês uma novidade aqui de BC, que se repete todo ano, é verdade. Iniciou aqui o encontro dos Gideões, são mais de 100 mil evangélicos que promovem todo ano um encontro na cidade aqui ao lado em Camboriú. E Marina Silva estará aqui, falando a toda essa gente. Ontem estava pensando, como é que no Brasil não há uma única liderança no agronegócio, produtor rural Evangélico de direita? Marina Silva pratica seu proselitismo sem nenhuma resistencia.

      2
    • beto palotina - PR

      Existem dois tilos de pessoas que defendem pt os que sao iludidos por ele eos que ganham algo dele

      0
  • Janet Fernandes Erechim - RS

    O período 1980-1994 foi caracterizado por taxas de inflação anuais, quase sempre na casa dos três dígitos. O último ano do presidente Sarney, 1989, a inflação chegou a 1.972%. Em 1993, já com o presidente Itamar, o IPCA bateu recorde: 2.477%. No ano seguinte, quando o Plano Real foi lançado no 2º semestre, a taxa caiu drasticamente, para 916% . MAS AS HIPERINFLAÇÃO. NESTE periodo mantinha as(taxas de juros básicos sempre acima de 19%), privatizações, liberalização comercial, desemprego, arroxo salarial, e liberalização dos fluxos de capital. Esses custos, no entanto, foram relegados a notas de rodapé da história, diante do sucesso do plano contra a hiperinflação. a partir do ano de 98 Dali em diante, a economia do país inaugurou um longo período de INSTABILIDADE que só terminou em 2004.

    Dessa história complexa, a narrativa que ficou foi a de que o governo TUCANO TROUXE "estabilidade", e que a INFLEÇÃO teria sido controlada durante esse período. Não foi.MAS NÃO FOI.ENTÃO -A partir de 1999, e meio a uma grave crise econômica, já no segundo mandato de FHC, quando a hiperinflação já tinha sido derrotada, foi instituída a política de metas de inflação ? que permanece até hoje. A mudança foi turbulenta: o IPCA apresentou elevação considerável e grande volatilidade: a meta foi estourada por três anos seguidos (2001, 2002 e 2003), com tendência de aceleração ano a ano.--A inflação, portanto, nunca esteve de fato "sob controle" durante o governo FHC.

    Os críticos falam que o modelo (o tal "tripé" meta de inflação/câmbio flutuante/superávits primários) foi abandonado ou que tem sido "deturpado" sistematicamente durante o governo Lula e especialmente durante o governo Dilma.

    É possível ver no gráfico abaixo que a inflação, no segundo mandato de FHC, foi muito mais elevada que nos períodos seguintes (é importante lembrar que em 1997 e 1998 a inflação já estava abaixo de 6%, então não cola aqui a desculpa da "herança" dos tempos de hiperinflação). ->> PORÉM a inflação só ficou sob controle a partir de 2004, tendendo a se estabilizar no curto prazo em torno de 5,5%, acima da meta, mas abaixo do limite. Antes disso (entre 1999 e 2003), porém, a tendência era de inflação crescente.

    25
    • Dalzir Vitoria Uberlândia - MG

      Cara Janet..administrar uma empresa..ou um país é a mesma coisa de domar um cavalo chucro..ou seja com cavalo chucro é muito mais dificil as primeiras montas...as primeiras rédeas...etc foi o que o FHC fez....continuemos...o cavalo domado é facil de andar...precisa de um bom cavaleiro...no país com a inflação controlada precisa de um administrador de competencia média pois é só seguir cuidando...foi o que faltou ao PT...logo quem destruiu foi o que..incompetente ao EXTREMO....então seu chororô se subir ali na sua cidade no silo da COTREL dá para ouvir..e choro não resolve quando faltou COMPETENCIA...

      2
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      "SENHORA"... Para discutir economia, deve-se ter em mente que: Inflação não é CAUSA... É CONSEQUÊNCIA !!!

      1
    • Lino Gaspar Rocha Aguiar Rio Paranaíba - MG

      Concordo com Janet. No tempo do FHC, os juros reais, chegavam a 30% ao mês, alia o PSDB, tem uma receita pronta do FMI ,juros caros ( difificulta o setor produtivo) e arrocho salaria, ( diminui o consumo)! Naquele tempo quem financiava um trator pagava três.

      0
    • Lino Gaspar Rocha Aguiar Rio Paranaíba - MG

      ................. No segundo turno das eleições presidenciais , Marina Silva a estranhamente candidata,( um acidente improvável de avião), emprestou seu prestigio de salvadora das florestas e algoz do setor um produtivo em três condicionantes...............

      0
    • Lino Gaspar Rocha Aguiar Rio Paranaíba - MG

      ..................aumentar as reservas indiginas, mais áreas para quilambolas e endurecer o CAR, só tudo isto para segurar o agronegocio..........................

      0
    • Lino Gaspar Rocha Aguiar Rio Paranaíba - MG

      ..................Nós não temos logisticas, pois dinheiro do FMI, o banco internacional de fomento, só financia sambodromo , campo de futebol e carnaval, O nosso saudoso JK, para fazer Brasilia rompeu com o FMI, a estrada de ferro norte sul do Sarney, não sãiu do papel, a Belo Monte, luta até hoje com os pesdos ambientalistas , amigos de Marina Silva, aliada do pentagono....................daí para levarmos a efeito o mais ousado sonho, a construção da ferrovia transoceanica, que é o negocio da China , que os Americanos fizeram em 1960 e ficaram o centro do mundo, pois comercializava tanto com a Asia , como a Europa nos dois oceanos, o atlantico e o pacifico...................

      0
    • Lino Gaspar Rocha Aguiar Rio Paranaíba - MG

      ................Durante a copa do mundo , numa pequena cidade do ceará, com 4 chefes de estados, foi criado outro banco de fomento, desta vez não para fazer sambodromo, mas financiar logistica, pois o caminho das indias , para alimentar a Asia, pois não quer depender apenas dos EUA, mas também da América do Sul.....................

      0
    • Lino Gaspar Rocha Aguiar Rio Paranaíba - MG

      ............Criou-se os Brics e a China quer construir a bendita ferrovia transoceanica, que nos colocaria no andar de cima, daí o motivo da furia de toda a midia contra o atual governo....................

      0
    • Lino Gaspar Rocha Aguiar Rio Paranaíba - MG

      ...........Para finalizar gostaria de dizer que não sou eleitor do PT, pois este é um governo arcaico, que quer o Estado gestor e provedor , da áreas que cabe ao setor privado, mas mil vezes este governo , do que um governo da Marina Silva que criminaliza o trabalho e a produção.

      0
    • Lino Gaspar Rocha Aguiar Rio Paranaíba - MG

      errada, os americanos fizeram a transoceanica em 1860.

      0
  • Janet Fernandes Erechim - RS

    ENGRAÇADO COMO VC LEVA P O LADO QUE VC QUER TEUS COMENTÁRIOS. VOCE deveria fazer estes balanços com relação ao governo FHC, porque fazendo com o governo Lula uma comparação destas é até covardia..., a história q em 98 era inflação abaixo de 9% é mentirosa, ela era de 15%, desemprego maior q 2010, voce tem que comparar com 96 e 2001, ai sim porque desemprego sobre uma taxa em que o PT elevou muito acima do que era em 96 e 2001, os 96 % se torna nada pois 96 22% 2014 9% e este 9% sobre 22 dá o total de 1.98% de aumento de desemprego então mesmo com 1.98 de desemprego que dá um total de 1,273 milhão mas entre estes há os trabalhadores informais que não tem seguro desemprego e estes contam como desempregados, e tem também os micro e pequenos empresários, que apesar de não assinar carteiras estão trabalhando, já em nivel domésticos aumentou o numero de domesticas assinando carteira , enquant tem muitas que preferem não assinar mas receber os deposito mensair de direitos trabalhistas direto, assim não constam como ocupadas em trebelho " ou desempregadas e tem os idosos q entraram no ramo trabalhista a procura de emprego q constam também como desempregado, e tem os jovens q entram em dade de trabalhar, , enfim sempre teremos desempregos no brasil porque existem até os que NÃO querem trabalhar pois viven ás custas do esposo ou da esposa, e faz parte da lista "desempregado" . os mandatos pt estão muito abaixo do valor altissimo dos governs tucanos, isso é melhorias,, mesmo com todos os boicotes q os tucanos e a tucanalha fazem contra a economia barrando o andamento e crescimento do pais através de recessão induzida, mas eles pensam q se dilma sair nos vamos ficar quieto, não, vamos boicotar todas as grandes empresas e bancos, se eles querem quebrar o Brasil sem se importar com o povo, pois eles não vão ter sossego e quero ver eles fazerem milagres com empresas e bancos sem movimentos, nós compraremos de pequenos comércios n direto dos colonos, e a economia vai levar o mesmo baque qe eles aplicam contra dilma prá destitui-la "Houve uma queda do emprego, mas a queda da população ocupada não existiu", assegurou. Essa mudança no mercado de trabalho traz uma perda de estabilidade dentro do domicílio e força filhos que estão no ensino médio ou superior e mesmo pessoas mais idosas a procurar emprego para tentar manter o nível de vida que foi perdido.

    Esse processo fez a taxa de desocupação aumentar, indicou Azeredo. "Não houve redução do número de ocupados. Houve redução do número de empregados (formais), que começaram a trabalhar por conta própria. A mudança na estrutura desse mercado leva a uma quebra na estabilidade no domicílio e essa perda de estabilidade faz aumentar a fila da desocupação", reiterou.

    A análise do momento atual mostra que a população ocupada está estável, mas a fila de desocupação cresceu por conta da mudança na estrutura do mercado. Cimar Azeredo salientou, inclusive, que a força de trabalho no Brasil aumentou em 2015. O país tinha no terceiro trimestre 2 milhões a mais de pessoas na força de trabalho, que envolve a população ocupada mais a população desocupada, que está pressionando o mercado para entrar.

    26
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Dona Janet o que a senhora que nao tem nada com agricultura vem fazer neste espaço? Aqui e' espaço de gente inteligente , estudada e bem informada---Va' divulgar suas ideias entre os analfabetos----Quer dizer que Fernando Henrique conseguiu reduzir a inflaçao de 2700% para 15% e o heroi e' Lula---

      Ma vai te catar ,,,,,esta' pensando que esta' falando com imbecis?IMBECIL E" VOCÊ

      4
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Sua "assertiva" no inicio tem uma grande relevância (ENGRAÇADO COMO VC LEVA P O LADO QUE VC QUER TEUS COMENTÁRIOS), mas... VC só aceita quando a sua "força" ganhe. Não vou fazer nenhum argumento, pois vejo que estou diante de uma pomba enxadrista. Vou fazer só uma pergunta: VC JÁ OUVIU FALAR DO "MENSALÃO & PETROLÃO"???

      2
    • Lino Gaspar Rocha Aguiar Rio Paranaíba - MG

      Deus, por interseção de Nossa Senhora Aparecida e do Santo Padre Anchieta, abencõe o Brasil !

      1
  • Silvia Blank Porto Alegre - RS

    Parabéns pela analogia eloquente do seu texto, sr. Flávio... Atrevo-me a responder sua indagação com uma frase do Gustavo Ioschpe: " Alguém já disse que um dos sinais da loucura é continuar fazendo a mesma coisa e esperar que o resultado seja diferente. Muita indignação e pouca ação, os males da nossa democracia são... Reclamamos, mas elegemos os mesmos." Para que haja mudanças, primeiro temos que assumir que estamos doentes. (Silvia Blank).

    0
    • alexsandro peixoto leopoldino canarana - MT

      Silvia black, acredito que o problema da nossa política, seja a nossa própria política.... Quem é bom, não tem coragem de assumir,,, portanto vivemos sobre dinastias,, hereditárias.......

      0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Sr. Alexsandro, permita-me dar um palpite: Acho que vivemos sob dinastias, pois o termo significa série de reis ou soberanos de uma mesma família que se sucedem no trono. Em muitos casos na politica brasileira seria mais apropriado usar "famiglia", vocábulo italiano que pressupõe aos grupos mafiosos.

      0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Srª. Silvia, uma frase de John Stuart Mill, filósofo e economista inglês, que desenvolveu o utilitarismo, acresce, penso, os argumentos do seu comentário: "é preferível ser Sócrates doente que um tolo satisfeito"!

      0
  • adegildo moreira lima presidente medici - SC

    Muito lucido e pertinente o artigo do sr. Flávio França Jr..., na realidade a melodia e a letra da musica sao lindas e retratam o Brasil de sempre , dos exploradores insensiveis, daqueles que fazem fortunas sem trabalhar, da corrupção e da ganancia desenfreada, que acaba espraiando por todos os setores da sociedade. Até na seleção de futebol brasileira, que ha muito deixou de representar os sonhos dos torcedores, predomina o oportunismo, o descompromisso, o intuito de levar vantagem em tudo. E o povo, submisso nao consegue gritar, apesar de seu sofrimento.

    0
    • Rogerio mendes lopes Morrinhos - GO

      O problema é que em brasília ninguém pode gritar,quase todos estão com o rabo preso e morrendo de medo da polícia federal!

      0
    • pieter jakob bijsterveld Unaí - MG

      Boa parte da crise realmente é originada pela este governo bolivariana , onde os mais poderosos conseguiram se enriquecer desviando e roubando, mas nas últimas décadas vimos uma diferença crescente entre extremamente ricos e pobres no mundo inteiro.

      varios fatores favoreciam este abismo crescente entre ricos e pobres, como globalização, fusão de grandes empresas para dominar o mercado, privatização etc.

      Muitos governos cada vez mais autoritários e menos democraticos, se achando o dono da verdade. Também os bancos que se afastaram da realidade economica emprestando dinheiro demais na area de consumo em vez de produtivo para juros estratosféricos que compromete seriamente o poder aquisitivo do cidadão porque cada vez um parte maior do salário esta comprometido para saldar dividas de bens de luxo.

      O povo brasileiro junto c o governo gastou dinheiro que tem que ganhar ano que vem.Governo, industria e bancos incentivaram a cidadão para se endividar, mas um dia chega a conta. Em vez de aprender da crise na Estados Unidos e na Europa aqui era considerado uma ,,marolinha" e o Brasil cometeu o mesmo erro de gastar que não tem!

      Para piorar mais ainda, Brasil tem uma corrupção edemica de cima para baixo e visa versa. Presidente,ministros,senadores,deputados e empresarios junto com o poder judiciario, todos colaboram e se esforçam de toda maneira para esconder a realidade.

      A imprensa esta praticamente toda comprada e influenciada pelo PT. Vimos as bençãos bolivarianas na Venezuela ? Brasil esta pertinho!!

      0