Fala Produtor - Mensagem

  • carlo meloni sao paulo - SP 11/09/2019 16:05

    Eu plantei fileiras de Araucarias na entrada da minha propriedade... Recentemente uma foi atingida por raio e secou... Escrevi para Cetesb, que me mandou para a prefeitura, falei com os guardas florestais que responderam: " lei nao faz distinçÃo entre arvores vivas ou arvores mortas, portanto o problema continua sendo seu"... Voltei pra prefeitura e esta' me indicou uma moça para fazer projeto de licenciamento de corte... Tudo ficaria em R$ 5.000,00 !!!.. Entao a conclusão é que existe um sistema montado pelas Secretarias do Meio Ambiente Estaduais para esfolar o agricultor... ou seja, muitas coisas sao possiveis, desde que se pague polpudas somas... Falei na tentativa do Sarney filho de esfolar ainda mais o agricultor, obrigando-o a tirar licenciamento para plantar quaisquer coisas... O deputado Kataguiri esta' lutando para evitar isso, mas esta' sofrendo pressoes enormes de organizaçoes ambientalistas -- atiçadas pela esqurdalha -- que quer que o circo pegue fogo.... Dentro do conceito que nao podemos ter ideias fixas como pregos, nem tampouco volateis como bolhas de sabao, eu acho que boa parte das ideias do sr Vinicius poderiam ser aproveitadas, ainda mais que quase todos tem de 20 ate 35% da propriedade em vegetaçao que poderia dar algum retorno... --Mesmo que nao seja muito ... MAS TUDO QUE ENTRAR NA REDE E" PEIXE.

    3
    • Cesar Schmitt Londrina - PR

      Como diria o Tio Nico: Roça é roça, mato é mato, simples assim...

      1
    • Joacir A. Stedile Passo Fundo - RS

      Entendem agora alguns porque deixamos de plantar araucárias?

      2
    • VINICIUS CAETANO MARTIN Curitiba - PR

      Vou dar mais um exemplo como nossa fiscalização, (nem diria legislação, pois a legislação prevê um projeto de exploração) é incoerente e não tem capacidade de interpretar a lei de forma correta. Vamos imaginar que eu sou um entusiasta da agroecologia e agrofloresta e recebo uma herança de um avô que é agricultor tradicional, recebo 500 hectares de terra de plantio onde há mais de 70 anos a terra é cultivada...tem a area de reserva legal ...tudo certinho. Então eu resolvo instalar a agricultura sintropica...instalo linhas de arvores diversas de madeira de lei exoticas e nativas, frutiferas, bananeiras...respeitando aquele ciclo de plantas pioneiras intermediarias e climax não se esquecendo de pensar na formação dos estratos herbaceo, arbustivo, sub-bosque, dossel e emergentes e entre estas linhas...deixo linhas para cultivo de grãos, culturas anuais, etc

      A linha de culturas anuais continuo sem problemas. Quando for manejar as primeiras plantas que no corte a partir de sete anos vão servir para lenha ou para reforçar canteiros , se eu utilizar nativas como bracatinga, pau jacaré, aroeira, açoita cavalo, angico eu ja vou ter problemas....como disse a lei prevê projetos para esta situação mas a interpretação da lei pelos fiscais é reducionista.. e eles enquadram tudo como nativas ...imunes de corte. Teve uma época no Brasil que se quis resolver o problema de desmatamento incentivando somente o eucalipto...para aliviar a pressão sobre as florestas nativas...que infelicidade...o eucalipto deveria ter sido usado para incrementar o stand das especies e seguindo o meu raciocinio...eu agrofloresteiro...vou assim ter problemas nos cortes seguintes aos 15...25...35 anos em diante. Então o fato de eu retirar uma área da condição de corte raso, pouco serviço ambiental, diminuição da reciclagem de nutrientes, uso de agrotoxicos para controlar as pragas...contaminação do lençol freatico com adubos soluveis...interrupção de corredores de biodiversidade....sem barreiras para o vento...sem conforto termico...nada de contribuição para manutenção do regime hidrico...e por aí vai , eu mudar tudo isso para

      cultivo intercalado com floresta, muito serviço ambiental, aumento da reciclagem de nutrientes, diminuição e até eliminação dos agrotoxicos para controlar as pragas...não contaminação do lençol freatico com adubos soluveis...aumento de corredores de biodiversidade....aumento de barreiras para o vento...muito conforto termico..muita contribuição para manutenção do regime hidrico...eu vou ser penalizado por isso? Pois este é o retrato do que vemos hoje...exatamente o retrato de quem foi criado aprendendo que o que é nativo é ruim para a produção...floresta nativa fica nos parquinhos e reservas e area de produção tem que ser tratada diferente. Será? Até que ponto isto é verdade? Qualquer um de nós que visita um colono tradicional que tem conhecimento das coisas da terra fica deslumbrado com a fartura de alimentos que se consegue em areas pequenas quando se faz a diversificação de maneira correta...perceba...todos trabalham bastante...mas alguns trabalham menos por que usam mais a cachola. Veja o volume de investimento dos agricultores e governo para poder fazer a agricultura chegar a máxima produtividade mais ainda carente de resolver problemas ambientais e por outro lado veja o trabalho de quem esta fora deste sistema, muitos colonos pequenos no começo, é verdade...mas hoje muitas coisas que estes pequenos colonos estavam fazendo estão contribuindo para a agricultura das grandes fazendas e este trabalho é que eu quero divulgar...para que a gente não perca a nossa liberdade...pois as empresas de insumos e transformação faturam tilhões e investem milhões para nos manter nesta roda viva, que é necessária sim, mas quem tem que ter o controle da situação e dos meios de produção somos nós.

      4
    • Luiz Alfredo Viganó Marmeleiro - PR

      O professor paranaense Fávio Zanetti, maior especialista em araucária no país, é contra essa legislação radical que impede a derrubada de pinheiros! Segundo ele, ao manter árvores velhas, impede-se a regeneração dos pinhais, com crescimento de novos indivíduos, o que levará à extinção da espécie! Além disso, como os colegas escrevem, quem em sã consciência plantara pinheiros, sabendo que nunca poderá usar a madeira. Creio que apenas eu deve estar plantando, pois o IBAMA diz que derrubei 1 (isso mesmo, um exemplar) e tenho de plantar 3.000!!!

      1
    • VINICIUS CAETANO MARTIN Curitiba - PR

      Luiz Alfredo você tem razão...conheço o Professor Zanetti... ele faz enxertia de pinheiros e consegue arvores que dão pinhões em menos tempo. Mas penso que temos que insistir, plantar e registrar este plantio de pinheiros, seja no ibama. na prefeitura, nas redes sociais e provar que fomos nós que plantamos...a lei vai ter que mudar...mas temos que tomar cuidado para evitar o corte raso por gente que queira se aproveitar da situação. Acho que nas propriedades onde o proprietário faz manejo da floresta com agricultura como nas agroflorestas, o corte poderia ser permitido.

      1
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Pois e' ,,,,estava pensando com os meus botoes, ja' perceberam o que aconteceria se o pessoal todo decidisse plantar quatro ou cinco pinus Eliotti??? Em menos de 20 anos a Mata Atlantica desapareceria por completo----Vao ter que pagar para conservar o bioma... ATENÇAO... E" SO" UMA HIPOTESE

      1