Quênia será quinto país a adotar o Mais Alimentos África

Publicado em 20/12/2011 06:45 207 exibições
O Mais Alimentos África, um programa do governo brasileiro coordenado pelo ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), será adotado pelo Quênia. Nesta terça-feira (20) o ministro Afonso Florence e o embaixador do país africano no Brasil, Peter Kirimi Kaderia, vão assinar o Projeto de Capacitação Técnica (PCT) em que ambos os países vão investir US$ 349.700,00 em intercâmbio de conhecimento e tecnologia, dos quais US$ 323.500,00 oriundos do governo federal do Brasil, US$ 11.200,00 do MDA e US$ 15.000,00 do governo do Quênia.

Com a assinatura do PCT, o Quênia passa a ser o quinto país africano a adotar o Mais Alimentos África este ano. O objetivo é garantir segurança alimentar e nutricional a uma população estimada de 38 milhões de habitantes. De acordo com informações do governo queniano, esse programa é essencial para fomentar o crescimento agrícola e o desenvolvimento econômico e social da região. O Brasil firmou pacto de transferência de tecnologia e conhecimento, bem como de fornecimento de mais de quatro mil itens nacionais em máquinas e equipamentos agrícolas, com Gana, Zimbábue, Moçambique e Senegal, todos na Àfrica. Na América Latina, Cuba é signatário do projeto.

Com o Mais Alimentos África, o governo queniano pretende transformar os cerca de cinco milhões de pequenos proprietários rurais em agricultores familiares e modernizar, com orientação comercial e perspectiva de aumento da produtividade, a produção agrícola de subsistência do país O setor agrícola influi diretamente na indústria e contribui com cerca de 26% do Produto Interno Bruto (PIB) daquele país, e promove 27% da economia nacional por meio de ligações com fabricação, distribuição e serviços de setores afins.

Ainda de acordo com informações do governo do Quênia, cerca de 80% da população vive em áreas rurais e depende, principalmente, da agricultura e da pesca de subsistência. Além disso, 87% de todos os pobres vivem em domicílios rurais. A principal atividade econômica do país é a agricultura. Cerca de 50% dos quenianos são potenciais candidatos à insegurança alimentar, segundo as informações oficiais quenianas.

Linha de crédito

O Programa Mais Alimentos África é uma linha de crédito do governo brasileiro que tem o objetivo de promover iniciativas no âmbito da Cooperação Sul–Sul. Ele conta com o apoio da Camex, que aprovou uma linha de crédito para países africanos de US$ 640 milhões (US$ 240 milhões para 2011 e US$ 400 milhões para 2012) a fim de financiar exportações brasileiras de máquinas e equipamentos agrícolas destinados à agricultura familiar africana. Trata-se da transferência de conhecimento e de crédito para países que necessitam de adquirir segurança e autonomia alimentar.

Em 2008, o Governo Federal criou o Mais Alimentos Brasil: uma linha de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf)  para promover a modernização produtiva das unidades familiares agrícolas  em todo o território nacional. O programa atende projetos individuais (até R$ 130 mil) e coletivos (até R$ 500 mil), com juros de 2% ao ano, até três anos de carência e prazo de pagamento do empréstimo de até dez anos.

Em dois anos, o Programa Mais Alimentos Brasil forneceu um financiamento de R$ 4 bilhões a pequenos produtores, por meio de mais de 100 mil contratos, o que resultou em um aumento da produtividade de 89% por área e de 30% na renda, desde a implementação do programa A linha de crédito financia mais de quatro mil itens entre equipamentos e máquinas agrícolas, tais como tratores (até 78 CV), máquinas, implementos agrícolas, colheitadeiras, veículos de transporte de carga, projetos para construção de armazéns e silos, cerca elétrica para isolamento do rebanho, melhoramento genético, correção de solo, formação de pomares e melhoria da logística administrativa das propriedades rurais, como a informatização dos estoques, entre outras ações

Tags:
Fonte:
Min. Desenvolvimento Agrário

0 comentário