Senadora Kátia Abreu diz que o atual Código Florestal é "incumprivel"

Publicado em 31/01/2012 07:36 e atualizado em 31/01/2012 16:31 1255 exibições

A senadora Kátia Abreu (PSD-TO), que também é presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), afirmou, nesta segunda-feira (30), que o Código Florestal, se for aprovado com o texto atual, é “incumprível”. A afirmação foi feita durante a apresentação da 1ª Sondagem de Expectativa do Ano, na sede da Sociedade Nacional da Agricultura (SNA), no Centro do Rio de Janeiro.

“O Código Florestal, que deve ser votado nos próximos dias, é incumprível”, afirmou a senadora. “A instrução normativa número 31, do Ministério do Trabalho, que é inovadora e tem muitos pontos positivos para proteger o trabalhador, tem exageros que os produtores não conseguem cumprir, em um Brasil tão diferente e desigual como o que temos hoje”, acrescentou.

Kátia Abreu também criticou ampliações de terras indígenas, que classificou como “irregulares” e “inconstitucionais”, e citou o caso da Reserva Raposa Serra do Sol, em Roraima. “A Constituição é claríssima ao dizer – e o STF confirmou isso na Reserva Raposa do Sol – de que terra demarcada não pode ser ampliada. E o governo federal, através da Funai (Fundação Nacional do Índio), faz vista grossa diante deste fato e continua ampliando as reservas, afrontando o estado de direito e a Constituição”, afirmou.

Logística e marco regulatório são desafios

A presidente da CNA afirmou que os principais desafios do governo para o desenvolvimento do agronegócio são a logística, o marco regulatório e a insegurança jurídica do país. “Precisamos ver o que o governo federal pode fazer nos próximos três anos, para que, até 2020, o Brasil seja o maior produtor e exportador das Américas, em todos os itens”, ressaltou.

Entretanto, a senadora elogiou o governo federal e a presidente Dilma Rousseff. “Eu sou senadora de oposição, e todos vocês sabem disso. Mas, apesar de não ter votado na presidente Dilma, tenho tido boas surpresa como o governo, com algumas decisões tomadas”, discursou. “Estou bastante otimista com a presidente da República. A presidente da CNA esta bastante satisfeita, com relação a ter sido aberto um canal de diálogo sobre o agronegócio no país”, complementou.

Mas, em seguida, atacou órgãos do governo, que ela acusou de corrupção: “Para que Denoc (Departamento Nacional de Obras Contra as Secas), Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba), Sudene (Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste) e Sudam (Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia)? Para desviar recursos e colocar colegas nos cargos, que não têm compromisso com o pais, que não têm projeto e que não querem fazer as mudanças que o Brasil precisa.”

Tags:
Fonte:
G1

2 comentários

  • carlo meloni sao paulo - SP

    Katia e' a unica liderança do agronegocio, mesmo assim so' pode pegar leve porque depende do governo para cobrar a contribuiçao sindical.----O agricultor nunca tera' um sindicato forte, tipo CUT (LULA)

    para declarar guerra a quem deseja implodir o agronegocio. Tambem

    existe uma gama muito ampla de interesses dificeis de serem aglutinados.-- O pequeno agricultor passa fome,o medio vive na corda bamba e o grande ganha dinheiro pela simples lei da eficiencia.---

    Existem esquerdistas no governo ainda com a ideologia Stalinista que

    combatem o grande agricultor por pura enveja.Brasileiro nao sente inveja ele tem enveja grudada na alma dele.A enveja e' o recalque dos incapazes.

    0
  • victor angelo p ferreira victorvapf nepomuceno - MG

    É isto ai! Incumprível e diria desnecessário. As atividades agropecuárias são responsabilidade dos Governos Estaduais...Os controles devem ser exercidos pelos Governadores que são eleitos e pagos com o numerários reunido dos nossos impostos pagos. Os Códigos não podem substituir as atribuições governamentais, senão não há necessidade de governos... Bastaria fazer um Código Geral com todas responsabilidades do cidadão e se dispensaria eleições...O "Sistema" comandaria tudo...

    0