Inmet prevê que semana começa com sol e calor no Sudeste

Publicado em 26/02/2012 07:15 567 exibições

A semana começa com sol e calor na região Sudeste do Brasil. De acordo com a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) a previsão é de predomínio de sol com temperaturas máximas ficando em torno dos 38°C. no Rio de Janeiro e Espírito Santo, nesta segunda-feira, 27 de fevereiro.


As chuvas podem ser fortes no norte e leste do Paraná, em São Paulo, Mato Grosso Sul, Mato Grosso, Amazonas, Rondônia, Acre, Pará e no Amapá. Em Minas Gerais, as chuvas ficarão concentradas no oeste do estado. Na região Nordeste o dia terá chuva a qualquer hora do dia, com exceção apenas da Bahia, onde as chuvas ocorrerão de forma mais isolada.

Fim de semana

Neste sábado, 25 de fevereiro, a meteorologia prevê pancadas de chuvas na região Norte no Amazonas, Pará, Amapá, Roraima, Acre, Rondônia e Tocantins. No Centro-Oeste, o tempo fica encoberto com pancadas de chuvas e trovoadas isoladas em Goiás, Mato Grosso e Distrito Federal. Pancadas de chuvas e trovoadas atingem Mato Grosso do Sul.

Há previsão de pancadas de chuvas e trovoadas isoladas em Minas Gerais e São Paulo. O sol aparece no Sudeste no Espírito Santo. No Rio de Janeiro, há possibilidade de chuvas e trovoadas. No Nordeste, o Inmet prevê pancadas de chuvas no Maranhão e trovoadas isoladas no Piauí e demais estados da região.

No Sul, o tempo fica nublado com pancadas de chuvas e trovoadas e possibilidade de queda de granizo em áreas isoladas no Paraná e Santa Catarina. Há possibilidade de chuvas no norte e nordeste do Rio Grande do Sul.

Domingo

No domingo, 26 de fevereiro, a atuação de uma frente fria no oceano Atlântico associada a áreas de instabilidade no continente ocasiona pancadas de chuvas, descargas elétricas e rajadas de vento no Paraná e em São Paulo. Há possibilidade de queda de granizo em áreas isoladas do Paraná.

No Rio Grande do Sul, a previsão é de chuvas isoladas no norte do estado. Já em Santa Catarina, o Inmet prevê de pancadas de chuvas e trovoadas isoladas.

Na região Centro-Oeste, áreas de instabilidade favorecem a ocorrência de pancadas de chuvas, que podem ser fortes em Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.

No Norte, a previsão ainda é de muita chuva no Amapá, Pará, Amazonas, Rondônia e no Acre. Previsão de um dia chuvoso também no Maranhão, Ceará, Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas e Sergipe.

Aviso especial

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta para as condições meteorológicas favoráveis à ocorrência de chuva moderada a forte com trovoadas e rajadas de vento ocasionais em áreas isoladas de Rondônia com possibilidade de queda de granizo em áreas isoladas de Santa Catarina e Paraná. As informações estão no Aviso Especial no.59 válido para este sábado, 25 de fevereiro.

Fonte: Ministério da Agricultura

Horário de verão chega ao fim com redução de 5% na demanda máxima

Chega ao fim à meia-noite deste sábado (25) mais uma edição – a 37.ª – do horário de verão brasileiro, em vigor desde 16 de outubro. Com isso, o sábado terá duas meias-noites e 25 horas para quem mora nos estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, além da Bahia e do Distrito Federal. 

Conforme estimativas da Copel, no Paraná a medida traduziu-se na redução de 5% nos níveis máximos de demanda por energia elétrica durante o período crítico do dia – o chamado “horário de ponta”, que se dá entre 18 e 21 horas (durante o horário de verão, das 19 às 22 horas). Isso corresponde a dispensar a adição de 215 megawattts de potência no sistema elétrico estadual durante as horas de maior consumo simultâneo, o que equivale à demanda máxima de Londrina e sua região metropolitana. Ou, ainda, a duas vezes a demanda na ponta de todo o Litoral durante o verão. 

CONSUMO – Diferentemente do que muita gente pensa, a principal finalidade do horário de verão não é reduzir o consumo de eletricidade, mas distribuir de maneira mais racional a elevação da demanda das diversas classes consumidoras durante o horário de ponta, aliviando as condições de operação de instalações como usinas geradoras, subestações e linhas de transmissão. 

A lógica da medida é simples: o adiantamento dos relógios em uma hora cria uma defasagem entre as curvas máximas de demanda de algumas classes de usuários, que deixam de se sobrepor e criam uma relativa folga operacional ao sistema elétrico. Por exemplo, a ativação do sistema de iluminação pública (cujas lâmpadas acendem automaticamente ao escurecer, independentemente da hora do dia) só acontece depois de encerrado o expediente na maior parte dos escritórios e de superado o momento de maior demanda nas residências. 

Além disso, o horário de verão também permite uma discreta redução no consumo de energia, que se dá basicamente em razão da maior disponibilidade de luminosidade natural e conseqüente redução no tempo de uso de lâmpadas. Essa economia é da ordem de 0,5%. 

PRÓXIMO – Conforme dispõe o Decreto 6.558/2008, que estabelece regras duradouras para a aplicação do horário de verão, como área de abrangência e época para início e término, a próxima edição da medida começará à zero hora de 21 de outubro – o terceiro domingo do mês.

Fonte: Agência Estadual de Notícias


Tags:
Fonte:
Inmet

0 comentário